Início » Celular » Motorola RAZR MAXX, a bateria que roda Android

Motorola RAZR MAXX, a bateria que roda Android

Smartphone tem acabamento de respeito e roda Ice Cream Sandwich.

Paulo Higa Por

Motorola RAZR MAXX tem autonomia de bateria surpreendente | Clique em qualquer foto para ampliar

O Motorola RAZR foi anunciado como o smartphone mais fino do mundo em outubro de 2011. Alguns meses depois, a fabricante norte-americana sacrificou a espessura do aparelho para incluir uma bateria gigante, de 3.300 mAh, com uma autonomia acima da média do mercado. O RAZR MAXX mantém os mesmos componentes de hardware do irmão mais magro e continua com o acabamento com traseira de Kevlar e resistência à água. No Brasil, ele será lançado ainda em julho com Android atualizado para o Ice Cream Sandwich.

De acordo com a fabricante, o aparelho possui autonomia de 50% a 70% maior que a do Galaxy S III. Será que a Motorola finalmente resolveu o problema das baterias de curta duração dos smartphones atuais? O RAZR MAXX, com 1 GB de RAM e um modesto processador dual-core de 1,2 GHz, vale a pena num mercado com opções de smartphones mais potentes? Fiquei durante uma semana com o novo Android topo de linha da Motorola e nos próximos parágrafos você confere minhas impressões sobre o smartphone.

Design

Motorola RAZR MAXX (Foto: Paulo Higa / Tecnoblog)

Bateria do RAZR MAXX (à direita) é poderosa, mas o smartphone continua fino em comparação com o Galaxy S III (à esquerda)

A Motorola engordou o RAZR MAXX para comportar a nova bateria, mas o aparelho ainda continua bastante fino, com uma espessura de 9 mm. O smartphone pesa 145 gramas, um peso bastante aceitável considerando o acabamento do produto, que possui traseira de Kevlar, o mesmo material utilizado nos coletes à prova de balas, dando uma sensação de robustez.

As bordas do aparelho possuem uma linha que ajuda a deixar o aparelho menos escorregadio e o plástico das laterais é bastante rígido, não dando a impressão de ser "barato". Um dos problemas do design do RAZR original era o peso extra na região da câmera e do alto-falante, que dava a sensação de que o aparelho iria "cair para a frente". No RAZR MAXX, o pequeno inconveniente não existe mais.

Na parte frontal, além da tela de 4,3 polegadas, o RAZR MAXX possui quatro botões capacitivos (menu, tela inicial, voltar e pesquisar), uma câmera de 1,3 megapixels para chamadas em vídeo, um alto-falante e um LED de notificações que pisca em verde, azul, roxo ou vermelho. A traseira possui câmera de 8 megapixels, LED flash e um alto-falante. Não é possível retirar a tampa traseira; a bateria é fixa.

Nas laterais, é possível encontrar uma tampa para slot cartão microSD (não incluso) e microSIM, um botão para controlar o volume e outro para ligar ou desligar o aparelho. O topo contém três conectores: um para a saída de fone de ouvido, outro para o cabo USB e mais um para a saída de vídeo HDMI.

O acabamento e o design do RAZR MAXX me agradaram muito: tudo parece bem encaixado e a traseira possui uma textura legal, servindo inclusive como um antiderrapante para mãos suadas. A ressalva fica por conta do tamanho: mesmo com uma tela de "apenas" 4,3 polegadas, o RAZR MAXX possui um tamanho muito próximo ao do HTC Ultimate ou Galaxy S III, que possuem telas de 4,7 polegadas e 4,8 polegadas, respectivamente.

Tela e interface

Motorola RAZR MAXX (Foto: Paulo Higa / Tecnoblog)

Tela do RAZR MAXX mostra imagens bem definidas, com ótima relação de brilho e contraste

A tela com tecnologia Super AMOLED Advanced possui ótima relação de brilho e contraste, com brancos bem brilhantes e pretos bem escuros. São 960x540 pixels que se encaixam em um espaço de 4,3 polegadas, deixando as imagens bem definidas. Olhando bem de perto é possível encontrar pixels e cores estranhas em volta das letras devido ao esquema PenTile, mas em distâncias normais não é possível perceber o problema.

A Motorola também deixou de lado a interface Motoblur: o RAZR MAXX será lançado com um Ice Cream Sandwich quase sem modificações. As cinco telas do Android não possuem muitos widgets por padrão, contribuindo para deixar a navegação bastante fluída. Não notei engasgos nos dias que testei o aparelho, exceto quando estava copiando uma grande quantidade de dados pelo cabo USB.

A saída de vídeo HDMI é bem aproveitada pelo software. Ao conectar o RAZR MAXX num monitor ou TV, o Android automaticamente coloca o aparelho em modo paisagem e transmite o vídeo para o dispositivo externo. No modo Webtop, o RAZR MAXX possui uma interface parecida com a do Android para tablets e o smartphone se transforma num touchpad e teclado virtual. Alguns softwares, como o Chrome, ficam bastante parecidos com a versão para desktop. Pode ser uma boa opção para demonstrações rápidas em palestras, salas de aula ou algo do tipo.

