Início » Negócios » Empresas chinesas usam capacete para ler as emoções dos funcionários

Empresas chinesas usam capacete para ler as emoções dos funcionários

Não está claro se a tecnologia funciona de verdade, mas empresas relatam aumento expressivo no lucro

Jean Prado Por

Na China, Black Mirror se torna realidade: o país tem um sistema de crédito social que avalia os cidadãos com base em seus comportamentos, considerando até quais produtos eles compram pela internet. Chineses com baixa pontuação podem ser impedidos de viajar de avião ou trem e não podem experimentar tecnologias como uma máquina de venda de carros que oferece test drive gratuito.

Agora, a situação do povo chinês parece ficar ainda mais assustadora: segundo o South China Morning Post (SCMP), um jornal de Hong Kong, algumas empresas obrigam seus empregados a usar um capacete que é capaz de ler ondas cerebrais e monitorar suas emoções. Esses dados são usados pelas empresas para ajustar o ritmo da produção e, caso necessário, realocar ou demitir funcionários.

Um dos capacetes é desenvolvido pelo centro de pesquisa em neurologia Neuro Cap, financiado pelo governo chinês na Universidade de Ningbo. Ele é equipado com sensores que fazem uma espécie de eletroencefalograma e os sinais são posteriormente interpretados para detectar depressão, ansiedade, raiva e diversas outras emoções.

De acordo com o SCMP, o capacete é usado em larga escala em empresas do setor elétrico, exército, transporte público e algumas fábricas. Uma delas é a estatal State Grid Zhejiang Electric Power, de Hangzhou, que tem 40 mil funcionários e diz ter aumentado seu lucro em US$ 315 milhões graças a tecnologia.

Outra empresa, a Ningbo Shenyang Logistics, afirma ao SCMP que o capacete ajudou a reduzir significativamente o número de erros pelos funcionários, graças a um entendimento maior dos empregados pela empresa. Ela diz que a tecnologia fez seu lucro aumentar em US$ 22 milhões nos últimos dois anos.

Outro capacete, desenvolvido pela Deayea, empresa de tecnologia de Xangai, é usado em motoristas de trem para detectar fadiga ou perda de atenção; caso o motorista não esteja completamente atento, o capacete dispara um alarme para acordá-lo. A precisão da tecnologia é de mais de 90%, segundo o site da empresa.

Não sei se preciso falar como o uso dessa tecnologia é problemática: ler as emoções de uma pessoa é uma imensa invasão de privacidade e, apesar de supostamente ajudar as empresas a tomar melhores decisões e aumentar o lucro, abre margem para demissões motivadas pelo que os funcionários sentiam em um determinado momento.

Isso se a tecnologia de fato funciona: segundo o MIT Technology Review, um eletroencefalograma feito a partir da pele ainda traz resultados limitados e a relação desses resultados com a emoção humana ainda não é tão clara, de acordo com um estudo feito em conjunto pela Universidade de Tongji (Xangai) e pela Universidade de Brunel (Londres).

Com informações: South China Morning Post, MIT Technology Review.

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

Zé das Covi

oq o ocidente falar " porra, sera que é certo fazer isso" os caras da china já estão na versão 2.0 e foda-se ética

Rasputin 38

Não se esqueça que eles nunca tiveram uma revolução científica ou industrial antes do contato com o ocidente.

Não adianta ter imenso QI sem liberdade.

Rasputin 38

Espero que todos que vão votar no Ciro Gomes ou votariam no Lula vão pra lá e nunca voltem.

Rasputin 38

Eu respeito a cultura chinesa, mas o governo deles pode ser destruído que não me importo.

Rasputin 38

Aff, o terceiro país mais comunista do mundo faz isso e a culpa é do Capitalismo? Nada a ver, até porque a empresa é estatal. É o papai Estado demitindo.

John Smith

É séria a comparação?
Eu sinceramente preferiria viver na nossa zona sem qualquer hesitação.

Zé das Covi

Chego a admirar a china em alguns aspectos, é muito interessante o quanto de tecnologia pode ser desenvolvida quando se tem muito dinheiro e poucas barreiras "éticas"

Caleb Enyawbruce

Esses caras são bem creepy

CtbaBr©

Eu não sei se sinto mais pena dos chineses ou de nós brasileiros.
Dois extremos ruins, eles com controle total sobre o cidadão, nós... Uma "zona" generalizada.

Ricardo - Vaz Lobo

Imagine: todos os simpatizantes brazucas do método chinês de governar mudando-se para aquele pujante país asiático.

Neo_One

Essa notícia é tão surreal que se não a estivesse lendo no Tecnoblog provavelmente eu não acreditaria. É uma falta de ética absurda e uma invasão de privacidade sem tamanho. Além do mais, utilizam-se de um método que não tem sua eficácia comprovada para tomar decisões que afetam diretamente a vida dos funcionários e demais membros da população. Temos que acompanhar isso de perto, pois a China é um país muito importante para o mundo. Mas a que custo ?

Marcella

Eles devem ter um alarme que toca no RH toda vez que um funcionario pensa algum ruim da empresa rsrsrs

Offtopic: um monte de comentario meu aqui foi marcado como spam, alguem pode me ajudar?

Lucas Santos

Rapaz... Deu até um gelo, mas não creio na eficiência real, parece mais uma espécie de ameaça aos funcionários, fazendo com que eles procurem se esforçar mais. Se um ver o colega sendo demitido, ele procurará ser mais ligeiro e sorrir mais, por ter a impressão de que o outro foi demitido por não ser eficiente ou não estar feliz.

DeadPull
Esses dados são usados pelas empresas para ajustar o ritmo da produção e, caso necessário, realocar ou demitir funcionários.

o capacete é usado em larga escala em empresas do setor elétrico, exército, transporte público e algumas fábricas. Uma delas é a estatal State Grid Zhejiang Electric Power, de Hangzhou, que tem 40 mil funcionários e diz ter aumentado seu lucro em US$ 315 milhões graças a tecnologia.

Triste realidade. Quanto mais a tecnologia avança e permite lucros cada vez maiores às empresas, mais as pessoas se tornam descartáveis :/

Fernando Val

Prevejo reclamações públicas, processos trabalhistas e quedas nas ações dessas empresas por causa dessa invasão da privacidade dos funcionários em 5... 4... 3... 2... Não. Pera! É na China. Ah! Aí pode.

Exibir mais comentários