Testamos Celular

Review Samsung Galaxy M53 5G: equilibrando ao máximo 

Ainda que tenha sofrido cortes significativos, Samsung Galaxy M53 5G é uma boa opção para quem não pode investir num Galaxy A73

Darlan Helder
Por
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A Samsung renovou a linha Galaxy M em maio de 2022. Deixando o M33 de lado, para o Brasil, a empresa anunciou apenas o M23 e o Galaxy M53 5G, aparelho que iremos explorar melhor no review de hoje. O intermediário tem uma ficha técnica bem interessante com tela Super AMOLED Plus de 6,7 polegadas, bateria de 5.000 mAh e câmera principal de 108 megapixels. 

No entanto, ele foi anunciado pelo mesmo preço salgado de R$ 3.499 do Galaxy M52 5G, que é o seu antecessor. Será que vale a pena quando esse valor cair? Nos últimos dias, eu usei o M53 como celular principal e compartilho a minha avaliação nos próximos minutos. 

Análise do Galaxy M53 5G em vídeo 

Aviso de ética 

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo. 

O Galaxy M53 5G foi fornecido pela Samsung por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica

Mais colorido, Galaxy M53 tem um belo design, mas falta proteção  

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O Galaxy M53 é muito diferente da geração passada. Isso porque o telefone ganhou nova roupagem, com uma linguagem visual mais próxima do Galaxy M62, cujo review já está disponível por aqui. Da mesma forma que o A73, o M53 tem um layout único, ou seja, com traseira lisa, sem personalização no módulo das câmeras. O acabamento fosco, embora seja inteiramente de plástico, é muito bonito. 

Em dimensões, ele está parecido com o Galaxy M52, sendo um pouco mais pesado, com 176 gramas. Ainda que seja um dispositivo grande, o smartphone não pesa nas mãos e a espessura reduzida de 7,4 mm também contribui para uma usabilidade confortável. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

As cores vivas e diferenciadas chegaram à linha Galaxy M. A cor azul, a qual tive acesso, tem um aspecto dark, porém brilhante quando a luz reflete. As laterais, que concentram leitor de digital, botões de volume, gaveta de chip e a conexão USB-C, vem com um acabamento mais simples, porém acompanhando a cor principal do dispositivo. As outras opções disponíveis são verde e marrom. 

A Samsung teve de fazer cortes significativos no Galaxy M53, a meu ver, para não prejudicar a linha Galaxy A53 e A73. Além dos alto-falantes, que foram pouco explorados (já comento sobre eles no próximo tópico), este intermediário não traz nenhuma certificação contra água e à poeira. 

Tela é brilhante, enquanto o som é escuro 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Na frente, dá para ver que a Samsung investiu mais — e investiu muito bem. Apesar de as bordas serem mais ressaltadas, a tela de 6,7 polegadas é brilhante, fluida e a definição é tão consistente que a sensação é de estar mexendo num Galaxy S22. Tudo isso graças ao painel Super AMOLED Plus e à resolução Full HD+ (2400×1080 pixels). 

É uma boa configuração para quem costuma assistir a streaming e jogar no smartphone. A alta taxa de atualização também foi mantida, ou seja, há aqui 120 Hz para maior fluidez. É um diferencial importante, porque muitos aparelhos de gama média têm oferecido 90 Hz. É o caso do Poco M4 Pro 5G e do Realme 8 5G. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

E, então, chegamos no segundo corte: os alto-falantes. O sistema sonoro do M53 é mono e também não há conexão de 3,5 mm para fones de ouvido. A qualidade do único falante é muito baixa, fazendo com que o áudio fique estridente com facilidade. O melhor é recorrer a um fone de ouvido Bluetooth, mesmo. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Galaxy M53 tem um software fluido e que será atualizado até o Android 15  

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Já no software, o Galaxy M53 vem com o Android 12 operando com a interface One UI 4.1, da Samsung. De acordo com a empresa, o smartphone será atualizado até o Android 15, o que garante bons anos de vida (e novidades) para quem não quer trocar de celular tão cedo. Além disso, eles garantem quatro anos de atualizações de segurança. 

Em comparação com outros celulares da mesma marca, o integrante da linha M não traz nenhuma novidade na interface. Isso não necessariamente é um ponto negativo, pois a empresa tem feito um bom trabalho nessa área. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A One UI do Galaxy M53 é bonita, fluida e estável. O sistema já traz algumas funcionalidades avançadas que geralmente só encontramos na linha Galaxy A mais completa. Um exemplo é o Painel Edge, que concentra aqueles apps que você mais acessa no cotidiano. Também há NFC, para pagamentos por aproximação, e integração com Windows. 

O Samsung DeX, porém, não está disponível. 

Câmeras são o grande chamariz 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Comparando o Galaxy M52 com o M53, você nota que a câmera é o grande diferencial entre eles. A nova geração adotou uma lente principal que produz imagens de 108 megapixels. A grande angular caiu de 12 para 8 megapixels. O módulo ainda abriga um sensor macro e um para medir a profundidade de campo, ambos de 2 megapixels de resolução. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Realmente, é um conjunto bem interessante para a categoria. Em termos de qualidade, embora ele seja um pouco inferior em relação aos modelos mais completos da linha Galaxy A (A53 e A73, especificamente), eu acredito que o agrupamento quádruplo deve atender bem a pessoa que optar por este aparelho. 

A principal tem um aspecto vibrante, com cores saturadas e definição com um nível bem satisfatório. Apesar disso, seria interessante se o software entrasse em ação para deixar as sombras menos escurecidas, sobretudo nas árvores. A exposição, às vezes, é mal controlada, resultando em imagens muito claras e estouradas. 

Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Retrato do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Retrato do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Retrato do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Retrato do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

O modo retrato, como era de se esperar, não é tão certeiro. Ele não lida bem com mais de um objeto ou sujeito, mas entrega um efeito interessante. 

Já a qualidade da ultrawide me lembrou a do Galaxy M62. A definição reduzida não se limita apenas às bordas da fotografia e toda a cena apresenta baixa nitidez. 

Foto tirada com a câmera ultrawide do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera ultrawide do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera macro do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera macro do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera macro do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera macro do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A macro também não promete ser um show de definição, mas o resultado é aceitável em alguns momentos. A depender da cena, será viável ter bons registros para compartilhamento nas redes sociais. 

Partindo para a fotografia noturna, o modo Noturno entra em ação e tenta suavizar a granulação para favorecer o brilho. Na prática, apesar da nitidez prejudicada, o resultado é bom considerando a categoria do produto. 

Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera principal + modo Noite do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Com abertura f/2,2, a lente frontal do Galaxy M53 permanece produzindo selfies de 32 megapixels, sem exageros. Os retratos têm uma qualidade que me agrada, já que há um bom nível de brilho, as cores são naturais e o desfoque, realizado pelo software, é sutil. 

Foto tirada com a câmera frontal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Foto tirada com a câmera frontal do Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Um hardware generoso e uma bateria que não avançou 

No hardware, a Samsung resolveu trocar o Qualcomm Snapdragon 778G (do M52) pelo Dimensity 900, da MediaTek. Ambos são construídos em 6 nanômetros, rodam a até 2,4 GHz e têm conectividade 5G. No aparelho atual, o SoC da MediaTek está trabalhando ao lado de 8 GB de RAM e 128 GB de espaço, expansível por microSD. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A memória RAM também se expande, para 2, 4, 6 ou 8 GB, através da tecnologia RAM Plus (ou virtual), que usa parte dos 128 GB do armazenamento para promover um melhor desempenho em apps. 

No uso diário, sempre consumindo streaming e acessando redes sociais, o processador não me deu dor de cabeça e trabalhou com folga. É claro que os 120 Hz da tela também são grandes provedores desse bom resultado. A GPU Mali-G68 MC4 opera bem com variados jogos e só apresenta limitações quando os gráficos do título estão elevados. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

A bateria, que virou marca registrada na linha Galaxy M, não recebeu atualização. Isso quer dizer que foram mantidos os 5.000 mAh de capacidade, que ainda são suficientes para boa parte das pessoas. 

