Privacidade no WhatsApp: como funciona e quais são as configurações disponíveis

WhatsApp garante a privacidade dos usuários com criptografia e ajustes de visibilidade para atividades na plataforma; saiba como a empresa lida com seus dados e veja como configurar o app.

Ana Marques
Por
• Atualizado há 2 semanas
Ilustração mostra cadeado fechado como símbolo de privacidade ao lado de logo do WhatsApp
Privacidade no WhatsApp é promessa na coleta e armazenamento de dados, bem como em status de atividade (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Os recursos de privacidade do WhatsApp são tecnologias e ferramentas que permitem controlar quem tem acesso às suas informações de perfil, atividade e mensagens trocadas na plataforma.

Tais configurações incluem a criptografia de ponta a ponta e os ajustes para conversas, como os avisos de “online” e “visto por último”, por exemplo.

Neste artigo, o Tecnoblog explica como funciona a privacidade no WhatsApp, mostrando quais tipos de dados a plataforma coleta sobre você. Além disso, montamos um guia para te ajudar a personalizar as configurações de privacidade no app.

Como funciona a privacidade no WhatsApp?

O WhatsApp promete garantir a privacidade de seus usuários por meio de dois pilares: criptografia e ajustes e privacidade, como explicamos abaixo.

  • Criptografia de ponta a ponta: protege o conteúdo de mensagens e ligações, evitando que tais informações sejam interceptadas durante a transmissão ou pelo backup em nuvem.
  • Controles de privacidade: conjunto de ajustes que permite ao próprio usuário decidir quais informações compartilhar publicamente e quem pode falar com ele pela plataforma. Incluem as configurações de confirmação de leitura, visto por último e online, entre outras.

O WhatsApp tem acesso ao conteúdo das minhas mensagens?

Não. O WhatsApp afirma em seus Termos de Serviço e Política de Privacidade que não tem acesso ao conteúdo de mensagens e ligações, pois usa a criptografia de ponta a ponta para proteger tais dados. Por este método, as informações saem do celular do remetente criptografadas e só podem ser lidas no celular do destinatário.

Leia, a seguir, o que diz a empresa:

O WhatsApp e a Meta não podem ler nem ouvir as mensagens que você troca com amigos e familiares, o que inclui suas mensagens e chamadas pessoais, os arquivos de mídia e as localizações que você compartilha. Não mantemos o registro das pessoas para as quais você ligou ou enviou mensagens, e não compartilhamos seus contatos com a Meta.

Captura de tela mostra mensagem de criptografia em conversa do WhatsApp
Captura de tela mostra mensagem de criptografia em conversa do WhatsApp (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Além disso, o mensageiro é contra a rastreabilidade — conceito usado por alguns governos para ter acesso a dados de mensagens privadas.

Segundo o WhatsApp, a rastreabilidade quebra a proteção oferecida pela criptografia de ponta a ponta, por exigir que serviços de mensagem armazenem informações que possam revelar o conteúdo de conversas. “Para rastrear pelo menos uma mensagem, os serviços teriam que rastrear todas as mensagens”, diz a empresa.

Ainda assim, o WhatsApp ressalta que mantém uma equipe dedicada a analisar pedidos de autoridades policiais e fornecer as informações possíveis, dentro de uma categoria limitada de dados coletados de usuários, para ajudar a esclarecer possíveis.

Quais dados o WhatsApp coleta dos usuários?

A atual Política de Privacidade do WhatsApp, atualizada em 04 de janeiro de 2021, prevê a coleta de dados em quatro modalidades: dados fornecidos pelo usuário, dados coletados automaticamente, dados fornecidos por terceiros e dados fornecidos por outras empresas da Meta. Veja a lista completa abaixo.

A coleta dos dados marcados com (*) são obrigatórios para usar o WhatsApp. Os demais são opcionais.

