5G da TIM pode ir na contramão da Vivo e sair mais caro para clientes atuais

TIM não revelou aspectos comerciais do 5G e não diz se irá atualizar planos atuais para a quinta geração; operadora enxerga motivos para tarifação diferenciada

Lucas Braga
Por

As primeiras redes comerciais de 5G devem começar a surgir logo após a liberação das frequências pela Anatel, e as operadoras já se preparam para lançar a nova tecnologia. Na contramão da Vivo, executivos da TIM demonstraram que não faz muito sentido liberar o acesso à rede para todos os clientes.

Loja da TIM
Loja da TIM (Imagem: Lucas Braga / Tecnoblog)

Durante a coletiva, executivos da companhia não revelaram detalhes sobre a estratégia comercial da quinta geração e não confirmaram se os atuais clientes terão upgrade automático para o novo padrão.

O diretor de receita da TIM, Alberto Grisseli, disse que a empresa estuda cobrar preços diferentes para públicos com necessidades especiais. Só que isso não diz muita coisa: o uso industrial do 5G é uma potencial fonte de receita para a operadora, e a precificação para esse público-alvo já é diferente da telefonia móvel pessoal.

O executivo também diz que criar ofertas de 5G com alcance nacional não faz muito sentido, uma vez que o público será restrito por conta do cronograma de cobertura. A Anatel estabelece que todas as capitais deverão ter a tecnologia disponível em todas as capitais brasileiras até julho de 2022, com pelo menos uma antena para cada 100 mil habitantes.

Mas a TIM não cobra mais caro pelo 5G DSS…

Atualmente, a TIM mantém uma rede 5G DSS – que depende do compartilhamento dinâmico de espectro utilizado com outras tecnologias – em algumas cidades e não cobra mais caro pelo acesso.

No entanto, o CEO da companhia, Pietro Labriola, afirma que não dá pra comparar o 5G DSS com o 5G Standalone, uma vez que a implementação do padrão puro gera gastos adicionais na construção da rede ao contrário do compartilhamento dinâmico de espectro.

Labriola também lembra que a cobertura do DSS é muito restrita – e de fato não faria sentido cobrar mais caro por um serviço pouco abrangente. Ele finaliza comparando o 5G com o Uber: “Existe o Uber Black, que é um outro nível e é relacionado com a qualidade de serviço”.

Apesar de dar todos os indícios e posicionamentos dos executivos, a TIM não disse explicitamente se cobrará mais caro ou exigirá contratação de planos específicos para usar o 5G. Por outro lado, a Vivo afirmou que os pacotes atuais de todos os clientes serão automaticamente atualizados para funcionar com a quinta geração.

Outro detalhe importante: a TIM informou que os clientes não precisarão trocar de chip para acessar as redes 5G. De acordo com o UOL Tilt, a Claro exigirá a migração para um SIM Card mais moderno.