Utilizando a saída HDMI, o RAZR MAXX abre automaticamente a interface Webtop, otimizada para telas maiores

Não há muitos crapwares instalados por padrão no RAZR MAXX. Além dos aplicativos nativos do Android, temos: Comandos de voz, Contas, GoToMeeting, Hot Pursuit, Meus arquivos, Minha galeria, Minha música, MOTOACTV, Netflix, Quickoffice, Smart Actions e Spider-Man. Os dois jogos são apenas versões de demonstração; após alguns minutos é necessário adquirir uma licença. Felizmente, é possível desativar facilmente aplicativos inúteis no Ice Cream Sandwich, inclusive os pré-instalados pelo fabricante.

Gostei bastante de um aplicativo pré-instalado, o Smart Actions. Ele é apresentado pela Motorola como um aplicativo que "facilita sua vida ao automatizar ações que você realiza todos os dias". O Smart Actions pode desativar automaticamente o GPS, a sincronização de dados ou as notificações do sistema em determinado horário ou local (como uma sala de reuniões, por exemplo). Também dá para fazer o RAZR MAXX tocar uma lista de músicas quando você estiver na academia ou iniciar um aplicativo logo após o horário de acordar, por exemplo. Bem legal.

Multimídia

A Motorola optou por remover o player de música padrão do Ice Cream Sandwich e adicionou um aplicativo próprio, que possui acesso a rádios com streaming via web e compartilhamento de conteúdo através da conexão DLNA. A interface é bem agradável, mas não traz nenhum recurso matador.

Uma função legal do player da Motorola é o acesso remoto de toda a sua coleção de músicas através do MotoCast Wi-Fi. Dessa forma, não é necessário manter gigabytes de arquivos na memória interna do aparelho, basta deixar seu computador ligado. É legal, mas não vi muita utilidade no meu caso, já que ouço músicas pelo celular somente quando estou no meio da rua (e obviamente não levo meu desktop na mochila).

O player de vídeo é integrado ao aplicativo Minha galeria, que apesar de possuir suporte a vários codecs (rodei DivX e MPEG sem problemas), não exibe legendas. Um vídeo *.mkv de 720p rodou sem nenhum engasgo durante o teste, então o funcionamento do player nativo deve ser satisfatório para boa parte das pessoas. De qualquer forma, como o RAZR MAXX possui processador ARM com suporte a NEON, ele é compatível com o VLC, player que chegou recentemente ao Android.

Câmeras

A câmera do RAZR MAXX possui um sensor de 8 megapixels e faz seu trabalho relativamente bem, mas as imagens possuem granulações perceptíveis e as cores não parecem tão vivas. Por padrão, o aparelho tira fotos de 6 megapixels em widescreen, para ocupar toda a tela do smartphone durante a exibição das imagens, mas é possível capturar imagens com a máxima resolução possível.

A filmagem agrada: o RAZR MAXX grava vídeos com som bem definido e deixa o usuário escolher a resolução da imagem. Se você estiver filmando algo não tão importante, não precisa desperdiçar espaço gravando o vídeo em 1080p: basta escolher entre 720p, DVD (720x480), VGA (640x480) e QVGA (320x240). É uma configuração básica, mas útil nos momentos em que há pouco espaço em disco.

Logo abaixo você confere o vídeo de teste do RAZR MAXX, filmado com resolução 1080p no escritório do Tecnoblog:


(Vídeo do YouTube)

Conectividade e acessórios

Motorola RAZR MAXX (Foto: Paulo Higa / Tecnoblog)

RAZR MAXX tem saída HDMI e Motorola envia o cabo

O RAZR MAXX vem com os acessórios essenciais para aproveitar os recursos do aparelho. Na caixa temos um cabo USB, um cabo HDMI, um fone de ouvido, um pacote com guias rápidos e certificados de garantia, um carregador de tomada e o próprio RAZR MAXX (d'oh).

Ficou a sensação de que a Motorola poderia enviar um fone de ouvido melhor para um aparelho dessa categoria. O fone se encaixou bem no meu ouvido, mas não é intra-auricular, faltam graves e a espuma do fone parece frágil, do tipo que se rompe em um ou dois meses de uso. Tanto que a própria Motorola envia duas espuminhas extras para quando for necessário substituí-las.

Motorola RAZR MAXX (Foto: Paulo Higa / Tecnoblog)

Fone de ouvido do RAZR MAXX poderia ser melhor

Sincronização

MotoCast deixa seus arquivos acessíveis pela nuvem

A Motorola fornece um aplicativo de sincronização chamado MotoCast USB, que transfere músicas, vídeos, fotos e contatos para o RAZR MAXX. Durante uma sincronização, o RAZR MAXX ficou bem lento, o que é compreensível dada a grande atividade de disco durante a cópia de arquivos, mas o smartphone simplesmente reiniciou sozinho após uma tentativa frustrada de tirar uma screenshot.

O problema com a lentidão ocorreu no meu notebook pessoal. No escritório do Tecnoblog, com Windows 7 e Office 2010, não foi possível utilizar o MotoCast USB: ele simplesmente teima em abrir o Outlook na inicialização, provavelmente para sincronizar os contatos. E não é possível fechar o cliente de email da Microsoft; dois segundos ele é aberto de novo pelo aplicativo da Motorola, que entra num loop infinito. Para encerrar o Outlook, foi necessário matar ambos os processos pelo gerenciador de tarefas.

Minha recomendação é conectar o Android ao computador por meio do armazenamento em massa e copiar os arquivos diretamente para a memória interna do RAZR MAXX para evitar dores de cabeça com o MotoCast USB.

Bateria

Bateria aguenta o tranco dos usuários viciados.

Com uma bateria de 3.300 mAh, o RAZR MAXX não poderia decepcionar. Abandonei meu Windows Phone por alguns dias e decidi usar o Android da Motorola como eu usaria um smartphone normalmente. Após ler feeds durante 1 hora, ouvir 3 horas de músicas, gravar um vídeo 1080p de 2 minutos, tirar 20 fotos, instalar alguns aplicativos, atualizar meu Twitter, dormir 8 horas e jogar Fruit Ninja durante 30 minutos, a bateria ainda tinha 30% de carga após 1 dia e 2 horas de uso, sempre com 3G, GPS e notificações ativados.

Em uso intenso, com brilho no máximo, 1 hora de navegação por Wi-Fi, 30 minutos de redes sociais por 3G, 1 hora e 30 minutos de vídeos no YouTube por Wi-Fi, 45 minutos de Fruit Ninja e 1 hora e 30 minutos de vídeo *.mkv, a bateria chegou a 60%, uma marca excelente.

Em uso moderado, com brilho no automático, 30 minutos navegação por 3G, 30 minutos de navegação por Wi-Fi, 1 hora de vídeos no YouTube por Wi-Fi, 30 minutos de jogo de Angry Birds Space e 45 minutos de vídeo DivX 480p, a bateria chegou a 80%. Nada mal.

O RAZR MAXX aguenta tranquilamente um dia inteiro de trabalho. Usuários que não deixam a rede 3G ativada o tempo todo e não acessam tantas páginas pelo celular podem carregar o aparelho a cada 2 dias sem medo de ficar sem carga antes do fim do dia.

Mas a longa autonomia de bateria também tem um custo: para aumentar a carga de 0% a 100% com o carregador original de 850 mA, foram necessárias 3 horas e 51 minutos com o aparelho desligado (isto é, somente na tela de carregamento de bateria). Com o aparelho ligado, o tempo deve alcançar as 5 horas e meia sugeridas pelo guia rápido da Motorola. Não se esqueça de conectá-lo a uma tomada antes de dormir.

Pontos negativos

  • Aplicativo de sincronização muito ruim.
  • Fone de ouvido simples para um aparelho desse nível.

Pontos positivos

  • Acabamento excelente, com traseira de Kevlar.
  • Bateria com ótima autonomia.
  • Ice Cream Sandwich fluído, sem muitas modificações.
  • Smart Actions são bastante úteis.
  • Tela brilhante com boa definição de imagem.

Conclusão

Motorola RAZR MAXX (Foto: Paulo Higa / Tecnoblog)

Em vez de fazer um smartphone mais fino, a Motorola colocou mais bateria. E ele nem é pesado. Eu gostei.

O RAZR MAXX é feito para um público definido: usuários que ficam grudados o dia todo no smartphone ou estão cansados de ter que recarregar o celular diariamente (e ainda ficar sem carga antes do fim do dia). A Motorola prometeu uma ótima duração de bateria e cumpriu: mesmo com brilho no máximo e 3G ativado o tempo todo, o aparelho não chega a níveis de bateria assustadores, aqueles em que você começa a desativar todas as conexões e colocar o brilho da tela no mínimo para chegar em casa são e salvo.

Não dá para deixar de comparar o RAZR MAXX ao Galaxy S III: o tamanho é quase o mesmo, o peso é semelhante e ambas as telas são boas. É claro que o Galaxy S III tem músculos maiores, mas o RAZR MAXX não fez feio: mesmo com um modesto processador dual-core de 1,2 GHz, não passei por nenhum incômodo com aplicativos lentos ou instáveis no Ice Cream Sandwich. O Motorola perde no hardware, mas ganha bastante no acabamento.

A Motorola lançará o RAZR MAXX por R$ 1,5 mil no Brasil, valor que deve cair após a euforia dos early-adopters e as promoções das lojas online. É um preço acessível para um smartphone topo de linha, mas não conte com futuras atualizações oficiais do Android, já que ele foi lançado com Gingerbread lá fora. Se você não se importa em ter o sistema operacional mais novo possível, o RAZR MAXX é uma excelente compra.

Especificações

  • Bateria: 3.300 mAh.
  • Câmera: 1,3 megapixels (frontal) e 8 megapixels (traseira).
  • Conectividade: 3G, Wi-Fi, GPS, Bluetooth 4.0, DLNA, HDMI e USB 2.0.
  • Dimensões: 130,7 x 68,9 x 9 mm.
  • Frequências: WCDMA/HSDPA (850 / 900 / 1.900 / 2.100 MHz); GSM/GPRS/EDGE (850 / 900 / 1.800 / 1.900 MHz).
  • Kit contém: aparelho Motorola RAZR MAXX, fone de ouvido (3,5 mm), carregador, cabo HDMI e cabo USB.
  • Memória externa: suporte a cartão microSD de até 32 GB.
  • Memória interna: 16 GB.
  • Memória RAM: 1 GB.
  • Peso: 145 gramas.
  • Plataforma: Google Android 4.0 (Ice Cream Sandwich).
  • Processador: dual-core de 1,2 GHz.
  • Sensores: acelerômetro, proximidade e bússola.
  • Visor: 4,3 polegadas com resolução de 540 x 960 pixels e proteção Gorilla Glass.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Stefany Geysel
Não consigo fazer download de filmes, alguém por favor me ajuda?
getulio.gmachado
Eu tenho ele... E olha... Na boa? Não me arrependo em NADA... Eu uso o dia todo o aparelho e ainda tenho carga quando chego em casa... Detalhe... Saio 8 da manhã de casa e volto as 23... Cansei de chegar em casa com 20, 30% de bateria... E pra quem acha que eu não mexo nele, rs, difícil... Assisto youtube no ônibus por 3G, jogo Asphalt 7 todos os dias, fora o Facebook, o Need For Speed Most Wanted e mais algumas coisas... O segredo meus queridos, é o Smart Actions...
fly_br
Ele sera atualizavel para o JellyBean? Compensa pegar o Maxx ou o SII??
Alexandre Teles
Não ter updates oficiais para o smartphone não é um problema de todo. É simples: aguarde a garantia acabar (ou não), faça root no seu aparelho e instale um recovery. Depois basta escolher a ROM que mais lhe agradar e pronto :D

O que não falta são ports do CM9 e roms modificadas que são muito superiores as instaladas por padrão pelo fabricante.

Sem contar os custom kernels que fazem maravilha até com aparelhos já velhinhos como o XPERIA X8. Mas pra eles o aparelho precisa ter um bootloader "desbloqueável". Nada que a galera do xda-developers não dê jeito em menos de um ano e meio :D
Germano "Iceman" Neres
Paulo, eu já havia me interessado pelo RAZR MAXX ao vê-lo em sites de fora e, agora lendo o teu review concluí que este será o meu primeiro "smart".
A pergunta que faço é: Onde eu o encontro pra comprá-lo? Sim, pois até agora só achei ele no ML (que não me inspira confiança para efetuar aquisições deste nível), nas lojas online encontro somente o "irmão mais velho" do mesmo (o de nome apenas 'RAZR').
Agradeço se vc ou o pessoal que comenta puderem me ajudar.

Parabéns pelo review! Me ajudou a decidir qual Smartphone comprar.
Abraço! :)
Pablo
Olha, eu comecei com um razr comum, e depois de dois dias travou e troquei, ai o novo aparelho depois de duas semanas ou menos começou a desligar sozinho, e algumas dessas vezes nao ligava mais, apenas depois de um dia, foi para a assistência ficou quase um mes, fui buscar e depois de uma semana voltou a desligar sozinho, voltou para a assistencia, depois de amáveis, ultra rapidos e simpáticos 28 dias peguei denovo na parte da tarde, caiu a noite, dormi e quando acordei adivinha?? desligado. Pois então perdi a paciencia e liguei direto pra motorola e relatei tudo que havia acontecido e ja perguntei direto de iria trocar, que se fosse pra arrumar denovo nao iria mandar pra ele e iria no procon direto, dai a moça deuma engasgada (''sei por que'') e disse> ''nao nao senhor, faça o mesmo procedimento e mande para nós novamente para que o tecnico faça um laudo para ver a possibilidade de trocar, e ligue e dez dias uteis. Pois bem, liguei ontem no fim da tarde e o atendente disse que nao acharam a solução do caso e que a motorola iria dar entrada num novo aparelho pra mim, daqui dez dias eu pego um novo aparelho, o meu era um razr comum e eles ainda vao me dar um razr maxx. Bom, a conclusão é que eu nao possoo reclamar da assistencia, apesar dos 6 meses de aquisiççao e 3 de uso, vou sair ganhando e satisfeito. obrigado moto. só espero poder usar meu aparelho tranquilamente daqui pra frente.
UgOw
Daí você já está querendo falar de marca de produtos para gamers!
Adoniran
To louco pra comprar esse Smartphone, meu galaxy s tenho que ficar me policiando.. Se jogar jogo pesado como o dead trigger acredite mesmo com o carregador ligado o Cel nem carrega, apenas mantém a energia, de tanto que é o consumo
José Pedro
Estou contente com o meu...
thiago
fala assim reizer mequis :)
@samuel
Eu realmente não recomendo Motorola, tive um Defy e um Atrix, duas belas porcarias.
Jack
E tiraram o Motoblur.
Justamente o que me impedia de comprar essa coisa linda
André Catapan
Tava vendo sobre o ICS da Motorola nesse aparelho e no Atrix HD que saiu agora nos USA, e a interface realmente me surpreendeu, tem muito mais ICS do que customização, achei bem bacana.
Será que isso tem dedo do Google? Mudando pouco a pouco a interface pra num futuro próximo rodar a versão padrão no sistema na Motorola?
Gostei bastante desse RAZR, mas pode parecer idiotice, mas o fato de ter esses 4 botões embaixo da tela é meio que um ponto negativo, parece coisa de celular velho... e os 3 botões do ICS on-screen no Atrix HD são tão bacanas... (Será que ele chega por aqui?)
Crocro
O DEFY+ não é o mesmo aparelho. Informe - se melhor. E se continuar reclamando, é a mesma coisa que aconteceu com o iPhone 4 e 4S.
No mais, esse painel de discussão foi o único em que eu li comentários sensatos sobre as empresas de telefonia, sem aquele velho clichê de quem reclama sem conhecer. Estão de parabens
Guilherme Borges Cunha
Caramba, fiquei impressionado quando eu li que ele aguentou o 3G ligado o dia inteiro e ainda sobrou uma boa quantidade de bateria. Meu ZTE X850 (com uma bateria de 1.100 mAh) não aguenta nem 6 horas só com o wifi e gps ligados e brilho no mínimo.

Realmente, o fator que me faz preferir comprar o Razr MAXX ao Galaxy S3 é mais o acabamento, apesar de o fator principal, o desempenho de hardware, humilhar o Razr MAXX, o aparelho da Motorola ganha o público em todos os outros fatores. O aparelho da Samsung parece bem frágil, além de aquela interface TouchWiz modificar muito Android e só contribuir para a fragmentação do sistema. Gostei muito da atitude da Motorola de modificar pouco o sistema, as modificações foram muito mais visuais, mas é sempre legal ter modificações que adicionem novas funções ao sistema. A interface padrão do ICS é bem agradável e bonita.

Espero que a Motorola libere atualização oficial pro Jelly Bean.
Rafael
o que dizer da motorola? é uma verdadeira desgraça! comprei um milestone 3, desde então, só dor de cabeça. Aparelho pesado, suporte horrível, autonomia ridícula. Essa empresa enrola muito, não recomendo pessoal. Podem dizer que milestone 3 é diferente de Razr, mas eu digo: Em breve irão surpreender com o tratamento que ela dará para o Razr no futuro. Tenho certeza que o ciclo de suporte desse aparelho vai acabar em menos de 1 ano (o google recomenda no minimo 18 meses), se atualiza-lo para o 4.1 será pelo fato de terem lançado outro razr no mercado. Voltando a falar do meu aparelho, a desculpa dela foi é que " o Milestone 3 não tem hardware suficiente para comportar o ICS" sendo que o Sony ericsson Neo V foi atualizado: um aparelho de single core que nem tem memória flash, com resolução menor que a do Milestone 3.

PS: Esqueci de dizer, mas meu celular ta na autorizada, apagou do nada e não ligou mais, quando sair de lá vou vender por uns 650 reais levando um ótimo preju! Obrigado motorola.
Augusto
só faltou o aparelho ser bonito.. pta tijolo
Bitstorm
Troca ele, ué...
Bitstorm
Nem tanto... meu Galaxy Note vive com GPS/WiFi/3G+/Sync ativo e dura 02dd... os aparelhos mais novos têm um gerenciamento mais inteligente(além das baterias boçais de tão fortes, claro).
Pedro
to em duvida entre ele e o razr normal, é dificil tbm por causa do novo xperia p
Seqko
O que é normal?
Significa: Esquenta como qualquer outro, mas não chega a fritar bacon ?
João
Quanto ao tempo de carregamento da bateria. Quanto mais rápido se recarrega ela, mais rápido ela se descarrega.

Percebam que carregar qquer smart pela toma é mais rápido que pela porta USB, mas notem tbm que pela porta USB a durabilidade é maior (isso se vc não jogar mto, pois jogando mto o consumo é maior e vc não notará mta diferença).
Ed Rodrigues
Sério que a bateria dura mais??? Porra os caras colocam uma bateria que eh o dobro de muitas por ai e vcs achavam que ela não duraria mais??? Igual uma publicação que li, falando que a bateria do SIII durava mais que a do SIII durava mais que a do One X, claro que dura: SIII = 2100mAh;
One X = 1850mAh. Se durar menos que eles dai fudeu.
Deveriam colocar o aparelho para rodar uma unica coisa até o fim da bateria e ver o consumo real. Tipo deixar rodando um vídeo HD com brilho no máximo até a bateria chegar a um valor X. E ai sim comparar com outros aparelhos e ver qual gasta mais.
O sinal 3G gasta muita bateria e dependendo da intensidade do sinal gasta mais ainda. Meu celular não gasta quase nada de bateria quando estou em casa com ele, onde o sinal e "estável". Mas andando com ele para cima e para baixo com o 3G ligado, ela vai rapidinho, pois o aparelho fica procurando o sinal do lixo do 3G desse país.
@tampa_trick
depois de pesquisar um pouco achei a explicação.
eh feito em Kevlar porem tem aparência de Fibra de Carbono.
@tampa_trick
Belo review, so fiquei meio em duvida com relação a parte onde fala que o corpo atras é de Kevlar... acredito que o material seja fibra de carbono...
@Eddyerodrigues
Se vc não se importar de seu aparelho levar um tiro e ficar em pedaços, pega o SIII. Tenho um e eh incrível apesar da construção em policarbonato (o plástico barato que todos falam) o design dele se mostra super ergonômico e a bateria dele dura super bem também. umas 13 horas de uso normal. E olha que eu jogo shadowgun todo dia. Mas casa seja um cara que costuma levar tiros, o RAZR eh o seu aparelho. Brincadeira a parte, acho o RAZR um aparelho muito foda, mas particularmente não me atrai, nem deixa com vontade de ter um.
@AntonioVeras
"Será que a Motorola finalmente resolveu o problema das baterias de curta duração dos smartphones atuais?"
Esse problema não se restringia aos smartphones atuais. Sofri muito com isso com meu V600 e Z3.
Thiago Vasconcelos
AlessandroCM,

Existe alguma fabricante de Celulares que tem assistência boa? Eu não conheço nenhuma no Brasil!

Já usei assistência da SAMSUNG, NOKIA, ZTE e foram horríveis! Motorola e LG nunca usei, mas devem seguir o mesmo slogan: "Vender, vender! Suporte nem pensar, compre um aparelho novo!"

Como o colega abaixo informou, SONY também não tem bom suporte. Então isso é Brasil!
Arthur V.*
Motorola RAZR MAXX: não é tão "fino como uma lâmina" (daí o nome "RAZR", "razor", "lâmina") que nem o RAZR V3 (o RAZR original) e o RAZR, mas ainda é bem fino.
@hugoleomarques
Creio que a Apple aprendeu com o iPad e Macbooks, porque com o iPhone em uso intenso de um cara que está conectado a todo instante nas redes sociais usando 3G, ele não dura um dia não. Já tive 4 iPhones e eles não duravam não. Não posso dizer sobre iPhone 4S, pois esse último eu não tive, mas o iPhone 2G, 3G, 3GS e o 4, nenhum aguentavam o dia todo não. Mas, cada caso é um caso, eu uso internet praticamente o dia todo, para quem apenas atende ligações, manda uns SMS's, tira uma foto ou outra, é melhor comprar um dumbphone, pois um smartphone não é apenas pra isso.
@madsenfelipe
Sempre fui contra as nomeclaturas "uso intenso" e "uso moderado", pra mim só deveria existir uma categoria: uso real.

Se o seu smartphone consegue desempenhar todas as atividades que você precisa e não te deixa na mão, entra pra essa categoria. Se não, tá fora. Isso independe de hardware ou software.

Sabem quem aprendeu direitinho essa lição? A Apple.

Minha experiência com a motorola não foi das melhores, pois comprei o Milestone 2 no seu lançamento e o arrependimento foi quase instantâneo. Depois dele tive a felicidade de ter um HD2, Xperia e por último, Optimus 2x. Minha satisfação com o universo android foi crescente, pois via que tanto hardware como software estavam evoluindo, mas não o suficiente.

Só deveria existir um benchmark: Pessoas felizes x Pessoas infelizes.

E tenho dito.
Douglas Rolim
Motorola com autonomia de bateria surpreendente? O teste não é suficiente para acreditar!
Luciano
kkk' Concordo li toda matéria e ainda não consigo pronunciar o nome, kk
Scheldon
A mesma praça, o mesmo banco...
Lucas Almeida
Motorola eu não compro.
No século passado, ela fazia ótimos celulares.
Mas caiu.
Hoje, Samsung e HTC dominam os Androids.
Alexandre
percebi isso com o defy do meu pai, com xt351 e com o milestone 1 de uma migo. o motoblur deve ser p culpado da bateria andar de 10 em 10%
Alexandre
isso depende de vcs, podem comprar o razr maxxx e meter um monte de XXX pra justificar o nome, heheheeh
@AndroidPlaceBR
Olá a todos,
Paulo, tirando a bateria que de longe, pelo que entendi, não tem concorrentes. Você consideraria após está análise o Razr melhor que o Samsung Galaxy S II (I9100)?
Mario
Comprar um GS3 com uma bateria extra ou um Razr Maxx..Eis a questão!
@davividal
A já tradicional fragmentação... :(
shinginbox
A bateria do S3, de 2100 mAh consegue durar por 1 dia e pouco tranquilamente... o One X que tem bateria menor chega a 1 dia e pouco também com a utilização do seu 5o core, exagero enfiar um 3300mAh... usando o stock do One X, 3G ligado o dia inteiro e uso intensivo de whatsapp e joguinho, a bateria dura 12 horas... tem algo de errado ai nesse motorola hahha
Enjoy Mufasa
Review excelente, achei ruim parte de não poder retirar a bateria + acredto que não seja um problema para os futuros proprietarios deste motorola razr maxx (+ un "x" vira motorola porno só para miores +18) camera filé, bacana opção de roteador enfim eu compraria já que não faço questão de atualizar S.O de celular + uma vez parabens review excelente
ricksan
Se o preço fosse mais baixo, dava pra pegar sem medo... um otimo aparelho.
@netto_info
meu sonho de consumo...
Marcos Silva Castanheira
Os outros 8gb são pro sistema, só o webtop ocupa 1,8gb!
A área de mídia tem só 8GB
mcpqueia
To começando a odiar meu wp
Afonso
Se eu soubesse q era tão rui a autonomia da bateria do Xperia S, tinha esperado chegar o Razr Maxx no Brasil. É osso carrega-lo enquanto durmo, e depois durar apenas 6 a 8 horas de uso normal. Se nao fosse isto, nao trocaria de aparelho por nada, pois ele é maravilhoso. Massss.
Guto
Queria sugerir umas coisas pros proximos reviews: uma organizadinha a mais naquela parte que descreve o uso, tipo fazer uma tabelinha simples, e com a soma do tempo de uso, 1 hora disso, mais meia daquilo, no total de 00:00. Não que precise padronizar, até por que o heavyuser vai fazer de tudo ao mesmo tempo, mas vai facilitar a comparação do entre o moderado e o intenso!
carlitus
Bom, já precisei acionar a assistência da Sony, Samsung e Nokia. Nenhuma presta. A Sony me deixou 4 malditos meses sem meu saudoso z530i, por causa de uma tela que desligava sozinha. Me mandaram outro aparelho depois de muita briga e ameaças.
carlitus
Isso, isso, isso!

Minhas broncas com a Motorola foram as seguintes: PÉSSIMA customização do Android e atualizações. O Motoblur era até bonito, mas me irritou demais. Uma colega de trabalho não suporta os travamentos do dela e me pediu pra instalar a mesma ROM que uso no meu. A outra M foi ver um Defy+ sendo lançado com GB. Pombas, é o mesmo aparelho! Porque não atualizar?

No mais, ótimo hardware, que fica espetacular com um CM ou Miui.
@EmanuelSchott
Um dia com 3G LIGADO??!! Ai fomos surpreendidos novamente!
Ramon Melo
Por isso que eles não atualizam aparelho nenhum já sabemos o motivo.
Forbidden_404
Isso por que eles tiveram 10 meses pra fazer
Kessler
Mas 6GB? Nem o Windows 7 usa isso instalado.
O Android 4 não usa nem 400MB.
Ramon Melo
O ICS do Razr foi feito nas coxas e não deu tempo de portar o Blur.

Vamos torcer para que isso ocorra nas próximas versões!
Ramon Melo
Convenhamos, é uma aplicação bastante pesado, é quase um novo sistema operacional completo com as aplicações mais comuns já instalado no aparelho.
Kessler
6GB, sério?
Não tinha nem ideia disso, que absurdo.
Ramon Melo
O Webtop consome 6GB do aparelho. Considerando que 80% dos usuários nunca vai usar isso (estou sendo conservador), para mim ele é um bloatware.
Forbidden_404
Eu acho que isso é da Motorola, e é sempre de 10% em 10%
Paulo Higa
Sim, é bizarra a indicação de nível de bateria do RAZR (assim como do Defy Mini, que testei há duas semanas). Ele conta de 10% em 10%. Quando a bateria chega no nível crítico, passa a contar de 5% em 5%. :-P
Forbidden_404
No ICS os 16GB constam no armazenamento, com acesso root você deve poder salvar, mas você tem que lembrar que é necessário uma quantidade de segurança pro sistema, tanto em questão de transferência de arquivos e etc.
Kessler
AHAHA Também não é pra tanto.

os outros 8 devem ser para a partição data, só serve para instalar apps.
Forbidden_404
Não existe muita diferença
Forbidden_404
"um modesto dual-core de 1,2 GHz..."

Espero que tenha sido ironia haha :D

O pequeno inconveniente da câmera no RAZR até ajuda em algumas horas, por ser fino, você precisa ter "algo" para ter suporte e puxar o aparelho para fora do bolso de uma calça mais apertada ou algo do tipo... Isso acabou no MAXX simplesmente por que ele "engordou", mas ainda assim eu não acho isso uma "melhoria", é só uma questão de design mesmo.

