Funcionários da OpenAI ameaçam ir para Microsoft se conselho não renunciar

Mais de 700 dos 770 funcionários da OpenAI exigem a volta do CEO Sam Altman e do presidente Greg Brockman, demitidos na sexta-feira (17)

Giovanni Santa Rosa
Por
OpenAI
OpenAI (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Mais de 700 funcionários da OpenAI assinaram uma carta aberta em que ameaçam pedir deixar a empresa e ir trabalhar na Microsoft caso o conselho de diretores não renuncie. O movimento é uma resposta à decisão de destituir o co-fundador Sam Altman do cargo de CEO.

Além da saída do conselho, os funcionários querem a volta de Altman a seu cargo e também a de Greg Brockman, presidente que também foi demitido na sexta-feira (17).

“As ações [do conselho] deixam claro que vocês são incapazes de supervisionar a OpenAI”, diz a carta. “Nós não podemos trabalhar para ou com pessoas que não têm competência, discernimento e cuidado com nossa missão e funcionários”.

A primeira versão da carta tem 505 funcionários na lista de signatários. Segundo Maggie Hott, uma das lideranças da OpenAI, o número de apoiadores já passa de 700. Isso significa que a vasta maioria está do lado de Altman, já que a empresa tem 770 funcionários.

Time da OpenAI pode seguir Altman e ir parar na Microsoft

No documento, os empregados ameaçam sair da OpenAI e ir trabalhar na nova divisão de pesquisa em inteligência artificial da Microsoft, que será liderada justamente por Sam Altman.

O anúncio da contratação de Altman foi feito nesta segunda-feira (20) por Satya Nadella, CEO da Microsoft. Brockman fez o mesmo caminho e assinou com a gigante de Redmond.

Sam Altman e Satya Nadella
Sam Altman e Satya Nadella juntos em 2019 (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Outros ex-funcionários da OpenAI também serão parte desse projeto, como o diretor de pesquisa Jakub Pachochki, o cientista pesquisador Szymon Sidor e o chefe de preparação Aleksander Madry.

Vale lembrar que a Microsoft é uma das maiores investidoras da OpenAI.

Até conselheiro está contra o conselho

Um dos nomes da carta chama a atenção: é o de Ilya Sutskever, cientista chefe da empresa e um dos membros do conselho de quatro pessoas que decidiu pela demissão de Altman.

No X (antigo Twitter), Sutskever escreveu:

“Eu nunca quis fazer mal à OpenAI. Amo tudo que construímos juntos e farei tudo que puder para unir a empresa novamente.”

Com informações: The Wall Street Journal, Axios

Relacionados