Microsoft avisa que Bing com ChatGPT pode dar resposta convincente, mas errada

Apesar dos esforços para resultados precisos, Microsoft alerta que integração do Bing com tecnologia do ChatGPT ainda não é confiável

Emerson Alecrim
Por

Os mecanismos de busca apontam onde está a resposta que você procura. Com o surgimento de inteligências artificiais que dão a resposta a você, essa dinâmica pode mudar. É o que podemos esperar da recente combinação do Bing com o ChatGPT? Talvez. A própria Microsoft alerta que os resultados dessa integração podem ser convincentes, mas errados.

Microsoft Bing com ChatGPT
Microsoft Bing com ChatGPT (Imagem: reprodução/Owen Yin)

O Bing e o navegador Edge usarão a tecnologia do ChatGPT para gerar respostas na mesma página da consulta. É como se você estivesse conversando com um robô que se comunica ou realiza tarefas por meio de textos. Se você já usou o ChatGPT, sabe como é a experiência.

Mas é preciso ter em mente que a tecnologia por trás do ChatGPT é um modelo de linguagem, aparentemente, uma variação do GPT 3.5. Esse sistema tem um objetivo primário: gerar texto que pode ser compreendido por nós, humanos.

Para tanto, os resultados entregues precisam ser coerentes. Por exemplo, “um pássaro está cantando na janela” é uma frase que se encaixa nesse contexto. Já “a impressora levou a árvore para passear”, não. Só que uma resposta pode ser coerente, mas não correta. É aí que surge o alerta.

Microsoft: “use o seu bom senso”

O FAQ do Bing foi atualizado para refletir a nova fase. Ali, a Microsoft alerta:

O Bing tenta basear todas as suas respostas em fontes confiáveis, mas a IA pode cometer erros, e o conteúdo de terceiros na internet nem sempre é preciso ou confiável.

Às vezes, o Bing deturpa as informações que encontra e você pode ver respostas convincentes, mas incompletas, imprecisas ou inadequadas. Use seu bom senso e verifique os fatos antes de tomar decisões ou medidas com base nas respostas do Bing.

É claro que, com os devidos refinamentos, mecanismos do tipo ficarão menos suscetíveis a resultados ruins. Mas, por enquanto, é recomendável não confiar plenamente neles. O próprio ChatGPT já deu numerosos exemplos de respostas erradas ou imprecisas.

A Microsoft ainda tem outro problema para lidar: o risco de a inteligência artificial cometer plágio (ou ser acusada de).

Mas o Verge faz uma observação importante: o Bing exibe as respostas do chatbot ao lado dos resultados das buscas convencionais. Na primeira olhada, essa abordagem pode parecer confusa ou poluir a página. Por outro lado, ela permite que o usuário cruze as informações de ambos os mecanismos.

Resposta da IA do Bing à direita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Resposta da IA do Bing à direita (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Apesar de, no momento, os resultados do ChatGPT e afins não serem totalmente confiáveis, tudo indica que o futuro dos serviços de busca está nesse tipo de tecnologia. Não é por acaso que o Google anunciou o Bard, a sua resposta ao ChatGPT.

No caso do Bing, vale lembrar que a integração com a tecnologia do ChatGPT está sendo liberada aos poucos. É preciso entrar em uma lista de espera para ter acesso a ela.

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Relacionados

Relacionados