Celular Seguro registra mais de 4 mil bloqueios na primeira semana

No topo do ranking, São Paulo teve 1.125 casos de furto ou roubo de smartphone durante o período. Uber, 99 e iFood devem integrar sistema nas próximas semanas.

Thássius Veloso
Por
Cadastro de telefone no Celular Seguro (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)
Resumo
  • Registros iniciais: O programa registrou 4.349 alertas de furtos e roubos de smartphones na primeira semana.
  • Alertas por estado: São Paulo liderou com 1.125 alertas, seguido por Rio de Janeiro (494) e Pernambuco (324).
  • Funcionalidade: O Celular Seguro age como um Boletim de Ocorrência eletrônico e turbinado, que notifica empresas parceiras sobre os furtos e roubos, para que ocorra o bloqueio dos acessos.
  • Futuro do programa: Ricardo Cappelli, secretário-executivo do Ministério da Justiça, enfatizou a independência do sistema e a meta de integrar mais empresas, incluindo plataformas de serviços digitais.

O sistema Celular Seguro registrou 4.349 alertas na primeira semana de funcionamento, de acordo com balanço divulgado no fim da manhã de hoje pelo Ministério da Justiça. Elaborado pelo governo federal, o programa tenta reduzir a onda de furtos e roubos de smartphones pelo país.

A pasta informou que quase 798 mil CPFs se cadastraram na plataforma, que pode ser acessada tanto pelo aplicativo oficial quanto pelo computador. Foram quase 580 mil telefones incluídos no Celular Seguro. Já o número de pessoas de confiança beira os 529 mil registros.

Confira os estados que mais registraram bloqueios:

  1. São Paulo – 1.125
  2. Rio de Janeiro – 494
  3. Pernambuco – 324
  4. Bahia – 308
  5. Minas Gerais – 287
Balanço do Celular Seguro divulgado em 27/12/2023
Balanço do Celular Seguro divulgado em 27/12/2023 (Imagem: Reprodução/Ministério da Justiça)

Funcionamento do Celular Seguro

A iniciativa do governo funciona como uma espécie de Boletim de Ocorrência turbinado. A proposta é que a vítima de furto ou roubo dispare um comunicado que é encaminhado para todas as empresas participantes do ecossistema. Atualmente, os principais bancos e as maiores operadoras de telefonia estão conveniados ao Celular Seguro.

Isso significa que o banco recebe a comunicação de furto/roubo e pode bloquear os acessos às contas daquele consumidor. A expectativa da Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) é que o bloqueio ocorra em questão de minutos. O prazo seria de até 30 minutos para Banco do Brasil, Caixa, Sicredi e Bradesco.

Mão segurando smartphone. Na tela há botões de "Pessoas de Confiança", "Registrar Telefone" e "Registrar Ocorrência".
Interface do aplicativo Celular Seguro no iOS (Imagem: Thássius Veloso/Tecnoblog)

Smartphone não fica totalmente bloqueado

O secretário-executivo do Ministério da Justiça, Ricardo Cappelli disse em entrevista ao Tecnoblog que foi dado um primeiro passo em direção a um ambiente mais seguro para os smartphones. Ele reconheceu que o sistema precisa evoluir para englobar, por exemplo, as principais empresas do setor de celulares: Apple, Google e Samsung. Elas oferecem ferramentas nativas para rastrear e bloquear remotamente os aparelhos, mas isso tudo ocorre de maneira independente. Os sul-coreanos até oferecem o serviço Cadeado Galaxy.

Cappelli também acredita na maior adesão de plataformas de serviços digitais. Aplicativos do porte de Uber, 99 e iFood devem se integrar ao Celular Seguro nas próximas semanas. Seria uma questão técnica para a comunicação entre o ministério e as bases de dados destas empresas.

Principal nome por trás do programa, Cappelli respondeu às falas de que o governo irá monitorar o smartphone do cidadão: “Isso é loucura, é teoria da conspiração, é terraplanismo”. O secretário-executivo disse que a administração pública “não sabe e nem quer saber com quais empresas aquele consumidor tem relação”.

Receba mais sobre Ministério da Justiça na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Thássius Veloso

Thássius Veloso

Editor

Thássius Veloso é jornalista especializado em tecnologia e editor do Tecnoblog. Desde 2008, participa das principais feiras de eletrônicos, TI e inovação. Na mídia, também atua como comentarista da GloboNews e da CBN, além de ser palestrante, mediador e apresentador de eventos. Já apareceu no Jornal Nacional, da TV Globo, e publicou artigos na revista Galileu e no jornal O Globo. Ganhou o Prêmio Especialistas em duas ocasiões e foi indicado diversas vezes ao Prêmio Comunique-se.

Canal Exclusivo

Relacionados