Celular roubado: o que fazer para proteger apps e recuperar dados

O Tecnoblog reuniu dicas de segurança e tutoriais para te ajudar a rastrear, bloquear e recuperar os dados de um celular roubado ou furtado

Bruno Gall De Blasi Ana Marques
Por e
• Atualizado há 7 meses
Pessoa segurando smartphone. Foto: Dariusz Sankowski/Pixabay
Seu celular foi roubado? Saiba o que fazer (Imagem: Dariusz Sankowski/Pixabay)

Segundo o Anuário de Segurança Pública 2022, 3,7 milhões de celulares foram roubados ou furtados entre os anos de 2018 e 2021. Além do prejuízo que envolve repor um smartphone perdido, a situação pode acarretar golpes financeiros e exposição de informações pessoais. Confira, a seguir, um guia completo do que fazer para proteger seus dados nesse tipo de situação.

Faça o Boletim de Ocorrência

O primeiro passo é fazer o boletim de ocorrência online pelo crime de roubo de celular. O procedimento não garante que seu aparelho será recuperado, mas oferece ao dono do aparelho maior segurança caso o telefone seja usado de forma ilícita.

Por exemplo: se ladrões utilizarem um aplicativo de banco do celular roubado para realizar saques na sua conta, é importante ter o comprovante de que o aparelho não estava com você durante o ocorrido.

Além disso, registrar o boletim de ocorrência junto a uma autoridade competente ajuda a elaborar as estatísticas de segurança pública no Brasil. Essa base é usada para elaborar ações e políticas para conter ações de criminosos em todo o país.

Você pode tentar rastrear o celular roubado

Você pode rastrear um celular roubado ou perdido por aplicativos como o Encontre Meu Dispositivo, para Android, ou o Buscar, para iPhone. A Samsung e a Xiaomi também oferecem opções próprias para fazer a verificação.

Não se arrisque!

Não tente reaver o seu celular por conta própria! Se conseguir rastrear o aparelho roubado, acione a polícia.

Ferramentas nativas ajudam a rastrear a localização de aparelhos perdidos ou roubados (imagem ilustrativa: Rawpixel/PxHere)
Ferramentas nativas ajudam a rastrear a localização de aparelhos perdidos ou roubados (imagem ilustrativa: Rawpixel/PxHere)

Bloqueie o celular para proteger seus dados

Bloquear o seu celular remotamente impede que seus dados pessoais sejam acessados por terceiros. Isso inclui aplicativos de bancos, senhas de cartões de crédito, contas de redes sociais e e-mails.

Também é possível adicionar uma mensagem na tela de bloqueio, com os seus dados de contato, por exemplo. Esse recurso é especialmente útil caso o aparelho tenha sido perdido e não roubado.

Apague todos os dados do celular

É possível apagar os dados de seu celular roubado por meio dos aplicativos oficiais de cada marca. Tanto Android quanto iPhone possuem ferramentas nativas para isso: o Encontre o Meu Dispositivo, do Google, e o Buscar, da Apple. Samsung e Xiaomi também têm alternativas para deletar suas informações do aparelho.

Celulares com iOS 15 ou superior e aparelhos da Xiaomi ainda podem ser rastreados mesmo depois serem apagados. No entanto, vale lembrar que o processo é irreversível – restaurando o aparelho para as configurações de fábrica, todas as informações serão apagadas de forma definitiva.

Pense bem!

É importante que você só siga essa etapa caso tenha certeza de que não irá recuperar o aparelho.

Faça o bloqueio do IMEI junto à operadora

Ao bloquear o IMEI do celular na operadora, você está impedindo que o aparelho tenha acesso às redes da Claro, TIM e Vivo. Ele ainda poderá se conectar à internet via Wi-Fi e transferir dados com o Bluetooth, mas não poderá mais fazer ligações ou acessar as redes de dados (3G, 4G e 5G) das operadoras.

Atenção!

É importante que você só siga esse passo depois de já ter apagado todos os dados do aparelho. Isso porque o aparelho precisa estar conectado à internet para receber o comando de apagar os dados.

Você também deve bloquear o chip e IMEI caso seu celular tenha sido roubado (Imagem: Reprodução)
Você também deve bloquear o chip e IMEI caso seu celular tenha sido roubado (Imagem: Reprodução)

Bloqueie o chip do celular

Ao bloquear um chip da Claro, Vivo ou TIM, ninguém poderá acessar a sua linha a partir dele, mesmo que o SIM card seja colocado em outro dispositivo. O procedimento é importante para evitar que criminosos obtenham códigos de verificação em duas etapas ou até mesmo utilizem o seu WhatsApp para aplicar golpes.

E digo por experiência própria: logo depois que o meu iPhone 5C foi furtado, em 2017, instalaram o meu cartão SIM em um Galaxy S3 e tentaram acessar o meu e-mail e contas de rede social para coletar dados pessoais. Para mim, esse episódio foi pior que o roubo em si, pois tive a minha privacidade violada em questão de minutos.

Não consegui bloquear o aparelho. O que fazer?

Caso você não consiga utilizar o app Buscar ou Encontre Meu Dispositivo para bloquear e apagar informações pessoais, siga os procedimentos abaixo para manter seus dados seguros.

Saia de todas as contas logadas no celular roubado

Fazer logout do Facebook e desconectar o Instagram à distância pode ajudar a evitar que terceiros acessem suas redes sociais.

Atenção redobrada para aplicativos de banco e instituições financeiras! Por exemplo, você pode desvincular a sua conta do Nubank do aparelho roubado para evitar surpresas desagradáveis na fatura.

Certifique-se ainda de sair da sua conta do Telegram e desconectar o WhatsApp do celular roubado. Caso não esteja usando o mensageiro em outro dispositivo, você também pode desativar o WhatsApp temporariamente.

Todo cuidado é pouco: com esses aplicativos, quadrilhas podem enganar seus contatos para aplicar o golpe do Pix.

Altere suas senhas

Mudar a senha da conta Google impede que informações importantes armazenadas no Android, como fotos, e-mails e histórico de navegação, sejam acessados por pessoas mal intencionadas.

Saiba também como alterar a senha do iCloud para proteger dados no iPhone.

Se você ainda usa uma conta da Microsoft, não deixe de resetar a senha do Outlook.

Ao redefinir a senha do Instagram e alterar as credenciais do Facebook, você pode proteger suas contas nas redes sociais. Você pode definir um novo código de acesso ao Twitter e até mesmo mudar a senha do TikTok para reforçar a segurança do seu perfil.

Como o WhatsApp não é acessado por login e senha, configure o seu número em um celular novo para desligá-lo do smartphone roubado ou perdido. E se você ainda não ativou a autenticação em duas etapas, aproveite a oportunidade para habilitar a trava de segurança.

Também é importante trocar as senhas de acesso aos aplicativos de bancos, como o Banco do Brasil, Bradesco, C6 Bank, Caixa, Inter, Itaú, Santander e afins.

Veja como criar senhas fortes para dificultar os acessos indesejados.

Dica de segurança

Não deixe de alterar as suas senhas, independentemente de ter conseguido apagar os dados do celular roubado.

iPhone possui uma solução nativa para apagar todos os dados pessoais em caso de furto ou roubo (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
iPhone possui uma solução nativa para apagar todos os dados pessoais em caso de furto ou roubo (Imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Posso apagar dados do cartão de memória remotamente?

Sim, com a Mi Cloud, da Xiaomi, e do Find My Mobile, da Samsung. Ao fazer a exclusão de dados do celular pelos aplicativos, o cartão de memória inserido no smartphone também será apagado.

Já o Encontre Meu Dispositivo, do Google, exclui permanentemente todos os dados do seu smartphone, mas não exclui os dados dos cartões SD.

Ao Tecnoblog, Daniel Barbosa, especialista em segurança da informação da ESET, explica que é possível se precaver para evitar dores de cabeça:

“Uma forma interessante de proteger o cartão de memória é criptografá-lo, assim mesmo que ele seja removido do dispositivo os dados não estarão legíveis”, afirmou. “Para esse procedimento é necessária uma configuração prévia, mas vários dos dispositivos atuais já possuem recursos nativos para realizar esta criptografia de forma simples.”

Recuperando os dados em outro celular

O backup no Android e no iPhone (iOS), pelo Google One e iCloud, respectivamente, permite recuperar dados de um celular roubado ou perdido em outro aparelho. Com isso, aplicativos, senhas e outras informações são resgatadas. Também é possível recuperar cópias de segurança individualmente pelo WhatsApp, Telegram e o Google Fotos.

Mudaram minhas senhas. E agora?

Como recuperar uma conta Google

Você pode recuperar a conta Google mesmo sem o telefone por perto. O processo é realizado com outras informações, além da senha e do código de verificação enviado por SMS ou ligação, ao digitar as credenciais anteriores. O serviço ainda oferece a possibilidade de responder perguntas de segurança para reaver o acesso ao email. 

Como recuperar Apple ID

Apple ID também pode ser recuperado caso você tenha outro dispositivo da empresa em mãos, por meio das próprias configurações do aparelho. Além disso, a Apple garante a possibilidade de configurar Contatos de Recuperação para reaver o acesso.

Recuperando o acesso às redes sociais

Existem processos para recuperar a senha do Facebook pelo computador ou celular. O mesmo funciona para a rede social de fotos: veja como recuperar a senha do Instagram.

Por fim, aprenda a resgatar a sua senha do Twitter e, não esqueça da rede mais recente: saiba como recuperar o acesso ao TikTok.

Saiba como recuperar o acesso à sua conta do Google (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)
Saiba como recuperar o acesso à sua conta do Google (Imagem: Solen Feyissa/Unsplash)

Posso recuperar a linha de um celular roubado?

Sim, é possível recuperar o número do seu celular roubado ao entrar em contato com a operadora, seja Claro, Vivo ou TIM. Você não paga para reativar a linha, caso ela tenha sido bloqueada, mas o novo SIM Card é cobrado.

Mais dicas de segurança

Verifique aplicativos de banco

Relate ao seu banco caso tenha sido vítima de roubo de celular.

O alerta não é em vão: ainda que o Pix seja revolucionário, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2022 ressalta que a ferramenta de pagamentos instantâneos é usada para roubar dinheiro das vítimas de roubo ou furto de smartphone.

Confira os canais de atendimento das principais instituições financeiras do país:

Instituição financeiraTelefonesOutros contatos
Banco do Brasil– Capitais e regiões metropolitanas: 4004 0001
– Demais localidades: 0800 729 0001
Agência (encontre a mais próxima no mapa do BB)
‌Bradesco– Capitais e regiões metropolitanas: 4002 0022
– Outras regiões: 0800 570 0022
– Deficiência auditiva/fala: 0800 722 0099
– Acesso do exterior: +55 11 4002 0022
Agência (encontre a mais próxima no mapa do Bradesco)
‌Banco Inter– Capitais e regiões metropolitanas: 3003 4070
– Demais localidades: 0800 940 0007
– Deficiente de fala e audição: 0800 979 7099
Central de ajuda do Banco Inter
Caixa– Capitais e Regiões Metropolitanas: 4004 0104
– Demais regiões: 0800 104 0104
– Clientes portadores de deficiências auditiva e de fala: 0800 726 2492
– Clientes no exterior: +55 (61) 3533 2000
Agência (econtre a mais próxima no mapa da Caixa)
‌C6 Bank– Capitais e regiões metropolitanas: 3003 6116
– Demais localidades: 0800 660 6116
WhatsApp: +55 11 2832 6088
Itaú‌– Capitais e regiões metropolitanas: 4004 4828
– Demais localidades: 0800 970 4828
– Deficientes auditivos ou de fala nas capitais e regiões metropolitanas: 4004 1999
– Deficientes auditivos ou de fala nas demais localidades: 0800 721 1999
– Clientes no exterior: +55 11 4004 4828
Agência (encontre a mais próxima no mapa do Itaú)
‌Mercado Pagonão informadoCentral de ajuda do Mercado Pago
Nubank0800 608 6236– Email: [email protected]
– Chat no app
Santander‌– Capitais e regiões metropolitanas: 4004 3535
– Demais localidades: 0800 702 3535
– Pessoas com deficiência auditiva e de fala: 0800 723 5007
Agências (encontre a mais próxima no mapa do Santander)
‌PicPay0800 025 8000 (SAC)– Atendimento em libras (clique aqui para iniciar)
Central de ajuda do PicPay
‌PagSeguronão informadoCentral de ajuda do PagSeguro

Importante ressaltar que estes contatos são destinados às contas para pessoas físicas.

Cuidado com os golpes!

Desconfie de ligações que solicitem dados ou e-mails e mensagens com links estranhos após ser roubado. Pode ser um golpista querendo desbloquear o aparelho.

Lembra de quando falei do meu iPhone 5C, furtado em 2017? Pois bem, eu recebi e-mails falsos do iCloud até 2020, informando que o meu celular foi encontrado. Mas, na verdade, a mensagem tinha um link malicioso para roubar a minha senha e remover o bloqueio do Buscar, que impede o uso do dispositivo.

blog da Kaspersky relatou outra história parecida. Na ocasião, a proprietária de um iPhone recebeu uma ligação de um suposto serviço de atendimento ao cliente afirmando que o celular foi encontrado. No entanto, ao seguir a orientação do suporte falso, a vítima acabou desvinculando o smartphone do seu iCloud, liberando-o para funcionar com outras contas. 

Claro, isto não acontece apenas com o iPhone.

Bruno Gall De Blasi

Bruno Gall De Blasi

Repórter

Bruno Gall De Blasi é jornalista e cobre tecnologia desde 2016. Sua paixão pelo assunto começou ainda na infância, quando descobriu "acidentalmente" que "FORMAT C:" apagava tudo. Antes de seguir carreira em comunicação, fez Ensino Médio Técnico em Mecatrônica com o sonho de virar engenheiro. Entrou para o Tecnoblog em 2020 e também escreveu para o TechTudo e iHelpBR.

Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e escreve sobre tecnologia há 7 anos. Formada pela UFRJ, está na equipe do Tecnoblog desde 2020. Já passou pelo TechTudo (Globo) e pelo hub de conteúdo do Zoom, onde cobriu eventos nacionais e internacionais, analisando celulares, fones e outros eletrônicos. De 2019 a 2022, escreveu a coluna semanal "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Antes disso tudo, cursou Farmácia e fundou uma banda de rock.

Relacionados

Relacionados