George R. R. Martin e outros autores entram na Justiça contra OpenAI

Authors Guild, “sindicato” de autores dos Estados Unidos, move processo acusando OpenAI de violar direitos autorais para treinar o ChatGPT

Felipe Freitas
Por
OpenAI
OpenAI é novamente acusada de violar direitos autorais (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Mais escritores estão acionando a Justiça para processar a OpenAI por plágio. Dessa vez, até o mundialmente conhecido George R. R. Martin, cuja obra “As Crônicas de Gelo e Fogo” foi adaptada para a TV com o nome “Game of Thrones”, integra a lista de requerentes do processo. O sindicato de autores americanos (Authors Guild) é o autor da ação.

A Authors Guild acusa a OpenAI de violar os direitos autorais de escritores ao usar as obras para treinar o ChatGPT. A ação tem a mesma pauta do processo movido por outros autores em julho, quando nomes como Sarah Silverman (humorista) e Christopher Golden (autor) estavam entre os requerentes do processo.

Ação contra OpenAI afirma que empresa violou direitos autorais

Em uma dos trechos do documento, a Authors Guild afirma que a OpenAI copiou as obras dos autores requerentes “sem permissão ou consideração” e, depois, usou os trabalhos sob direitos autorais para treinar os modelos de linguagem grande (LLM na sigla em inglês).

O processo explica que os LLMs são capazes de entregar respostas parecidas com textos humanos (o que quase todo mundo sabe) através de comandos dos usuários— e óbvio que testei o conhecimento do ChatGPT sobre “Game of Thrones”.

ChatGPT descreve ciclo da água "simulando" o personagem Jon Snow (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)
ChatGPT descreve ciclo da água “simulando” o personagem Jon Snow (Imagem: Reprodução/Tecnoblog)

No primeiro teste, pedi uma coisa comum: uma resposta simulando como algum personagem falaria. Fica bem claro que o ChatGPT tem conhecimento do livro e da série. Ele consegue pegar referências à história de Jon Snow. Depois, pergunto sobre a história de Catelyn Stark nos livros (que é diferente da série) e ele “acerta”.

No entanto, eu não li os livros e sabia disso tudo por causa da Wikia da obra — e o ChatGPT também é treinado com conteúdo disponível em sites. Obviamente, isso não é uma prova em favor da OpenAI. Será papel da Justiça Federal dos Estados Unidos resolver a disputa. Além disso, livros são pirateados e o ChatGPT pode ter acesso a eles por esse meio.

O fato é que o debate e disputas judiciais sobre direitos autorais e IAs generativas já existe há meses e provavelmente não acabará cedo — se é que vai acabar. Além dos livros, artistas visuais, veículos de imprensa e programadores estão questionando a violação de direitos autorais por diferentes LLMs.

Com informações: CNBC

Receba mais sobre OpenAI na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados