Diversas grandes empresas — como Apple, Intel e Uber — vêm investindo em veículos autônomos. Isso inclui carros que dirigem sozinhos, ônibus que levam passageiros sem um motorista, e até caminhões que transportam carga sem um guia humano.

A Built Robotics acredita que a mesma tecnologia autônoma pode ser usada no setor de construção. Esta semana, ela revelou sua escavadeira que retira terra e cria buracos sem um motorista.

Segundo o The Verge, o veículo usa sensores como LIDAR e GPS para “ver” o mundo à sua volta, e também possui sensores especialmente projetados para lidar com as vibrações da escavação. O operador pode programar as coordenadas e o tamanho para o buraco que será escavado, e ver a escavadeira fazer todo o trabalho.

Uma das vantagens nos veículos autônomos é a maior segurança. Nos EUA, foram registradas 924 lesões fatais no setor de construção em 2015. Por lá, 60% das empresas de construção dizem ter dificuldade em encontrar funcionários qualificados.

A Built Robotics arrecadou US$ 15 milhões de investidores para contratar engenheiros e levar seu produto ao mercado. Seus equipamentos estão sendo testados no Dogpatch, bairro no lado leste de San Francisco.

A startup é comandada por Noah Ready-Campbell, ex-funcionário do Google. Ele diz à CNBC que a Built Robotics poderá ganhar dinheiro de várias formas: vendendo kits de sensores para fabricantes de escavadeiras, como Caterpillar e John Deere; adaptando máquinas já existentes para empresas de construção; ou alugando a tecnologia para projetos.

Caterpillar e Deere já têm algumas máquinas autônomas, seja para mineração ou transporte de equipamentos. Mas, assim como Fiat e Toyota estão trabalhando com empresas de tecnologia para criar carros autônomos, essas fabricantes de escavadeiras poderiam fazer o mesmo com a Built Robotics.

Com informações: The Verge, CNBC.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Junior
Resumidamente: Full Stack com conhecimento entre Junior e Pleno. Detalhadamente: A Lupa Informática contrata Programador PHP. • Horário de Trabalho: Seg à Sex 08:00 às 12:00 – 13:15 às 18:00 • Tipo de Contratação: CLT • Benefícios: VT + Unimed • Local de trabalho: Rua Adhemar da Silva, 1220 – Kobrasol / São José / SC • Salário compatível com a função e conhecimento. Requisitos (obrigatórios): • Sólidos conhecimentos em orientação à objetos • Experiência em Programação de sites e sistemas web • Modelagem de banco de dados • SQL • CSS • Javascript • HTML Standards Desejável (não obrigatório): • Conhecimentos em CakePHP • Zend Framework • CSS3 • jQuery • HTML5 • Inglês para leitura
Juaum
Manda a descrição da vaga.
Junior
Se tiver pode mandar por aqui. Dá um follow que aceito curriculums para Floripa/SC
Juaum
Agora estamos na mesma linha de pensamento. Apesar no expressarmos diferente. E caso ainda precise de desenvolvedores , talvez possa te ajudar com algumas boas indicações.
Junior
Não culpo um lado apenas, culpo a própria pessoa que prefere beber ao invés de evoluir do mesmo modo que prefere roubar a fazer qualquer outra coisa. É sempre mais fácil fazer uma cirurgia de redução do estômago do que malhar e ir para academia, fazer dieta, etc. O caminho mais curto é sempre o mais fácil mesmo que seja o menos moral.
Gabriel Bringmann
Em primeira análise, acredito que a própria demanda do mercado ajude nessa qualificação da mão de obra. Não seria nada de outro mundo o SENAI oferecendo cursos de manutenção de robôs, por exemplo.
Gabriel Bringmann
Adorava esse desenho ahahahahah
Não penso
Da série Comentários infantis, eis o nosso futuro chegando baseado em desenhos da (nossa) infância: https://uploads.disquscdn.com/images/fe2118b80aa714414995283225e557ab5ca25ab1ac97b9287c1777c048cc98f6.jpg
Matheus Souza
o veículo usa sensores como LIDAR e GPS para “ver” o mundo à sua volta, e também possui sensores especialmente projetados para lidar com as vibrações da escavação. https://pics.me.me/i-see-what-you-did-there-via-9gag-com-16979068.png
Matheus Souza
o veículo usa sensores como LIDAR e GPS para “ver” o mundo à sua volta, e também possui sensores especialmente projetados para LIDAR https://uploads.disquscdn.com/images/d9583af7cb349d0ab3d7ebdf0fb21bd7009d0d433aa8855213059378a4933f09.png com as vibrações da escavação.
Matheus Souza
Usa sensores LIDAR para LIDAR com o terreno. https://uploads.disquscdn.com/images/d9583af7cb349d0ab3d7ebdf0fb21bd7009d0d433aa8855213059378a4933f09.png
Juaum
Infelizmente essa obsessão pelo social está fora de controle. Mas não podemos negar que se você está em presente em "círculos influentes" você tem mais chances de progredir, mesmo que você não seja tão bom. Aqui onde moro também temos dificuldades para contratar desenvolvedores capacitados e pagar baixos salários que beiram a um salário mínimo. A questão é muito abrangente, não dá pra culpar apenas um lado como muitos adoram fazer.
Junior
Falando especificamente da classe pedreiros, a dificuldade não tem haver com o berço, mas sim com as próprias pessoas. Tenho vários na família e conhecidos q nasceram sem condições e em favelas, porém sempre procuraram evoluir (a maioria) e estão muito bem hoje, pois ao invés de ficar bebendo nos "butecos", procuravam melhorar a técnica de trabalho, comprar melhores ferramentas, pensar mais antes de fazer, como também teve casos dos outros q continuam na merda q nasceram. E isso não aplica-se somente à esta classe, procuro desenvolvedores na região onde moro, e já veio vários que inclusive durante a entrevista pediam uma licença para ver o celular, ou seja, o trabalho não é tão importante quando a vida social.
Juaum
O problema é que as condições de vida e oportunidades são diferentes para todos. Vez por outra vemos um "guerreiro" que veio das camadas mãos pobres, vencer na vida. Porém não podemos comparar com o que já nascem em condições muito superiores e tem o acesso facilitado por sua condição social.
Junior
Eu acho. Isso ajuda a valorizar aqueles que se esforçam em sempre melhorar, procurando evoluir e fazer cada vez melhor. Aqueles que ficam estagnados estarão sempre sujeitos a serem substituídos, sendo dispensáveis. Aqueles q se dedicam e evoluem estão sempre empregados. O mundo está cheio de gente querendo vida de político, trabalhando pouco e ganhando mundo. Já receber pelo que vale, tem bem poucos.
Exibir mais comentários