ChatGPT chegou ao Apple Watch, mas não graças à OpenAI

O watchGPT deixa o usuário fazer perguntas variadas para o robô a partir de seu pulso; é até possível adicionar o aplicativo às complicações do smartwatch da Apple

Ricardo Syozi
Por
• Atualizado há 6 meses
WatchGPT (Imagem: Divulgação / Modum B.V.)

O Apple Watch recebeu um aplicativo chamado watchGPT, que oferece a inteligência artificial do ChatGPT diretamente na tela do relógio da maçã. Com ele, o usuário consegue interagir com o chatbot da OpenAI a partir de seu pulso, obtendo respostas para as mais diversas perguntas. Contudo, ele não é gratuito, custando R$ 22,90 na App Store.

O aplicativo foi desenvolvido pela empresa belga Modum B.V., ou seja, o programa não é criação da OpenAI. Ele se conecta ao ChatGPT e permite ao usuário interagir com o robô a partir de perguntas por voz ou através de textos. A descrição do app na Apple Store o considera um “assistente particular”:

Com o watchGPT no pulso, você pode acessar facilmente uma vasta fonte de conhecimento e se comunicar com um computador inteligente em tempo real. É como ter um assistente pessoal no pulso!

Além disso, o aplicativo oferece opções para o compartilhamento dos resultados por e-mail, SMS e redes sociais. Já para quem quer usá-lo com maior frequência, há a possibilidade de adicioná-lo às complicações do smartwatch e ter um acesso mais instantâneo.

Por enquanto, o software só consegue responder uma pergunta de cada vez, mas os desenvolvedores afirmaram que futuras atualizações permitirão conversas completas.

O watchGPT já está disponível na loja digital do Apple Watch, com compra única custando R$ 22,90.

Apple Watch Ultra
Apple Watch Ultra (Imagem: Reprodução / Apple)

ChatGPT vem dominando o mundo, mas ele não é totalmente confiável

Você piscou e mais um gadget decidiu assumir a tecnologia de inteligência artificial como a da OpenAI. O Apple Watch não será o último, mas vale ter parcimônia antes de apostar todas as suas fichas nas respostas dos robôs.

Por exemplo: o ChatGPT ainda não é um bom professor de Python, pois oferece sugestões pouco apropriadas na linguagem, o que poderia atrapalhar o desenvolvimento de iniciantes no assunto. Outra situação mostrou que a IA da Microsoft pode usar texto do ChatGPT para publicar fake news. Nesse caso, basta pedir do “jeito certo”, que o usuário consegue enrolar o robô.

A inteligência artificial criada pela OpenAI também já foi “cúmplice” de hackers na produção de malwares, o que foi divulgado por pesquisadores da empresa de cibersegurança Check Point Research. O Tecnoblog chegou a fazer testes e descobriu que vírus “mais leves” ainda podem ser criados com a ajuda do chatbot.

É claro que ainda há muita coisa boa no uso de tecnologias com o ChatGPT ou o Bard do Google, no entanto, vale prestar bastante atenção nas respostas que elas entregam.

Com informações: 9to5Mac.

Relacionados