É o fim da linha para o WordPad

Editor gratuito de texto deve desaparecer na próxima geração do Windows, prevista para 2024. Microsoft recomenda que usuários adotem Word ou Bloco de Notas.

Thássius Veloso
Por
Marca do WordPad com asas e auréola, como se estivesse chegando ao céu
WordPad chegou ao Windows em 1995 e teve o fim anunciado em 2023 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Se você viu o alvorecer do Windows, tem duas coisas que precisa saber hoje. A primeira delas é que o editor de texto WordPad sairá de cena num futuro breve. A empresa confirmou que tem a intenção de acabar com ele – possivelmente na próxima versão do sistema operacional – e dar aos usuários outras opções.

A segunda delas é que você está velho (assim como eu!). O WordPad está entre nós desde 1995. Lá se vão quase três décadas desde que o programa começou a frequentar nossos computadores e integrar os recursos básicos do sistema. Muita água passou por baixo desta ponte.

A decisão da Microsoft

A gigante de Redmond não fez nenhum alarde para avisar sobre o fim do WordPad. A página de “recursos descontinuados” pela empresa simplesmente passou a listar o software.

“O WordPad não é mais atualizado e será removido numa futura release do Windows”, diz a mensagem. A Microsoft ainda recomenda que as pessoas adotem o Microsoft Word para documentos de texto sofisticados, nos formatos .doc e .rtf, ou o Bloco de Notas, caso seja um arquivo .txt.

Por ora não são conhecidos os números por trás do WordPad. Não é possível dizer quantos consumidores ficarão órfãos dessa ferramenta, que tem nos acompanhado há 28 anos.

Janela do WordPad
Janela do WordPad

O site do jornal The Register lembra que o WordPad não ganhou inovações importantes das últimas décadas, como o corretor ortográfico e o design com múltiplas abas.

De graça vs pago

O WordPad sempre integrou o Windows. Não era preciso desembolsar nada a mais para utilizar a ferramenta.

Por sua vez, a versão mais básica do Word no pacote Windows 365 custa R$ 36 por mês ou R$ 359 por ano no site da Microsoft.

Os usuários ainda poderão optar pelo Word Online ou outras suítes de produtividade com recursos gratuitos, como o Google Workspace (antigo Google Docs). Eles podem ou não necessitar algum nível de acesso à internet.

Cemitério digital

Aliás, a Microsoft tem se animado com a possibilidade de limar recursos do Windows. A empresa iniciou a despedida da assistente virtual Cortana neste mês de agosto. O programa exibe um aviso de que foi descontinuado na versão do Windows 11 do Insider Program – ou seja, de experimentação.

Print
Aviso sobre o fim da Cortana no Windows (Imagem: Felipe Freitas/Tecnoblog)

Essa tecnologia deve ser substituída aos poucos pelo Windows Copilot, sistema de inteligência artificial que traz o motor do ChatGPT.

A Cortana continuará integrada a outros programas da Microsoft, como o Outlook e o Teams.

Com informações de Bleeping Computer, The Register e The Verge

Relacionados