Notícias Negócios

iFood dobra taxas de entrega para alguns restaurantes

iFood muda taxa de entrega para restaurantes; delivery teve aumento na demanda durante quarentena do coronavírus (COVID-19)

Felipe Ventura
Por

As melhores ofertas,
sem rabo preso

O iFood modificou a taxa de entrega para restaurantes que participam da plataforma: em alguns casos, o aumento foi de 100%. Ela afirma que os valores são variáveis e foram reduzidos para outros estabelecimentos. A empresa teve um aumento na demanda junto ao Rappi e Uber Eats durante a quarentena para conter o contágio do coronavírus, causador da COVID-19.

iFood

“Na próxima sexta-feira, dia 15/05, mudaremos a taxa de entrega do seu restaurante”, avisou o iFood em um comunicado aos estabelecimentos. “Não se preocupe, o objetivo é melhorar a qualidade de serviço das nossas entregas e aumentar a capacidade de vendas do seu restaurante na sua região.”

O iFood explica em comunicado ao UOL que “alguns parceiros tiveram diminuição e outros, aumento” dependendo da cidade e raio de entrega. A empresa afirma que as taxas de entrega “acompanharão o dinamismo do mercado” com o objetivo de “manter o nível de serviço e de pedidos para todos os restaurantes”.

Em um exemplo obtido pelo UOL, as taxas de entrega passaram a variar entre R$ 6,99 e R$ 13,99; antes, elas ficavam entre R$ 3,99 e R$ 11,99 dependendo da distância entre o restaurante e o cliente.

Estes são os valores desse caso específico, que podem variar de um restaurante para outro:

Distância máximaTaxa de entrega antigaTaxa de entrega novaAumento
1 kmR$ 3,99R$ 6,9975%
2 kmR$ 3,99R$ 7,99100%
3 kmR$ 4,99R$ 7,9960%
4 kmR$ 5,99R$ 9,9967%
5 kmR$ 7,99R$ 11,9950%
6 kmR$ 11,99R$ 12,998%
7 kmR$ 11,99R$ 13,9917%
mais de 7 kmR$ 11,99R$ 13,9917%

iFood cobra até 27% dos restaurantes

Planos iFood Básico e Entrega

Existem dois planos do iFood para restaurantes:

  • o plano Básico (sem entregador) custa R$ 100 mensais para vendas acima de R$ 1.800 no mês, com taxa de 12% sobre o valor de cada pedido, mais 3,5% para os pagamentos feitos diretamente pelo app (referente à taxa cobrada pelos cartões);
  • o plano Entrega (com entregador) custa R$ 130 mensais para vendas acima de R$ 1.800 no mês, com taxa de 27% sobre cada pedido.

No plano iFood Básico, o restaurante é responsável por contratar os motoboys e fazer a entrega. No plano Entrega, o iFood cuida de gerenciar os entregadores e fazer o rastreamento do delivery, por isso pode controlar o valor da taxa cobrada dos clientes.

O iFood não confirma se o aumento das taxas será repassado aos entregadores, explicando apenas que seus parceiros são remunerados de acordo com a distância percorrida, cidade e dia da semana.

Segundo a empresa, 61% dos entregadores receberam R$ 19 ou mais por hora trabalhada no mês de abril. Além disso, “os ganhos médios mensais dos entregadores que têm a atividade de entregas como fonte principal de renda aumentaram 36% em abril quando comparado a fevereiro”.

O iFood criou dois fundos de R$ 1 milhão cada para ajudar entregadores nos grupos de risco, e para remunerar parceiros afastados por suspeita ou infecção por coronavírus. Além disso, a empresa preparou um fundo de R$ 50 milhões para auxiliar restaurantes, reduzindo comissões e antecipando pagamentos.

Um levantamento feito pela Rede, empresa de pagamentos do Itaú, mostra que as compras de delivery pagas no cartão cresceram 59% em abril, se comparadas ao período anterior às medidas de isolamento.

Felipe Ventura

Felipe Ventura fez graduação em Economia pela FEA-USP, e trabalha com jornalismo desde 2009. Começou no TB em 2017 como editor de notícias, ajudando a cobrir os principais fatos de tecnologia, e hoje coordena um time de editores-assistentes e a rotina das editorias. Sua paixão pela comunicação começou em um estágio na editora Axel Springer na Alemanha. Foi repórter e editor-assistente no Gizmodo Brasil.

Mais Populares

Responde

Relacionados

Em destaque