Sabe aquele notebook que você usou por muitos anos, e que agora acompanha a sua mãe em consultas de receitas no site da Ana Maria? Ele faz parte de um grupo com mais de 40 milhões de PCs antigos que ainda estão em uso no país, segundo uma pesquisa divulgada pela Intel. Ao revelar os dados, a fabricante de microprocessadores confirmou que o foco deste ano é fazer com que essa galera compre novas máquinas.

40 milhões... e envelhecendo

40 milhões… e envelhecendo

A companhia aproveitou para anunciar a chegada da 5ª geração dos processadores Intel Core no país. Logo de cara, seis fabricantes participam do lançamento. São os suspeitos de sempre: Dell, HP, Lenovo, Samsung, LG e Acer. Ao todo, dez modelos terão os chips, que prometem maior processamento, com menor consumo de energia.

A diferença é de pelo menos 15% em relação à 4ª geração de processadores Intel Core. Na comparação com os chips de máquinas lançadas há quatro anos, a redução no consumo de energia chega a 50% devido à microarquitetura Broadwell  de 14 nanômetros. Por enquanto, nenhuma palavra sobre processadores com a microarquitetura Skylake – a sucessora do Broadwell é mantida na surdina.

Durante a apresentação das novidades, em um hotel de São Paulo, executivos destacaram a importância de atualizar a base instalada. É interessante para eles, enquanto indústria, mas também para os consumidores. A questão do peso dos notebooks, por exemplo, foi parcialmente superada. O diretor-geral David González brincou que o problema agora é outro: salas de aula apinhadas de estudantes com laptops. Quando a campainha soa, só falta eles saírem no tapa, na disputa pelas poucas tomadas.

Realidade atual dos estudantes, segundo o diretor-geral

Realidade atual dos estudantes, segundo o diretor-geral

A contribuição da Intel para sanar tal problema está relacionada à eficiência energética dos processadores (dez deles com gráficos Intel HD e outros quatro com Intel Iris). Menos gasto de energia significa mais autonomia. A equação é simples demais, mas muito válida.

A 2ª geração de processadores da marca oferecia três horas de bateria. Na 5ª, a Intel fala em pelo menos seis horas de uso ininterrupto, sem recorrer a uma tomada.

A tendência atual é de crescimento em três frentes distintas: tablets, computadores 2-em–1 (notebook/tablet) e All-in–One (aqueles com um gabinete menor e mais fino, ou mesmo com os componentes eletrônicos embutidos no monitor, como acontece no iMac). Nós pudemos ver alguns produtos; as fotos estão no fim deste artigo.

Um dos questionamentos durante o evento da Intel estava relacionado ao Windows. Perguntei a González por que alguém compraria um computador agora, em vez de esperar por uma máquina que já venha com o Windows 10 instalado. O sistema deve chegar ao mercado lá para setembro. O diretor-geral da Intel brasileira respondeu que eu deveria procurar a equipe de comunicação da Microsoft. Em seguida, complementou: “As máquinas atuais estão preparadas para receber a atualização para o próximo Windows”.

É bem verdade, mas é de se esperar que a Microsoft faça um esforço de marketing gigantesco para promover o novo SO. Com isso, as máquinas rodando Windows 8.1 podem parecer antigas, mesmo com a atualização gratuita garantida. Nenhum executivo quis comentar o tema.

Lenovo X1 Carbon: Intel Core i7-5500U de 2,40 GHz; 14 polegadas (2.560x1.440 pixels); 1,3 kg

Lenovo X1 Carbon: Intel Core i7-5500U de 2,40 GHz; 14 polegadas (2.560×1.440 pixels); 1,3 kg

Dell XPS 13: Intel Core i5-5200U; 2,2 GHz; 8 GB de memória RAM; Intel HD 5500; Tela Infinity Ultrashap QHD+ (3.200x1.800 pixels)

Dell XPS 13: Intel Core i5-5200U; 2,2 GHz; 8 GB de memória RAM; Intel HD 5500; Tela Infinity Ultrashap QHD+ (3.200×1.800 pixels)

