Microsoft fará parte de conselho da OpenAI como observadora

Fundação sem fins lucrativos controla a OpenAI, mas Microsoft é dona de 49% da empresa. Papel de observadora ajudará a acompanhar decisões do conselho.

Giovanni Santa Rosa
Por
OpenAI
OpenAI teve mudanças após saída e volta de CEO (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A OpenAI oficializou a volta de Sam Altman como CEO, e o retorno veio acompanhado de mais mudanças. A principal delas é que a Microsoft fará parte do conselho que controla a empresa, no papel de observadora, sem poder de voto.

Antes de prosseguir, cabe uma explicação. Existem duas OpenAI: uma fundação sem fins lucrativos, criada inicialmente, e uma empresa com fins lucrativos, criada posteriormente, para buscar receitas e investidores.

A OpenAI sem fins lucrativos controla a OpenAI com fins lucrativos, mas não é a única dona dela — a Microsoft tem uma fatia de 49%. Ao longo dos anos, a Microsoft fez um total de US$ 14 bilhões em investimentos na companhia de inteligência artificial. Desses, US$ 10 bilhões foram no começo de 2023.

Em entrevista, Brad Smith, presidente da Microsoft, disse que a OpenAI está mais forte em termos de governança. “Eu não vejo a Microsoft assumindo controle da OpenAI no futuro”, acrescentou.

Brad Smith, presidente da Microsoft
Brad Smith, presidente da Microsoft, elogiou mudanças na OpenAI (Imagem: Reprodução / Twitter)

Como explica o Verge, a posição de observadora no conselho permitirá que a Microsoft conheça melhor como a OpenAI funciona, principalmente no que diz respeito às decisões do conselho. Segundo relatos internos, a gigante de Redmond foi surpreendida pela decisão de demitir Altman.

Por enquanto, não se sabe quem será o representante da Microsoft neste cargo.

Mais mudanças no conselho

A demissão repentina e volta rápida de Sam Altman à OpenAI, com o apoio quase unânime dos funcionários, levou a trocas internas.

Ilya Sutskever, cofundador e cientista-chefe da OpenAI, deixará seu posto no conselho administrativo. Ele foi um dos responsáveis pela saída de Altman, mas recuou e se disse arrependido. A empresa discute como ele poderá continuar com seus trabalhos. Helen Toner e Tasha McCauley, que também faziam parte do conselho, renunciaram a seus cargos.

Agora, o conselho administrativo é composto por Bret Taylor, ex-CEO da Salesforce; Larry Summers, ex-Secretário do Tesouro dos EUA, e Adam D’Angelo, CEO do Quora. D’Angelo já era membro do conselho, enquanto Taylor e Summers são novos nomes.

Greg Brockman também volta a seu cargo de presidente — ele renunciou após a demissão de Altman. Já Mira Murati, CEO interina durante as últimas semanas, volta ao seu cargo de CTO.

Com informações: Bloomberg, The Verge

Relacionados