Início » Telecomunicações » Huawei recruta Michel Temer para defender presença no 5G do Brasil

Huawei recruta Michel Temer para defender presença no 5G do Brasil

Temer vai preparar parecer jurídico para indicar que equipamentos da Huawei no 5G do Brasil não representam risco ao país

Victor Hugo SilvaPor

A Huawei contratou o ex-presidente Michel Temer para defender que os equipamentos da empresa não sejam barrados do 5G no Brasil. Segundo a Veja, ele vai elaborar um parecer jurídico para indicar ao governo brasileiro que a oferta de produtos de telecomunicações pela fabricante chinesa não representa um risco.

Michel Temer (Foto: Cesar Itiberê/PR - 27/12/2018)

Michel Temer (Foto: Cesar Itiberê/PR – 27/12/2018)

A escolha da Huawei levou em conta os conhecimentos de Temer como professor de Direito Constitucional. A empresa também considerou a relação que ele mantém com o presidente Jair Bolsonaro e com líderes no Congresso. Em dezembro, Câmara e Senado aprovaram a criação de comissões para acompanhar a implantação do 5G no Brasil.

Como lembra o TeleSíntese, Temer nomeou o atual presidente da Anatel, Leonardo Euler de Morais, que ocupará o cargo até novembro. O ex-presidente da República também foi responsável pela nomeação de Vicente Aquino como membro do Conselho Diretor da Anatel. Aquino foi reconduzido ao cargo por Bolsonaro.

Ministério das Comunicações analisa 5G

A corrida pelo 5G também é acompanhada pelo ministro das Comunicações, Fábio Faria. Ele se encontrou com o embaixador da Coreia do Sul, Kim Chan-Woo, na terça-feira (19) para discutir a participação do país asiático no leilão do 5G no Brasil. Segundo Faria, o processo será realizado ainda no primeiro semestre de 2021.

Em 13 de janeiro, Faria já havia participado de reunião por videoconferência com presidentes de Oi, TIM, Claro, Vivo e Algar. Um dos temas da conversa foi a viagem que o ministro deve realizar a diversos países para tratar da implantação do 5G no Brasil com representantes de empresas que atuam neste mercado.

De acordo com o TeleSíntese, a viagem está prevista para acontecer a partir de 2 de janeiro e incluir Finlândia e Suécia, onde estão a sede da Nokia e da Ericsson, respectivamente. O roteiro também poderá incluir países da Ásia, onde, além da Huawei, estão localizadas a sul-coreana Samsung e a japonesa NEC.

Comentários da Comunidade

Participe da discussão
7 usuários participando

Os mais notáveis

Comentários com a maior pontuação

brad (@brad)

Nunca achei que teria saudades desse canalha como presidente.

Douglas N. (@dougeureka)

A Huawei entende mais de política brasileira do que o Bolsonaro que passou 30 anos sem contribuir com nada: o recorde são 32 anos (faltam mais dois, creio).

Rodrigo (@rodrigo1)

"A escolha da Huawei levou em conta os conhecimentos de Temer como professor de Direito Constitucional.

[Peso de 1% na escolha]

A empresa também considerou a relação que ele mantém com o presidente Jair Bolsonaro e com líderes no Congresso.

[peso de 99% na escolha]