Oi Móvel conclui venda para Claro, TIM e Vivo — mas esse é só o começo

Leilão do braço de telefonia móvel aconteceu em 2020, mas só agora negócio foi concluído; Claro, TIM e Vivo firmaram contratos para uso de redes da Oi

Lucas Braga
Por

É só isso, não tem mais jeito, acabou: Claro, TIM e Vivo oficialmente concluíram a compra da Oi Móvel. O negócio foi firmado em leilão realizado em dezembro de 2020, mas levou um longo período para obter aprovação da Anatel e Cade. Sem o braço de telefonia celular, a Oi passa a atuar exclusivamente com serviços fixos.

Loja da Oi
Loja da Oi (Imagem: Divulgação)

Com a conclusão do negócio, o trio efetuou o pagamento para a Oi. A operação foi finalizada no valor de R$ 15,9 bilhões pela base de clientes, espectro e antenas de telefonia móvel, além do montante de R$ 586 milhões pelos serviços de transição.

Claro, TIM e Vivo já efetuaram o pagamento conjunto de R$ 14,4 bilhões. As compradoras retiveram 10% do preço da operação por 120 dias, que podem ser utilizados para compensação de eventuais ajustes pós-fechamento e outras obrigações de indenizações relativas ao negócio.

A venda dos ativos móveis também trouxe longos contratos de capacidade para a Oi. Em fato relevante, a TIM divulgou o compromisso de pagar R$ 467 milhões por mês pela infraestrutura de transporte da V.tal, companhia de rede neutra da Oi, durante o prazo de 10 anos. A Vivo também possui um acordo similar com valor mensal de R$ 179 milhões.

Tá, a Oi Móvel foi finalmente vendida. E agora?

É importante ressaltar que o negócio foi concluído. Só agora será iniciada a transição e migração dos ativos da Oi Móvel para Claro, TIM e Vivo, e isso ainda deve levar algum tempo.

A Anatel estabeleceu um prazo máximo de 18 meses após a conclusão do negócio para que as compradoras incorporem a base de clientes e finalizem a transição da Oi Móvel. É provável que demore menos tempo.

Até agora, a TIM foi a única operadora que revelou alguns detalhes sobre a incorporação da Oi Móvel. A operadora prometeu que irá fornecer planos iguais ou melhores aos clientes migrantes, e que num primeiro momento eles poderão acessar a nova rede com seus planos originais através de roaming.

Se você é cliente da Oi e não sabe para qual operadora será migrado, confira nessa matéria se seu número vai para Claro, TIM ou Vivo.

Oi já usou dinheiro da venda para quitar dívida

A venda representa uma boa cifra, mas a Oi nem chegou a ver parte do valor. A operadora tinha uma dívida de R$ 4,64 bilhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que foi quitada integralmente.

O pagamento foi feito pelas compradoras diretamente ao BNDES e deduzido do valor da venda, conforme previsto no plano de recuperação judicial da Oi. A TIM foi a responsável pela maior parcela e transferiu R$ 2,06 bilhões, seguido por Vivo, com R$ 1,56 bilhão. A Claro não divulgou fato relevante, mas não é difícil fazer as contas para descobrir que a tele pagou aproximadamente R$ 1 bilhão.

Um dos principais objetivos da Oi para a venda da operação móvel era reduzir os débitos da recuperação judicial. Além do BNDES, a operadora deve iniciar uma oferta pública na bolsa de Nova York para recompra de títulos de dívidas no montante de US$ 880 milhões.

Boa sorte para os consumidores brasileiros, que possuem agora menos uma opção de operadora móvel.

Relacionados

Relacionados