O que é estabilização óptica de imagem (OIS) e como ela funciona dentro da lente

Entenda como funciona a estabilização óptica de imagem (OIS), usada nas lentes de câmeras para evitar fotos tremidas ou borradas

Emerson Alecrim Paulo Higa
Por e

Estabilização óptica de imagem (OIS) é uma tecnologia que desloca elementos da lente para compensar movimentos que causam borrões em fotos ou tremores em vídeos. O recurso pode ser encontrado em câmeras e celulares avançados.

Como funciona a estabilização óptica de imagem

A estabilização óptica de imagem ocorre quando um pequeno motor move os elementos da lente durante o registro de uma foto ou vídeo. Trata-se de um sistema que compensa movimentos para evitar que a imagem tenha desfoques, borrões ou rastros.

A compensação de movimento é feita por um ou mais giroscópios que detectam a posição da câmera. Essa informação é enviada a um chip ou sistema que calcula o deslocamento que deve ser executado pelo motor para que os elementos da lente contrabalanceiem a movimentação indesejada.

A OIS é feita com ajustes de posição nos elementos da lente (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
A OIS é feita com ajustes de posição nos elementos da lente (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Assim, se o equipamento for movido bruscamente para a esquerda, a OIS fará uma compensação deslocando os elementos da lente proporcionalmente para a direita. Como esse processo é rápido, o mecanismo funciona até para compensar uma vibração prolongada.

Estabilização no corpo (IBIS)

A estabilização de imagem no corpo (IBIS) também pode ser considerada um tipo de estabilização óptica, mas funciona por meio de deslocamentos no sensor de imagem. Neste artigo, abordamos somente a tecnologia mais popular de estabilização óptica, presente nas lentes.

Quando usar estabilização óptica na câmera

O ideal é que a câmera não seja segurada com as mãos quando a velocidade do obturador é inferior ao número de distância focal da teleobjetiva (lente). Assim, para um lente de 50 mm, a velocidade do obturador deve ser mais rápida que 1/50.

Mas nem sempre é possível ter suporte fixo para a câmera. Além disso, há várias circunstâncias que favorecem efeitos indesejáveis de deslocamento na imagem. Por isso, a estabilização óptica pode ser usada nas seguintes situações:

  • Falta de tripé: a OIS pode compensar os movimentos com as mãos quando não há tripé ou outro tipo de apoio para estabilizar o celular ou câmera;
  • Baixa luminosidade: a tecnologia consegue amenizar os efeitos de imagens tremidas ou borradas resultantes de ambientes com pouca luz;
  • Quando se anda: a OIS pode evitar que os passos dados durante uma caminhada resultem em movimentos que prejudiquem a qualidade da imagem, principalmente durante filmagens;
  • Veículos em movimento: a estabilização óptica pode atenuar borrões ou desfoques possíveis de ocorrer em registros feitos dentro de veículos em movimento;
  • Baixa velocidade do obturador: a OIS compensa a falta de estabilização que pode surgir quando a velocidade do obturador está baixa.

A técnica tem efeito limitado, principalmente na estabilização digital, podendo ser insuficiente para compensar movimentos vigorosos. Ajustar manualmente parâmetros como abertura de lente e ISO pode ajudar a prevenir efeitos indesejáveis de movimentos na imagem.

Sem OIS (à esquerda) e com OIS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
Sem OIS (à esquerda) e com OIS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Principais tecnologias de OIS

Tecnologias de estabilização óptica de imagem podem assumir diferentes nomes comerciais, dependendo da fabricante. Algumas das marcas mais comuns são:

  • Canon Image Stabilization (IS): foi lançada em 1995 com a teleobjetiva Canon EF 75-300mm f/4-5.6 II IS USM, considerada a primeira lente intercambiável para câmeras SLR (analógicas) com estabilização integrada;
  • Sony Optical SteadyShot (OSS): é a versão óptica do SteadyShot, marca de estabilização de imagem da Sony, presente em lentes, câmeras e celulares;
  • Nikon Vibration Reduction (VR): é a tecnologia de estabilização óptica das lentes Nikkor VR, da própria Nikon. O sistema utiliza dois sensores de velocidade angular (horizontal e vertical) para identificar movimentos;
  • Panasonic Mega OIS e Power OIS: o sistema Mega OIS foi criado para lentes de câmeras Lumix, especialmente modelos com longa distância focal. A versão Power OIS é aprimorada e está presente nas lentes mais atuais;
  • Sigma OS: a tecnologia OS (Optical Stabilizer) está presente em lentes da Sigma. Dependendo do modelo, o sistema permite velocidades do obturador até quatro pontos mais lentos do que a taxa padrão;
  • Olympus OIS e Sync IS: algumas lentes da Olympus contam com um sistema de estabilização chamado simplesmente de OIS. Mas a companhia também conta com o Sync IS, sistema que combina o OIS com estabilização no sensor.
No Galaxy Z Fold 4, as duas primeiras câmeras (ultrawide e principal) têm OIS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)
No Galaxy Z Fold 4, as duas primeiras câmeras (ultrawide e principal) têm OIS (imagem: Emerson Alecrim/Tecnoblog)

Qual é melhor, estabilização óptica ou digital?

A estabilização óptica costuma ser melhor, pois compensa mecanicamente movimentos durante o disparo. Já a estabilização digital é baseada em um software que aplica ajustes automáticos, razão pela qual está mais sujeita a imprecisões. Há mais detalhes em nosso comparativo entre estabilização óptica e digital.

Como desativar o OIS da câmera do celular?

De modo geral, é necessário ir nas configurações do aplicativo de câmera e desabilitar opções como “Estabilizar vídeo” ou “Estabilizar imagem”. Na linha iPhone 14, basta manter o Modo de Ação (ícone de uma pessoa correndo) desativado na função de vídeo do app de câmera.

Qual lente do celular tem estabilização óptica?

Normalmente, a lente da câmera principal do celular é a que conta com estabilização óptica. Mas, dependendo do smartphone, o recurso também pode aparecer em outras câmeras, como a frontal e a telefoto.

É melhor deixar o stabilizer mode no 1, 2 ou 3?

Na Canon, algumas lentes têm três modos de estabilização. Mas a melhor depende da circunstâncias e da própria lente. Na Canon EF 300mm, por exemplo, o modo 1 é indicado para assuntos estáticos, enquanto o modo 2 corrige trepidações verticais durante registros na direção horizontal e vice-versa. Já o modo 3 compensa vibrações apenas durante a exposição.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Relacionados