Para evitar demissões, Apple muda política de bônus e amplia congelamento de vagas

Fabricante do iPhone foi a única big tech que não realizou uma demissão em massa, mas empresa aumenta medidas de cortes de gastos

Felipe Freitas
Por
Logotipo da Apple
Apple (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A Apple está adotando novas políticas para continuar cortando gastos. Segundo a Bloomberg, em matéria escrita por Mark Gurman, a empresa alterou o pagamento de bônus de funcionários e levou o congelamento de contratações para mais áreas da companhia.

Apesar de não ter realizado nenhuma demissão em massa, 100 funcionários foram demitidos em agosto de 2022. No mesmo período, a Apple começou a suspender os recrutamentos. Se alguém é demitido ou pede para sair, a vaga ficará “em falta” até que o cenário financeiro mude.

Apple diminui quantidade de bônus aos funcionários

De acordo com a Bloomberg, as mudanças — que ainda não foram colocadas em prática — reduzirão de dois para um pagamento de bônus. Antes pago em abril e em outubro, os funcionários aptos a receber o bônus só receberão o valor do mês 10.

Felizmente, o pagamento de outubro continuará com as mesmas cifras. Nada de cortes no valor (por enquanto?).

A velha e conhecida medida de congelar os recrutamentos passará por mudanças. As fontes de Mark Gurman, um dos jornalistas no assunto Apple, revelaram que a empresa levará a política de congelamento para novas áreas.

Isso não quer dizer que a Apple ficará um tempo sem recrutar novos funcionários. Ela só contratará pessoas para vagas “muito necessárias”. O melhor exemplo disso são cargos relacionados aos projetos mais “secretos” da Apple, como o Apple Car e o seu óculos de realidade virtual/aumentada.

Tim Cook, CEO da Apple, ao lado de MacBook Air 2022
Tim Cook e MacBook Air (Imagem: Divulgação / Apple)

Administração de Tim Cook mantém Apple longe de layoffs

Desde que as big techs começaram as ondas de demissão em massa, a Apple continuou “ilesa” — melhor para os empregados da empresa, claro. O principal motivo apontado para manter o quadro de funcionários é a maneira que Tim Cook administra a empresa.

Enquanto a pandemia levou às big techs a saírem contratando a torto e a direito, aproveitando o aumento na busca por eletrônicos e home office, a Apple seguiu moderada. O The Wall Street Journal aponta que a Gigante de Cupertino aumentou o seu quadro de funcionários em 17% durante a pandemia. Bem menos que o dobro de crescimento da Amazon.

Além disso, a Apple não realizou “investimentos malucos” em nova áreas visando um retorno rápido. O Apple Car e óculos VR/AR, citados anteriormente, seguem em desenvolvimento e esperando um lançamento sem erro. Porém, a pressão de Tim Cook pode trazer alguns problemas no Apple Glasses.

Com informações: Bloomberg e Apple Insider

Relacionados