Início » Brasil Telecom » Vivo lança rede HSPA+ em São Paulo

Vivo lança rede HSPA+ em São Paulo

Operadora promete download de 3 Mbps com picos de 6 Mbps (se tudo der certo).

Por
7 anos atrás

A Vivo acaba de anunciar em São Paulo a evolução do 3G em sua rede de dados. O HSPA+ chega ao mercado inicialmente no DDD 11 (ou seja, Grande São Paulo) com o nome comercial de 3GPlus. De acordo com o Grupo Telefônica, a Vivo é a primeira operadora brasileira a oferecer publicamente o HSPA+.

Na região metropolitana de São Paulo o 3GPlus chega por meio do plano Vivo Internet Brasil com franquia de 10 GB pelo valor mensal de R$ 199,90. O cliente que assinar o serviço garante para si modem 3G compatível com a tecnologia fornecido pela ZTE. Pelo que a empresa explica, o Vivo Internet Brasil com HSPA+ vai funcionar também em smartphones e tablets. A operadora cita publicamente a compatibilidade do Galaxy SII e Galaxy Tab 10.1, ambos da Samsung. Na coletiva a Vivo confirmou que mais três dispositivos serão adicionados ao portfólio inicialmente restrito.

Vivo apresenta HSPA+ com nome comercial 3GPlus

 

As velocidades de conexão são as seguintes: download médio de 3 Mbps, com picos de até 6 Mbps; o upload fica na casa dos 800 kbps a 1 Mbps. A Vivo não fala especificamente nas promessas de down e de up, limitando-se a dizer que o HSPA+ garante velocidades três vezes mais rápidas que na rede HSPA convencional.

Quando o limite de 10 GB chegar, a velocidade cai para 256 kbps. Essa é a mesma velocidade do plano Internet Brasil 10 GB atual. Um dos diretores da operadora disse que foi uma decisão comercial, porém com objetivo de proteger a saúde da rede de dados.

Na demonstração conduzida na sede da Vivo – ao lado de uma enorme antena da empresa, devo dizer – o site Speed.io apontou velocidades de 6.212 kbps de download e 825 kbps de upload. O famoso anúncio da Vivo com a música “Eduardo e Mônica” também foi exibido em qualidade de 720p sem engasgos (exceto pelo notebook com placa de vídeo porcaria, que insistia em engolir frames do comercial).

Teste do HSPA+ na sede da Vivo

Para que o HSPA+ chegasse à sua rede foram necessárias atualizações na estações de radiobase, nome técnico das instalações de antena e entorno. Também foi necessário atualizar o software da rede da Vivo para que as mudanças tivessem efeito. Em tese a tecnologia suportaria até 21 Mbps, conforme apontam testes feitos em condições de laboratório (a Vivo não endossa essa informação).

Pelo que a empresa divulga, o HSPA+ foi habilitado em toda a rede 3G da companhia no país inteiro. Como se trata de uma oferta inicial, a comunicação e as vendas de produtos com a marca 3GPlus estarão limitas a São Paulo. No entanto, o cliente em roaming terá a mesma velocidade.

O consumidor interessado no HSPA+ da Vivo terá que comprar produtos específicos compatíveis com a tecnologia. Hilton Mendes, diretor de desenvolvimento de terminais da Vivo, explicou-me que aparelhos não-compatíveis também terão melhorias de velocidade, mas não é garantido que chegue aos 3 Mega. Ao que tudo indica, o novo iPhone 4S – que deve chegar ao mercado brasileiro nas próximas semanas – vai funcionar com o 3GPlus; o mesmo não vale para o iPhone 4.

É importante dizer que o HSPA+ funciona a partir de hoje em toda a rede da Vivo. No entanto, a velocidade mais elevada será somente para o plano Vivo Internet Brasil 10 GB. Trata-se de um plano premium com valor mais elevado. Quem tem o Vivo Internet Brasil com qualquer franquia inferior aos 10 GB continua com as velocidades de antes. A Vivo promete novas franquias do HSPA+ para o futuro.

Antena da Vivo em SP

Praticamente respondendo aos recentes lançamentos da TIM (porém sem citar a concorrente), Paulo César Teixeira, diretor-geral da Telefônica Vivo, disse que não adianta oferecer acesso ilimitado à internet se somente poucos usuários vão demandar a quase a totalidade da rede.

Aproveitando a convergência, a Vivo tem uma oferta em conjunto com a Telefônica na qual qualquer cliente do Speedy (não importa o plano) paga R$ 99,50 por mês. A empresa deu a entender que não é promoção e que o desconto vai vigorar indefinidamente.

Sobre o 4G: o diretor-geral da Vivo disse que não comentam a tecnologia mais avançada de transmissão de dados por enquanto. Cabe lembrar que vem por aí mais um leilão da Anatel com restos de espectro. E isso é tudo o que eles dizem sobre o assunto.