99Moto chega a Rio de Janeiro e São Paulo e se prepara para briga jurídica

Com Eduardo Paes e Ricardo Nunes na cola do Uber Moto, 99 dispara: apenas a União pode legislar sobre transporte por apps

Giovanni Santa Rosa
Por
• Atualizado há 7 meses
99 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
99 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Em meio a brigas dos prefeitos do Rio de Janeiro e de São Paulo com o Uber Moto, outra empresa anunciou sua estreia na modalidade. A 99 lançará na terça-feira (31) o 99Moto nas duas cidades. A companhia promete viagens pelo menos 30% mais baratas que as corridas de carro do 99Pop.

O 99Moto, de acordo com a companhia, serve bem para complementar o transporte público, nos chamados trajetos de “última milha”, para ir de um terminal de ônibus até em casa ou de casa até uma estação de metrô, por exemplo.

Segundo a 99, as viagens de moto para passageiros já estão disponíveis em 3 mil municípios, e 99,99% das corridas terminam sem incidentes e acidentes.

A empresa destaca que as motocicletas conseguem acessar vias estreitas, por onde os carros não passam.

Prefeitos de SP e RJ são contra

A 99 segue os passos da Uber, que lançou seu Uber Moto nas capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo no dia 5 de janeiro. Os prefeitos das duas cidades reagiram negativamente à novidade.

Em São Paulo, o prefeito Ricardo Nunes (PMDB) notificou a Uber sobre a proibição da modalidade, e lembrou que já existe um decreto que não permite o serviço de mototáxi na cidade. Nunes menciona a preocupação com a segurança. “Minha meta é baixar o número de mortos no trânsito”, declarou.

Já no Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes (PSD) diz que entrará na Justiça pedindo a proibição do Uber Moto. Na capital fluminense, o mototáxi é regularizado. Paes afirma que quer proteger os empreendedores das cooperativas que já prestam esse serviço.

Ao que parece, a 99 já prevê que terá problemas jurídicos. Em seu comunicado à imprensa sobre o 99 Moto, a empresa incluiu uma seção intitulada “Moto por app pode?”. A resposta, segundo a empresa, é sim.

O texto retoma a Lei nº 13.640, de 2018, que regulamentou a atividade de transporte de passageiros usando aplicativos, e a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de 2019 que impede que municípios proíbam as atividades dos aplicativos.

Receba mais sobre São Paulo na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Giovanni Santa Rosa

Giovanni Santa Rosa

Repórter

Giovanni Santa Rosa é formado em jornalismo pela ECA-USP e cobre ciência e tecnologia desde 2012. Foi editor-assistente do Gizmodo Brasil e escreveu para o UOL Tilt e para o Jornal da USP. Cobriu o Snapdragon Tech Summit, em Maui (EUA), o Fórum Internacional de Software Livre, em Porto Alegre (RS), e a Campus Party, em São Paulo (SP). Atualmente, é autor no Tecnoblog.

Canal Exclusivo

Relacionados