Threads tá on: o que deu certo e o que ainda falta na nova rede social do Instagram

Plataforma da Meta chegou chegando: bateu 10 milhões de usuários em 7 horas. Confira os acertos e erros da ferramenta.

Felipe Freitas
Por
• Atualizado há 10 meses
Tela inicial de aplicativo
Threads chegou chegando, batendo 10 milhões de usuários em 7 horas (Imagem: Divulgação/Meta e Vitor Pádua/Tecnoblog)

O Threads chegou antes do planejado e já dá o que falar. A nova rede social do Instagram domina as conversas desde ontem e movimenta multidões. Como toda nova plataforma, há diversos pontos a melhorar. Também tem situações em que a ferramenta já acertou logo de cara. Você verá a seguir um balanço dos primeiros momentos de uso do Threads. Spoiler: a lista de melhorias ficou bem maior, mas está tudo bem.

O Threads está disponível para iOS e Android desde a noite de quarta-feira (6). A Meta adiantou o lançamento da rede social provavelmente para aproveitar o hype e problemas recentes do Twitter, seu principal rival. O Tecnoblog já está por lá.

Melhorias que são “obrigações” para o Threads

  • A primeira atualização para o Threads “virar o jogo” seria a adoção de um feed cronológico, porque ninguém merece ficar bloqueando influencers com os quais você não se importa e pessoas que você não conhece. Felizmente, Adam Mosseri, CEO do Instagram, já confirmou no próprio Threads que o feed cronológico “está na lista” de melhorias a serem aplicadas. Obrigado!
  • Aliás, parece que só bloquear uma pessoa não é o bastante: você precisa silenciá-la também. Se eu bloqueio alguém, é porque eu não quero saber dessa pessoa por nada nesse mundo — mesmo que ela seja altamente famosa e casada com um filho sem talento de um músico muito popular. Lado positivo: você pode bloquear o Mark Zuckerberg.
  • O design do Threads é clean… até demais. O preto e branco não é feio, mas parece que falta algo. Talvez mais espaço entre os botões de ações? Deixo isso com os designers, pois eu não entendo quase nada disso — eu usava Comic Sans laranja no MSN.
  • Falta a função de mensagem direta, algo praticamente essencial em qualquer rede social. Ainda que o Threads esteja interligado com o Instagram, não vai colar a ideia de ter que entrar na outra rede para trocar DMs. São aplicativos separados, apesar da integração.
  • Falando em integração, é totalmente opcional você seguir no Threads as mesmas contas que segue no Instagram. De toda forma, você ficará “exposto” para aqueles parentes que clicarem na opção de seguir automaticamente todos os contatos.
  • Para resolver o que descrevi acima é preciso manter uma conta fechada. Mas vai olhar na cara do seu tio no almoço de domingo sabendo que você está o ignorando no Threads…
  • Não tem como deletar a sua conta no Threads sem deletar a conta no Instagram. Para excluir o primeiro, você precisa apagar seu perfil no Instagram. O máximo que você consegue fazer é desativar a conta na nova rede social. Desativar o Instagram também desativa o Threads.
  • Você pode postar GIFs, mas não buscando as imagens animadas em um menu pronto para isso, como temos no Twitter. É preciso baixar um GIF no seu smartphone e selecionar como anexo no Threads.
  • Falta uma versão web. Quem está sempre no computador ou é micreiro não vai se dar o trabalho de pegar o celular para usar mais uma rede social.

Os acertos da nova empreitada de Mark Zuckerberg

Sim, é uma foto da Juliette no Tecnoblog (Imagem: Divulgação)
Sim, é uma foto da Juliette no Tecnoblog (Imagem: Divulgação)
  • Palmas para Zuckerberg e Mosseri, que deram acesso antecipado ao Threads para os principais influencers e grandes empresas. Goste ou não de Vírginia, Juliette, Jade Picon, Leo Santana ou sei lá quem, eles arrastam um baita público.
  • Ao valorizar esses profissionais, consequentemente você traz os fãs dessas pessoas para a sua plataforma. Afinal, os criadores de conteúdo são um pilar essencial de qualquer rede social.
  • Essa belíssima tática da Meta, um “tiki taka” do marketing digital, é um dos fatores que levou o Threads a bater 10 milhões de usuários em 7 horas.
  • A politica firme contra conteúdo adulto é um ponto positivo. Não é moralismo da minha parte, mas é que um espaço mais family friendly tem mais chance de sucesso com quem não quer dar de cara com a foto de um 🍆 ou 🍑 ao acessar a timeline. Quer conteúdo +18? Twitter, OnlyFans e outros sites que quem sabe, sabe.
  • A integração entre plataformas também acaba sendo um ponto positivo. Criei a minha conta no Threads e rapidamente estava seguindo amigos e colegas de trabalho. Também marquei a opção de “seguir” pessoas que ainda não tinham inaugurado um perfil por lá.
  • Continuando nesse assunto de integração, aqui vai algo que pode ser considerado um ponto positivo: se você bloqueia alguém ou silencia uma palavra em uma das redes, a medida será aplicada na outra também. Por exemplo, bloquear uma pessoa no Insta bloqueará no Threads.
  • Quer seguir todo mundo do seu Instagram? Basta clicar em “seguir todos” quando abrir o menu “Seguir contas do Instagram”. Para chegar lá, clique em Configurações e depois em “Seguir e convidar amigos”.

Para resumir: tem muita coisa para melhorar, mas o Threads está com um bom começo.

Receba mais sobre Meta na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Felipe Freitas

Felipe Freitas

Repórter

Felipe Freitas é jornalista graduado pela UFSC, interessado em tecnologia e suas aplicações para um mundo melhor. Na cobertura tech desde 2021 e micreiro desde 1998, quando seu pai trouxe um PC para casa pela primeira vez. Passou pelo Adrenaline/Mundo Conectado. Participou da confecção de reviews de smartphones e outros aparelhos.

Relacionados