Início » Telecomunicações » Operadoras defendem equipamentos 5G da Huawei no Brasil

Operadoras defendem equipamentos 5G da Huawei no Brasil

Sem equipamentos da Huawei, operadoras brasileiras temem alto custo de implementação de 5G

Lucas Braga Por

É crescente a pressão dos Estados Unidos para que os outros países não adotem rádios 5G da Huawei, e as empresas de telecomunicações que atuam no Brasil temem que o governo aplique medidas de restrição. As operadoras iniciam nas próximas semanas uma espécie de lobby com ministros para evitar sanções aos equipamentos da fabricante chinesa.

Huawei

De acordo com o Estadão, representantes das operadoras irão se reunir com Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional, Braga Netto, Ministro da Casa Civil, e Ernesto Araújo, Ministro das Relações Exteriores. As empresas devem apresentar o panorama do mercado brasileiro, mas também defenderão continuidade na utilização de equipamentos da Huawei.

A palavra final é do presidente Jair Bolsonaro. Até o momento, o edital de licitação de frequências de 5G não menciona qualquer restrição explícita para a fabricante. Em janeiro, o ministro Marcos Pontes, que chefiava a pasta das comunicações, afirmou que o Brasil não aceitaria pressão dos Estados Unidos.

Serviços de telefonia podem encarecer sem Huawei

As operadoras temem que a sanção possa aumentar os custos. A fabricante tem contratos com Claro, Oi, TIM e Vivo; a Anatel estima que entre 86 mil antenas de rádio em operação no país, 70 mil utilizam equipamentos da Huawei nas tecnologias 2G, 3G e 4G. Com isso, quem escolhesse a Huawei para 5G iriam aproveitar a infraestrutura existente.

O banimento da empresa acarretaria na troca de diversos componentes que não caberiam no orçamento, e concentraria o mercado nas mãos de Ericsson e Nokia. Segundo o Estadão, as operadoras elogiam a Huawei por oferecer produtos de alta qualidade com preço melhor que a concorrência.

Nesta semana, o secretário de estado dos Estados Unidos informou que a Huawei havia perdido contratos de diversas operadoras no mundo, incluindo o grupo Telefónica, dono da Vivo no Brasil. A informação é conflitante: a fabricante chinesa foi escolhida para implementação na Espanha, mas com participação reduzida. Além disso, o CEO da Vivo defendeu o uso de equipamentos da Huawei e considera que a empresa “é uma das tecnologicamente mais avançadas”.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
12 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Pedro Willyam Calheiros (@pedrowillyam)

Uma possibilidade de não participação da Huawei no 5G brasileiro só podia vir nesse governo idiota capacho dos EUA.

² (@centauro)

Pois é.
Ainda bem que são dois países que respeitam muuuuuito a privacidade e a dignidade das pessoas! Né? Né?

Jefferson Rodrigues (@Jefferson_Rodrigues)

Manda o governo americano se foder e libera a empresa chinês, que já atua há muitos anos aqui.

Alex (@wuhkuh)

O problema desse embate é que tanto a China quanto os EUA tem rabo sujo, no final é melhor ficar com o que cobrar menos kk

Bruno (@Unknown)

É de grande tristeza abrir caixas de comentarios destas noticias e a unica coisa que se lê é “brasil cadela dos eua”, “vamos ser espionados por qualquer um”, etc.

Infelizmente não só sobre a Huawei, mas em qualquer assunto relacionado a China o buraco é mais em baixo, não se trata só de “EUA querendo passar a rasteira na China”, neste caso do 5G em especifico é um assunto muito serio em relação a confiabilidade dos dados de bilhões de pessoas e empresas, o negocio é tão sério que os EUA estão querendo até subsidiar equipamentos da Nokia e Ericsson que nem americanas são, alem de montar um consorcio de desenvolvimento open source do 5G.

thetimes.co.uk China ‘planted bugs’ while building African Union HQ

China planted bugs to spy on discussions at the glittering African Union headquarters in Addis Ababa that it built five years ago, it has been claimed.The alleged hack was discovered when IT engineers

O continente africano ja vive atualmente um problemão por ter dado muita corda a China, agora estão dependentes de emprestimos e financiamentos deles e com mãos atadas sobre problemas de espionagem que ocorrem descaradamente, afinal, se falar uma virugla acaba o dinheiro.

