OpenAI estaria trabalhando em um buscador para concorrer com Google

Segundo informações de fontes internas, buscador da OpenAI usaria o Bing, da Microsoft, para fornecer parte de suas funcionalidades

Giovanni Santa Rosa
Por
OpenAI
OpenAI já oferece recursos do Bing na versão paga do ChatGPT (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

A OpenAI estaria desenvolvendo um serviço de busca na internet, usando o Bing, da Microsoft, como base. Ainda não se sabe se o produto seria integrado ao ChatGPT ou se funcionaria separadamente. De qualquer forma, pode ser mais uma tentativa de ameaçar o domínio do Google neste mercado.

Os planos da OpenAI foram compartilhados por uma fonte interna não identificada, ouvida pelo site The Information. A empresa não confirma os planos.

O uso do Bing para parte das funcionalidades do buscador da OpenAI é uma decisão bastante natural. A Microsoft é uma das maiores investidoras da companhia de inteligência artificial, sendo dona de 49% da sociedade. O próprio ChatGPT tem, em sua versão paga, um recurso para fazer buscas usando o Bing.

IA teve pouco efeito na briga do Bing com o Google

Se os planos forem reais, pode ser mais um motivo de preocupação para o Google. A ascensão rápida da inteligência artificial generativa entre o fim de 2022 e os primeiros meses de 2023 fez muita gente questionar se a gigante das buscas continuaria relevante no longo prazo.

Aparentemente, a avaliação interna do Google foi semelhante. Relatos internos apontam que a empresa apressou o lançamento do Bard, seu primeiro chatbot com IA generativa, para dar uma resposta ao ChatGPT e ao novos recursos do Bing. Recentemente, ela apresentou o Gemini, que parece mais preparado para enfrentar a concorrência.

Novo Microsoft Bing tem caixa de texto maior para escrever perguntas
Desde fevereiro de 2023, Bing tem caixa de texto maior para escrever perguntas (Imagem: Divulgação/Microsoft)

Por enquanto, o impacto da OpenAI e da Microsoft no mercado de buscadores parece pequeno. Em janeiro de 2024, quase um ano após o lançamento dos recursos de IA para o Bing, o buscador continua onde estava anteriormente, com cerca de 3,5% do mercado global e 7% do mercado dos Estados Unidos.

Mesmo assim, pode haver espaço para novos buscadores no mercado. Um estudo recente mostra uma queda na qualidade dos resultados de busca de Google, Bing e DuckDuckGo, o que pode ser uma oportunidade para novos concorrentes.

Com informações: The Information, Phone Arena, Android Authority

Relacionados