Zuckerberg critica Apple por cobrar caro de apps fora de loja do iPhone

Chefão do Facebook é mais a descer a lenha nas cobranças da Apple por sideloading. Apps instalados fora da loja terão que pagar comissão de 17%

Felipe Freitas
Por
Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (Imagem: Anthony Quintano/Flickr)
Mark Zuckerberg entra na lista de CEOs que estão falando mal das políticas da Apple para sideloading (Imagem: Anthony Quintano/Flickr)

Mark Zuckerberg, dono e CEO da Meta, teve o seu momento de falar mal da Apple e suas políticas de sideloading. Zuckerberg criticou a big tech rival por cobrar uma comissão de até 17% das vendas feitas por aplicativos instalados fora da App Store. A Apple liberou o sideloading para atendar a Lei de Mercados Digitais (DMA, sigla em inglês) da União Europeia.

A declaração do CEO da Meta veio durante a apresentação dos resultados financeiros da empresa. Zuckerberg respondeu a um investidor que perguntou a opinião da Meta sobre a DMA. Parecido com o que foi dito por Daniel Ek, CEO do Spotify, Mark Zuckerberg disse que as regras são tão complicadas que não ficaria surpreso se nenhum desenvolvedor liberasse seu app para sideloading.

Procura-se: alguém feliz com comissão no sideloading

A Apple foi obrigada pela legislação da UE a liberar o sideloading — instalação de aplicativos fora de lojas oficiais. A expectativa era que mudança no ecossistema da Apple deixaria os usuários e os desenvolvedores livres das regras da App Store.

Ícone da App Store
Todo mundo odeia as novas regras para baixar aplicativos fora da App Store (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Por exemplo, ao assinar ou comprar alguns tipos de produtos pela loja da Apple, a empresa cobra uma comissão de até 30%. Essa foi uma das razões que levou a Epic a processar a empresa da maçã (e vamos falar disso mais para frente). Com sideloading, na teoria, a Apple não ficaria com nada.

Porém, a big tech ainda é quem dita as regras para o uso do Xcode, ambiente de desenvolvimento de apps para os seus dispositivos. Assim, ela fez o seguinte, liberou o sideloading, mas:

  • Os devs terão que ter seus aplicativos aprovados.
  • Pagar comissão entre 10% a 17% e mais uma taxa de 3% se usar o sistema de cobrança da Apple.
  • 0,50 centavos de Euro (R$ 2,68) para cada instalação ou atualização — desde que o app tenha mais de um milhão de instalações.

Essas políticas divulgadas pela Apple não são ilegais — pelo menos por enquanto. A DMA não trata sobre como devem ser as regras de democratização de lojas não oficiais em Androids ou iPhones. A Apple jogou com o livro embaixo do braço.

Epic abriu processo contra nova regra de cobrança

No outro lado do Atlântico, a Epic abriu um novo processo contra a Apple. A empresa de jogos contesta o fato da big tech cobrar 27% de comissão de vendas feitas fora da App Store. Os dois casos têm relação por mostrar que, mesmo seguindo ordens judiciais ou uma legislação, a Apple usa brechas para contornar os objetivos legais.

Existe ainda a possibilidade do Departamento de Justiça dos EUA entrar na história. O DOJ (sigla em inglês) pode publicar o resultado da sua investigação antitruste contra a Apple nas próximas semanas.

Com informações: TechCrunch

Receba mais sobre Apple na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Canal Exclusivo

Relacionados