WSJ Huawei Technicians Helped African Governments Spy on Political Opponents

Employees embedded with cybersecurity forces in Uganda and Zambia intercepted encrypted communications and used cell data to track opponents, according to a Wall Street Journal investigation. Huawei said it “rejects completely the unfounded and...

No Brasil, o governo que se diz “anti-comunista” mas peida ao falar da china vai ter que escolher lado neste embate agora, dinheiro Chines vs uma possivel quebra de privacidade de seus cidadãos, to pagando pra ver isso.

² (@centauro)

Infelizmente enquanto comodidade e conveniência forem mais importante pras pessoas do que a segurança de dados, nenhuma dessas notícias importará.

Leonardo G. Roese (@leonardoroese)

As empresas chinesas estão fazendo o que sempre fizeram, cópia. Espionagem é mais uma cópia dos EUA, o problema é que agora estão deixando de ser a mão de obra escrava do capitalismo e inovando um pouco, virando o jogo. Ao invés de ser explorada apenas, passa a explorar também. Nesse ponto foram sábios, deixando a tecnologia Americana entrar, fazendo a engenharia reversa, educando seu povo para produzir tecnologia se tornando independente. Todas as empresas que visaram lucro com mão de obra barata da China (olhos da ganância) enviando tecnologia para ser produzida por lá, agora ganharam concorrentes.

ochateador (@ochateador)

Poxa pessoal… é tão simples resolver o assunto.
Só usarem equipamentos da Positivo, CCE, Multilaser e ajudarem a desenvolver a indústria brasileira.

Matt (@hadtohear)

e elas vão lá, compram equipamentos da china white label e só coloca o logo. E diz que está ajudando a industria nacional

teo venier (@teo_venier)

Não sei pq acho q foi irônico

teo venier (@teo_venier)

A china se não for o maior deve ser o segundo maior mercado consumidor dos produtos agrícolas brasileiros, e quem são os empresários q bancam o atual presidente? Os exportadores do agronegócio

teo venier (@teo_venier)

Os EUA utilizam as empresas americanas para espionar o mundo já tem décadas, então ficar nessa de “aí os chineses vai nos espionar” tanto faz sempre vai ter alguém espionando não importando esse papo de privacidade. Olha o tanto de bug q processador Intel tem desde 1990

Bruno (@Unknown)

Não é bem assim fera, já é conhecido desde sempre que os EUA espionam todo mundo mesmo aliados, não só eles, todo pais faz isso até mesmo o Brasil com seus vizinhos. No caso da China é completamente diferente justamente por ser um regime fechado, autocrata e totalitário. No caso da Huawei por exemplo ja existem ameaças da China a outros países no caso de suspensão da entrada destes equipamentos em seus países, os EUA mesmo já disseram que equipamentos em escala da Huawei por aqui poderiam dificultar as negociações sobre Alcantara e depois voltou atrás dizendo que não tem relação, de todo modo, até hoje não chegaram a fazer ameaças do mesmo modo que a China esta fazendo.

Então não, não existe essa de tanto faz, sugiro dar uma lida sobre o que a China anda fazendo descaradamente por ai, você vai entender o tamanho do buraco.

teo venier (@teo_venier)

Vc está misturando dois assuntos totalmente distintos, eu e o Trump estamos falando da privacidade das pessoas comuns qnd utilizando a internet, tipo, não precisar colocar fita crepe na câmera do notebook pra evitar os americanos da NSA ficar vendo oq vc está fazendo. Enquanto que oq vc está falando é de terrorismo governamental, tipo criar um vírus e espalhar ele no mundo inteiro até chegar em uma centrífuga de beneficiamento de urânio e explodir a fábrica toda no Irã.

teo venier (@teo_venier)

Esqueci de mais uma coisa, sobre um governo fazer pressão pra q outro país se submeta ao seus caprichos, vamos a um exemplo, o petróleo brasileiro não é bom pra fazer gasolina, o Brasil tem de importar vários produtos químicos alem de petróleo para refinar e produzir os derivados. Imagina se os EUA falem com os fornecedores desses produtos q se venderem pro Brasil não vão poder fazer comercio com os EUA. Vc acha q algum país vai querer se meter com o Brasil e parar de fazer negócios com os EUA? E se vc acha q isso não acontece, só olhar pra Venezuela (independente de ter um ditador no poder) o problema para a população não ter gasolina não é a ditadura é a falta de químicos para o refino do petróleo q eles tem e muito. Imagina o prejuízo q o agronegócio no Brasil teria se a china parasse completamente de comprar os produtos brasileiros?

Exibir mais comentários