Notícias Aplicativos e Software

App Store vai ficar mais cara devido ao enfraquecimento do euro

Preços para comprar aplicativos sobem na App Store da Europa e de outros países; Apple já aumentou valores de serviços no Brasil

Bruno Gall De Blasi
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

Apple vai reajustar os preços da App Store na Europa e em outros países. Sem revelar motivos, a companhia disse nesta terça-feira (19) que os valores para adquirir aplicativos e outros serviços serão elevados em regiões que utilizam o euro. Mas há uma suspeita por trás da decisão: o esmaecimento da moeda europeia.

App Store, da Apple, fica mais cara em alguns países; veja lista (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)
App Store, da Apple, fica mais cara em alguns países; veja lista (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

O comunicado foi divulgado na seção de notícias da Apple para desenvolvedores. Segundo a fabricante, a partir de 5 de outubro de 2022, a mudança irá impactar o preço de apps e de compras feitas dentro de aplicativos. A exceção fica pelas assinaturas renovadas automaticamente e que já foram contratadas. 

A lista de países é extensa. Para começar, toda a zona do euro será afetada pelo aumento. Assim, as compras que antes custavam 0,99 euro, passarão a valer 1,19 euro. Já os itens que saíam por 4,99 euros, estarão disponíveis por 5,99 euros, e daí por diante.

Aumento nos preços pode estar ligado ao enfraquecimento do euro em relação ao dólar (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
Aumento nos preços pode estar ligado ao enfraquecimento do euro em relação ao dólar (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Aumento pode estar ligado ao enfraquecimento do euro

A Apple não explicou o que motivou o crescimento de preços na Europa. Todavia, a moeda perdeu a força ante ao dólar recentemente, conforme observado pelo The Verge, enquanto a região encara um aumento nos custos de energia e os impactos da inflação. O detalhamento também não foi dado aos reajustes concedidos aos usuários do Chile, Coreia do Sul, Egito, Japão, Malásia, Paquistão, Polônia e Suécia.

O Vietnã é a única exceção: “no Vietnã, esses aumentos também refletem novas regulamentações para a Apple cobrar e remeter os impostos aplicáveis, sendo o imposto sobre valor agregado (IVA) e o imposto de renda corporativo (CIT) a alíquotas de 5%, respectivamente”, explicaram.

Apple aumentou os valores do Music e outros serviços no Brasil (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)
Apple aumentou os valores do Music e outros serviços no Brasil (Imagem: Brett Jordan/Unsplash)

Apple aumentou os preços de serviços no Brasil

A mudança na política de preços da App Store atinge somente os países citados acima. Por ora, não há previsão de alterações para a tabela brasileira. Mas é importante ressaltar que o último reajuste aconteceu em 2020, e muitas águas rolaram de lá para cá. Ou seja, uma notícia dessas não seria surpresa.

Enquanto isso, a Apple propôs algumas mudanças em serviços oferecidos aos brasileiros. Nesta segunda-feira (19), as assinaturas do Music, One e TV+ tiveram um aumento de até 50,5%. Apenas as contratações individuais do Apple Arcade, o Fitness+ e armazenamento do iCloud foram poupadas. 

Com informações: Apple DeveloperEngadget e The Verge

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque