A guerra entre Apple e Qualcomm ficou ainda mais acirrada. A empresa de Tim Cook interrompeu os pagamentos de royalties à fabricante de chips, e só vai retomá-los quando um tribunal decidir quem está certo na disputa entre as duas empresas.

“Estamos tentando chegar a um acordo de licenciamento com a Qualcomm há mais de cinco anos, mas eles se recusaram a negociar termos justos”, diz a Apple em comunicado à imprensa. “Sem uma taxa estipulada para determinar quanto é devido, suspendemos os pagamentos até que o montante correto possa ser determinado pelo tribunal.”

Foto por Kārlis Dambrāns/Flickr

A Qualcomm detém patentes que são consideradas essenciais para smartphones e tablets com dados móveis, mesmo os que não usam um chip da fabricante. Em casos como esse, as empresas normalmente fazem licenciamentos em termos FRAND — sigla em inglês para justo, razoável e não-discriminatório — cobrando uma porcentagem do preço total de venda.

No entanto, a Apple acusa a Qualcomm de abusar de seu poder de mercado para cobrar valores acima do razoável. No processo judicial aberto em janeiro, ela diz que a fabricante lhe deve cerca de US$ 1 bilhão.

A Qualcomm, por sua vez, abriu um processo contra a Apple este mês, acusando-a de limitar o desempenho de seus chips 4G no iPhone 7 para favorecer os componentes da Intel.

A fabricante também diz que a Apple instigou investigações antitruste nos EUA, Coreia do Sul, Taiwan e Europa fazendo falsas alegações para agências governamentais, com o objetivo de reduzir as taxas de licenciamento.

A Apple, então, revidou: seus fornecedores não pagarão royalties referentes ao primeiro trimestre de 2017 enquanto não houver uma decisão judicial sobre o caso. (Ela não tem uma licença direta com a Qualcomm, ao contrário de outras empresas de smartphones.)

A Qualcomm já reduziu sua previsão financeira para o trimestre, esperando uma receita de US$ 4,8 bilhões a US$ 5,6 bilhões (antes a faixa era de US$ 5,3 bilhões a US$ 6,1 bilhões). Desde o processo da Apple em janeiro, as ações da Qualcomm caíram 17%.

A divisão de licenciamento da Qualcomm é bastante lucrativa e financia a pesquisa e desenvolvimento de novos processadores, incluindo a linha Snapdragon (a Apple usa processadores próprios). Agora, essa estratégia está sob ameaça.

Recentemente, a BlackBerry recebeu US$ 815 milhões da Qualcomm, porque estava pagando royalties demais em seu acordo de licenciamento para aparelhos vendidos entre 2010 e 2015.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Arley Martins
Tudo muito caro. No Brasil é exorbitante. S8 custando 4K e versão top 4.6k(mini tablet) iphone plus 4.6K a versão top a vista. Isso é um assalto, bora geral entrar com processo também. Resumindo, esta tudo errado.
Rafael
É bem diferente a venda de um produto no varejo, com concorrentes e o pagamento de royalties (monopolizados por patentes) entre grandes indústrias.
RealSuricato
Acho estranho alguém que cobra o que quer pelos seus produtos entrar com uma ação judicial contra um fornecedor de tecnologia que cobra o que acha que vale suas patentes. Todos os donos de iPhone deveriam entrar com uma ação contra a apple. Justo não?
Marco Antonio
Mas a Apple não tem monopólio de mercado, mas do jeito que os juízes dos EUA são quem sabe alguém não ganha uma bolada com um processo desse tipo. kkk
Paulo Manso
"a Apple acusa a Qualcomm de abusar de seu poder de mercado para cobrar valores acima do razoável" E os preços dos iPhones não estão acima do razoável? haha
Henrique Queirós
Isso vai é dar mais espaço pra processos contra a Apple. Fico na dúvida de qual das duas estão abusando mais....