Assim como o RAZR, mesmo a tela não sendo tão grande como a do sIII ou do HTC One, ele tem bordas que foram necessárias pra "espaçar" os componentes do aparelho, eu acho que a Motorola poderia ter colocado logo uma tela de 4.8 pra pelo menos não ficar tão aparente, mas fazer o que né?

O ICS da Motorola realmente me impressionou por não ser tão customizado, e isso é realmente muito bom, sobre os apps, eu acabo deixando eles simplesmente por preguiça, mas os jogos eu sempre faço questão de tirar. O Smart Actions é incrível, ele simplesmente faz o nome "smartphone" ter significado, sério mesmo, são coisas "bestas" que fazem a experiência valer a pena. Eu mesmo deixo em modo de economia de energia de noite quando estou dormindo e ao acordar, abro o celular já com o Pulse carregado, isso é muito bom, a Motorola fez algo bom na vida, hein? :D

Mas é aquela coisa, tirando a bateria descomunal, não deixa de ser um upgrade do Motorola RAZR, que mostra a política babaca da empresa em vender milhares de versões do mesmo produto.
Ramon Melo
Provavelmente comidos pelos bloatwares da Motorola.
Ramon Melo
Porque é o mesmo aparelho, ué. Só o que mudaram foi a bateria.
Felipe Lima
e os outros 8 GB?
Yago Souza
Eu tive um milestone 2 por seis meses e não aguentei, vendi. E o ODIEI esses motivos que eu lembrei agora:

1. Motoblur, no começo eu esquecia a porcaria da senha direto e ficava penando pra logar, sem logar o celular se tornava um trambolho, não dava pra usar;
2. Peso, super tijolo;
3. Teclado físico que travava direto e me deixava PUTO de raiva, você apertava a tecla uma única vez e a letra duplicava sem motivo! Descobri que não tem solução.
4. A atualização da motorola que demorou muito pro 2.3.
AlessandroCM
Não só as atualizações, mas também a péssima assistência técnica da marca no Brasil. E falo por experiência própria. E é por isso que ainda não voltei a confiar totalmente na Motorola, apesar dos ótimos aparelhos que ela tem lançado ultimamente.
@cleciooc
É uma coisa que eu queria saber...
Paulo Higa
Bom, eu fiquei 2 horas com a tela do RAZR MAXX ligada e com atividade intensa de navegação/redes sociais por 3G e não notei nenhuma temperatura além do normal. :-)
arthurpianor
as pessoas falam mal da falta de atualização e também da tela. do 'touch' dele e tal..

particularmente eu nunca usei um celular top da motorola
@adaorossi
Paulo, notei que durante várias screenshots que você tirou a bateria permanecia em 60%, coisa impensável pra um smartphone com bateria comum, ai surgiu a dúvida, ele atualiza a carga da bateria de 1% em 1% ou de 10% em 10% ? Pergunto pois no Blur funciona assim.

Dependendo do preço vou vender meu Photon e comprar esse monstrinho aí... odeio só pensar em ficar sem bateria.
Bestknighter
Poxa, então vale muito a pena comprar um. Já que eu não me importo muito com atualização do OS.
Kessler
A encrenca do pessoal com a Motorola são as atualizações. Desconsiderando essas, são aparelhos decentes.
Bestknighter
Concordo, e é por isso que faço essa pergunta. Eu nunca tive um Motorola, e só ouvia o pessoal reclamando. Minha mãe teve um mas não foi desse jeito. Aí eu quero saber como a Motorola tem andado ultimamente. Aconteceu a mesma coisa antes de eu comprar esse meu Notebook... Ele é um CCE e a coisa que eu mais via na internet eram pessoas dizendo "Comecei Comprando Errado". E eu discordo. Foi um dos melhores negócios que eu já fiz até hoje...
Claudio H.
As empresas mudam, meu caro. Um exemplo disso é a Microsoft.

Pena que pessoas com mente pequena não evoluem como as empresas que elas criticam. :(
Guilherme Macedo C.
Faria mais sentido, pois é um puta smartphone :P
Marcos Silva Castanheira
Também é importante dizer que dos 16GB de memória, só 8 são utilizáveis pelo usuário!
Marcos Silva Castanheira
Faltaram fotos comparando com o RAZR original
YanGM
Same here.
RubensBrilhanteJr
Mais 1 'X' e vira pornografia.
Turdin
Pergunta: Não esquenta muito uma bateria deste tamanho?
Kessler
Duas dúvidas que sempre tive: 1) quem é o gênio responsável por dar nome aos celulares Motorola e 2) o que o cidadão tem contra as vogais?
Bestknighter
Mas o que vocês podem dizer da Motorola em si?
William Nascimento
O aparelho é bom, mas me parece robusto. Não houve muitas alterações no design em comparação ao Motorola RAZR.
Vinicius Kinas
Sério, eu não consigo ler o nome desse smartphone com excesso de 'x's de forma séria, minha mente divaga para outro tema, rs.