Início » Telecomunicações » TIM quer compartilhar espectro com Claro e Vivo

TIM quer compartilhar espectro com Claro e Vivo

Presidente da TIM defende que compartilhamento é importante para evoluir o setor de telecomunicações no Brasil

Lucas Braga Por

Faz poucos dias que a Anatel liberou Oi e TIM a compartilharem o espectro da rede móvel, e isso parece ser apenas o começo. Durante a teleconferência dos resultados financeiros do segundo trimestre da TIM, a operadora revelou negociações com Vivo e Claro para ampliar o compartilhamento.

Durante a conferência, Stefano de Angelis aproveitou seus últimos momentos na presidência da empresa para defender que compartilhamento é importante não só para melhorar a rede, mas também para a evolução do setor de telecomunicações no Brasil. O executivo afirma que a TIM sempre foi defensora do compartilhamento de infraestrutura e que não há sentido gastar dinheiro onde é possível compartilhar.

Ao compartilhar as frequências, as operadoras podem somar os espectros adquiridos e assim ampliar a capacidade de operação. De acordo com Leonardo Capdeville, CTO da empresa, isso permite otimizar os investimentos de todas as empresas envolvidas. Ele afirma que a discussão sobre compartilhamento é contínua não apenas com Oi, TIM e Vivo, mas também com provedores regionais.

700 MHz em São Paulo

Capdeville aproveitou para informar sobre o andamento dos 700 MHz em São Paulo. Já são mais de 600 estações rádio-base instaladas e prontas para ativação assim que a frequência for liberada pela Anatel.

Por ser uma frequência menor que os tradicionais 1.800 MHz e 2.600 MHz, a faixa de 700 MHz permite maior penetração de sinal e traz melhora significativa de cobertura em ambientes internos. Além dos 700 MHz, a TIM também está executando um refarming na faixa de 2.100 MHz e também em 850 MHz.

Com informações: Mobile Time, Convergência Digital

Comentários

Envie uma pergunta

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

ميديروس فيليبي

Usa o vivo easy e paga pelo que usar

@Sckillfer

Quais as bandas LTE utilizadas no refarming dos 2.100 e 850 MHz? É um detalhe bem importante na hora de comprar um aparelho que as operadoras aqui pouco se importam.

Diogo Mendes

E so para e pensar. Quem vai sair ganhando em relação as operadoras ? As operadoras que tem mais sinal ou a que tem menos ??? Para a operadora que tem maior alcance ela deve que gastar milhoes para isso. Entendeu ???

Anderson C. Santos

Me vem a mente uma lembranca: Autolatina.

Diego F. Duarte

Sem contar q isso e algo comum

Sandro Azedo

Esquece um pouco Pete. Qualquer um que entrar no governo fara tudo igual.
A anatel é um orgao que tem seus diretores escolhidos por indicação politica e nunca por competencia ou carreira.

Setembro o advogado do Pete Dias Tofoli assume a presidencia do supremo, solta o Lula, Lula sisputa a eleiçao, Janeiro Lula assume.

Como diz a bruxa do Pica Pau.
"E lá vamos nos"

Yago G. Oliveira

É btudo muito caro, tanto pra investir auanto para comprar.

Lucas Dantas

Vish não quero vivo não kkkkkk

Vitor

Em minha cidade a Claro e Vivo compartilham as rede (Famosa rede 724 28), e a conexão não é nem um pouco boa. A mais de um ano reclamo e nada acontece. Felizmente a Claro me oferece excelentes descontos... Uma coisa importante de lembrar é: esses compartilhamentos não vem para trazer qualidade e sim QUANTIDADE! Só lembrar: como uma empresa pretende dividir em 2 uma rede que já anda congestionada?

Yago G. Oliveira

A Nextel tem antenas, inclusive fez um investimento de 1bilhão no último ano.

Wellington Gabriel de Borba

Por mim a Anatel poderia liberar as operadoras fazerem uma TECBAN das redes móveis logo, mas com regras comerciais que facilitem a entrada de outras operadoras novas no aluguel da infraestrutura e das concessões de espectro, para as operadoras físicas. De quebra poderia entrar também novas regras tributárias, porque as operadoras móveis na prática são bitributadas.

Wellington Gabriel de Borba

Não consigo entender esse pessimismo, pois ele não é nenhum pouco lógico.

Wellington Gabriel de Borba

É pouco provável que tenha alguma restrição, pois a NEXTEL é considerada operadora com baixo poder de mercado. O máximo que a Vivo vai ter que fazer é devolver as frequências.

Wellington Gabriel de Borba

Quem deixou a Oi se afundar em dívidas, além dos próprios acionistas foi o Governo do Lula que pressionou o Congresso para permitir uma consolidação do mercado entre Oi e Brasil Telecom e regou a operadora com muito dinheiro do BNDES.

Fabio Santos

Todas trabalham unidas no quartel da Anatel, faz sentido cada vez se unirem, daqui a pouco se unificam e tabelam preço único nível vivo kk

Exibir mais comentários