LG All-in-One 27VT50

LG All-in-One 27VT50

Atualizado em 07.04.2015 às 10h26.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Antonio Francisco de Souza
Querem vender máquinas sofisticadas e caríssimas para uso corriqueiro? Tenho um notebook Itautec de 6 anos. Acreditem, a bateria é a que veio nele. Nunca deu problema e roda Windows 7 e Ubuntu 15.04 numa boa. Não preciso de trocar. Como eles não dizem: pegamos seu bom notebook velho por um valor bem justo na troca por um novo... Pegamos seu desktop de 5 anos por um preço justo que é muito bom por um novo que consome muito menos energia e tem o dobro de poder. Querem que compremos novos computadores e joguemos os nossos no lixo? Não, não quero. Meus computadores durarão mais uns 5 anos ou até não ter realmente mais jeito. Para tarefas mais sofisticadas eles dão jeito. Nos 80% do tempo uso meus tablet e smartphone numa boa. Perdeu obsolência programada dos desktops e notebooks. Perdeu. Agora obsolência programada só no celulares mesmo. E mesmo assim já tem 2 anos que estou com meu smartphone e ainda me serve que é uma beleza.
Tales Cembraneli Dantas
as máquinas de 4 ou 5 anos atrás já eram mais do q suficientes para navegar na internet com certo conforto, e em 90% dos casos é apenas pra isso que são utilizadas, qual a necessidade de troca-las?
Rafael Andrade
É sempre o ultimo produto da pagina de notebooks e ultrafinos.. Foda que é muito caro.
@Sckillfer

Corrigiram... Quando eu li a matéria a primeira vez cheguei a pesquisar pra ver se não tinham trazido ele com outro nome pra cá... Não achei nada sobre isso, mas também não achei o XPS no site nacional da Dell.

F. S.
Corrigiram... Quando eu li a matéria a primeira vez cheguei a pesquisar pra ver se não tinham trazido ele com outro nome pra cá... Não achei nada sobre isso, mas também não achei o XPS no site nacional da Dell.
@Sckillfer

Iso "normal" só existe no teste de bateria!

F. S.
Iso "normal" só existe no teste de bateria!
Louis
Não sei essa gente da Intel, mas passo no mínimo uns 5 anos com um notebook. E se ele durar mais nem penso em trocá-lo.
Edmilson_Junior
Tenho um notebook CCE de 2011 que a pesar da marca é uma ótima máquina, só peca na bateria, que tem um encaixe muito mal projetado, e no vídeo Intel, fora isso ela é um i7-2630QM, 8GB, HD 750GB, tela 14" (que falta faz um teclado numérico, 1" a mais e teria) e ainda funciona muito bem, o problema é que é quase um desktop, fora da tomada e com desgaste da bateria ele não chega a uma hora. Como raramente tiro ele da mesa, uma vez em meses, ele fica aqui sem problemas. Imagino que eu faça parte do grupo que eles querem que troque de máquina. O problema é que se for para trocar quero algo melhor e pelo visto não me custará menos de R$ 3.500,00, isso sem a potência de um desktop. Vou acabar optando por montar um desktop e ter um tablet para outras atividades.
Gabriel Arruda
Estou com um Air comprado ano passado. Duvido que dure tudo isso, nem mesmo os 9 horas do site da Apple, acho que entre 6 e 7 horas seria o mais correto. O problema é que costumo codificar nele, então nunca consegui fazer um teste com o uso "normal" como dizem. Entretanto, um MacBook Air de 13 apenas com o básico acho que pode chegar nesses números...
Louis
Quanto dura a bateria do seu Macbook? Já vi gente dizendo que dura de 10h a 12h. É verdade?
André Contato
Que bom seria, todos trocando suas máquinas.... o problema, é o de sempre, PREÇOS. Por mais que a gente pesquise, economize.... muito complicado, eu tinha um all-in-one da Lg, corei5, tela de 23"....excelente maquina, paguei R$1.700,00 na época, hoje a mesma maquina está R$2.600,00 ... olhando a ultima foto, notei um aio LG de 27".... isso vai custar quanto? no minimo R$ 4.000,00 .... dai fode!
Roberto
Isso mesmo! Não sabia que já tinha o preço aqui, a lógica para produtos no Brasil é sempre adicionar 1 dígito, como no caso do ps4 R$400 -> R$4000!
Seymour
Quer que todos troquem as máquinas? Bota aquele precinho camarada e tá resolvido.
Thássius Veloso
Roberto e Rafael, vocês têm razão. O produto em questão é o Dell XPS 13 com tela de borda ultrafina (bem legal). Atualizei o artigo corrigindo essa informação. Obrigado pelo toque. :)
Exibir mais comentários