O que ainda me deixa insatisfeito na Samsung é o carregador de míseros 15 watts de potência. Enquanto isso, marcas como Xiaomi, Realme e a Motorola oferecem, em intermediários, fontes de 30, 33 e até 60 watts. Em nossos testes, o adaptador de energia enviado fez o M53 sair de 5% e atingir os 100% em 1h45min. Não é um tempo ruim, mas dava para acelerar com uma fonte mais rápida. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Agora, com relação à autonomia, o aparelho não faz feio. Numa manhã, ele saiu do carregador com 100%. Ao longo do dia, eu consumi duas horas de streaming de vídeo, uma hora de YouTube, fiquei mais uma hora navegando por sites e redes sociais, ainda joguei 30 minutos de Asphalt 9 e reservei 10 minutos para fazer fotos. Depois de tudo isso, me sobraram 56% no fim do dia. Um resultado que eu considero muito bom.  

Samsung Galaxy M53 5G: vale a pena? 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Assim como o A53 e o A73, o Galaxy M53 5G é um celular que flerta com topos de linha. A sua configuração deixa ainda mais claro: este é um bom produto para quem não pôde adquirir os atuais queridinhos da linha Galaxy A e principalmente para quem não pode pegar um Galaxy S22, mas deseja ter uma experiência próxima. 

Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
Samsung Galaxy M53 5G (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Evidentemente, há baixas significativas em relação aos outros modelos citados. O M53 fica devendo certificação IP67 e som estéreo, configurações quase indispensáveis para um intermediário premium de 2022. Contudo, há uma tela brilhante com taxa de 120 Hz, suporte à tecnologia 5G e um agrupamento fotográfico que, em boas condições, tira fotos legais. 

Seu preço de lançamento de R$ 3.499 é o mesmo do A53 5G, o que automaticamente me impede de recomendar o M53, visto que o Galaxy A é mais completo. Isso ainda acende um alerta importante: você deve comparar o preço de ambos antes de bater o martelo. Ciente dos prós e contras, quando o M53 ficar abaixo de R$ 3 mil, ele pode fazer muito sentido.  

Samsung Galaxy M53 5G – ficha técnica

Galaxy M53 5G
TelaSuper AMOLED Plus de 6,7 polegadas com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 120 Hz
ProcessadorMediaTek MT6877 Dimensity 900
RAM8 GB
Armazenamento128 GB (expansível via cartão de memória microSD de até 1 TB)
Câmera traseira– principal: 108 megapixels
– ultrawide: 8 megapixels
– macro: 5 megapixels
– profundidade: 2 megapixels
Câmera frontal32 megapixels
Bateria5.000 mAh, com recarga rápida de 25 watts (carregador de 15 watts na caixa)
Sistema operacionalAndroid 12 (One UI 4.1)
Conectividadeporta USB-C, 5G, 4G, 3G, 2G, Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac (2,4G e 5 GHz), Bluetooth 5.2 e GPS
Coresazul, verde e marrom
Dimensões164,7 x 77,0 x 7,4 mm
Peso 176 gramas

Review Samsung Galaxy M53 5G

Prós

  • Que tela maravilhosa
  • Belo software, e que será atualizado por três anos
  • Ótimo desempenho

Contras

  • Alto-falante é mono
  • Falta uma fonte de alimentação mais rápida
  • Ainda caro
Nota Final 8.3
Bateria
8
Câmera
8
Conectividade
9
Desempenho
8
Design
7
Software
9
Tela
9
Darlan Helder

Jornalista

Darlan Helder é jornalista e escreve sobre tecnologia desde 2019. Já analisou mais de 200 produtos, de smartphones e TVs a fones de ouvido e lâmpadas inteligentes. Também cobriu eventos de gigantes do setor, como Apple, Samsung, Motorola, LG, Xiaomi, Google, MediaTek, dentre outras. Ganhou menção honrosa no 15º Prêmio SAE de Jornalismo 2021 com a reportagem "Onde estão os carros autônomos que nos prometeram?", publicada no Tecnoblog. 

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque