Motorola se prepara para chamadas verificadas com suporte a partir do Android 11

Smartphones com Android da Motorola terão chamadas verificadas ainda em 2024; tela com logo da empresa e motivo da ligação chegará primeiro aos celulares dobráveis

Lucas Braga
Por
Ilustração simula identificador de chamadas do telefone. A tela traz a marca da empresa e o motivo da chamada.
Novo protocolo de chamadas mostrará logo da empresa e motivo da ligação (Ilustração: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A Motorola anunciou que seus smartphones terão suporte ao protocolo STIR/SHAKEN, que levará maior segurança para as chamadas de telemarketing. O novo sistema tem sido testado pela Anatel e deve exibir na tela do smartphone o nome da empresa que fez a ligação, logo e o motivo.

A informação foi divulgada originalmente pelo Mobile Time e confirmada pelo Tecnoblog. De acordo com a Motorola, o suporte ao padrão de chamadas verificadas estará disponível a partir do terceiro trimestre de 2024 para todos os modelos com Android 11 ou posterior.

O protocolo STIR/SHAKEN é responsável apenas pela autenticidade da chamada. A Motorola também aponta o suporte ao recurso RCD (Rich Data Call), que exibe o logo da empresa e o motivo da ligação. Nesse caso, o cronograma é um pouco diferente:

  • nos smartphones dobráveis (linha RAZR), a tecnologia RCD estará disponível a partir do terceiro trimestre de 2024 em smartphones lançados com Android 14 ou que foram atualizados para tal versão;
  • nos demais produtos, o RCD estará disponível a partir de 2025; segundo a Motorola, o prazo maior ocorre “em decorrência do Google”.

De qualquer forma, os modelos que receberão RCD no próximo ano também terão suporte às chamadas verificadas a partir do terceiro trimestre de 2024. Nesse caso, apenas a chamada será autenticada, sem mostrar o logo da empresa ou o motivo da ligação.

Além da Motorola, outras fabricantes de celular precisam adaptar seus sistemas para permitir o funcionamento das chamadas verificadas. Como o protocolo STIR/SHAKEN também é utilizado por outros países (como os Estados Unidos, por exemplo), a implementação não deve ser tão complexa.

Por conta das adaptações, a Anatel assume que um percentual baixo de smartphones exibirá a verificação das chamadas nesse primeiro momento. A agência ainda não divulgou um cronograma para o lançamento da tecnologia ao público final.

Enquanto a solução ainda fica disponível, usuários cada vez mais recorrem a plataformas de identificação de chamada, como Whoscall, Truecaller ou o sistema integrado em smartphones da Samsung. Com funcionamento colaborativo, os próprios utilizadores reportam números de spam e auxiliam na decisão de atender uma ligação.

Chamadas verificadas devem aumentar segurança de ligações

A adoção do protocolo STIR/SHAKEN é benéfica para os usuários de telefonia móvel. Além de conseguir identificar qual empresa está ligando sem procurar o número manualmente na internet, as chamadas verificadas garantem a autenticidade do telefonema.

Smartphone com tela de discagem
Fabricantes precisarão atualizar smartphones para suporte às chamadas verificadas (Imagem: Paulo Higa/Tecnoblog)

Isso pode dificultar a vida dos golpistas, uma vez que a tecnologia deve ser adotada pelos principais callcenters do país. A Anatel acredita que os usuários estariam mais suscetíveis a atender chamadas se souberem o originador em vez de ignorar um número desconhecido.

Para tentar prevenir golpes, empresas também apostam em soluções próprias. É o caso do Nubank, que criou um novo recurso de Chamada Verificada para mostrar no app quando a instituição financeira entra em contato com o cliente. Em 2023, a empresa também lançou a função Alô Protegido, que se propõe a bloquear automaticamente ligações de criminosos que se passam pela central de atendimento.

Receba mais sobre Motorola na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Lucas Braga

Lucas Braga

Repórter especializado em telecom

Lucas Braga é analista de sistemas que flerta seriamente com o jornalismo de tecnologia. Com mais de 10 anos de experiência na cobertura de telecomunicações, lida com assuntos que envolvem as principais operadoras do Brasil e entidades regulatórias. Seu gosto por viagens o tornou especialista em acumular milhas aéreas.

Canal Exclusivo

Relacionados