Dados fornecidos pelo usuário ao WhatsApp

  • Número de telefone*
  • Nome de perfil*
  • Foto de perfil
  • Recado
  • Contatos
  • Dados de status
  • Dados de transações e pagamentos do WhatsApp Pay
  • Endereço de e-mail para suporte
  • Cópia de mensagens para atendimento do suporte
  • Mensagens não entregues (até 30 dias, criptografadas)
  • Mídias encaminhadas (temporariamente, criptografadas)

Dados coletados automaticamente pelo WhatsApp

  • Registros de desempenho e falhas*
  • Configurações do serviço*
  • Data de cadastro*
  • Registro de recursos usados (grupos, ligações ou mensagens)*
  • Informações sobre atividade (online; visto por último)*
  • Dados sobre conexões e dispositivos: modelo do hardware; sistema operacional; nível de bateria; força do sinal; versão do aplicativo; informações do navegador; rede móvel; operadora de celular; idioma; fuso horário; endereço de IP e identificadores*
  • Dados de localização

Dados fornecidos por terceiros ao WhatsApp sobre você

  • Contatos (outros usuários podem fornecer seus dados telefônicos, nome, caso estejam cadastrados nas agendas deles)
  • Capturas de tela enviadas por denúncia ou suporte
  • Suas interações com outros usuários para fins de denúncia
  • Interação com empresas

Dados fornecidos por outras empresas da Meta (como o Facebook e Instagram)

  • Informações de registro (número de telefone, nome de perfil)
  • Transações (ao usar Meta Pay ou Lojas do Facebook no WhatsApp, por exemplo)
  • Interações com empresas
  • Dados do dispositivo móvel
  • Endereço de IP

Veja mais detalhes sobre como os dados coletados são usados nesta tabela disponibilizada pelo WhatsApp. Você também pode solicitar uma cópia dos dados que o WhatsApp armazena sobre você.

Posso impedir que o WhatsApp compartilhe dados com o Facebook?

Não mais. O WhatsApp compartilha dados com a Meta Platforms (antes, Facebook Inc.) desde 2016. Na época, o usuário podia optar por não enviar suas informações à empresa que controla os serviços do mensageiro. Esse procedimento era realizado nas configurações do app, mas em algum momento ficou indisponível.

Com a atualização da Política de Privacidade de janeiro de 2021, essa mudança veio à tona, causando polêmica. Todos os usuários do WhatsApp deveriam concordar em compartilhar seus dados com a Meta ou parar de usar o mensageiro até 8 de fevereiro de 2021.

Mark Zuckerberg (imagem: Reprodução/Facebook)
Mark Zuckerberg (imagem: Reprodução/Facebook)

Segundo a empresa, o objetivo do compartilhamento de dados entre os produtos do grupo (como Facebook e Instagram) é melhorar as experiências com anúncios e outros serviços da Meta, ajudando a combater spam e otimizando os algoritmos de entrega de conteúdo.

As informações coletadas incluem, entre outros dados, o seu número de telefone, como você interage com outros usuários e seu endereço de IP.

Vale ressaltar que o conteúdo das suas mensagens não pode ser lido nem mesmo pelo WhatsApp, e não é compartilhado com a Meta.

Quais são os recursos de privacidade do WhatsApp?

Os recursos de privacidade incluem a criptografia de ponta a ponta do WhatsApp e as configurações de privacidade para perfil e conversas. Veja a lista completa a seguir.

  • Criptografia de ponta a ponta para mensagens individuais ou em grupo;
  • Criptografia de ponta a ponta para chamadas de voz e vídeo;
  • Criptografia de ponta a ponta para o backup em nuvem;
  • Visibilidade do status;
  • Visibilidade do recado;
  • Visibilidade da foto de perfil;
  • Visibilidade de atividade (online e visto por último);
  • Visibilidade da confirmação de leitura;
  • Permissão para adicionar a grupos;
  • Conversas trancadas;
  • Mensagens temporárias;
  • Fotos e vídeos de visualização única;
  • Silenciamento de números desconhecidos;
  • Bloqueio e denúncia de contas.

Quem pode ver meu nome no WhatsApp?

Por padrão, o seu nome de perfil é visível para todos com quem você conversa no mensageiro. Porém, é possível usar um truque ocultar o seu nome para todos no WhatsApp usando caracteres invisíveis.

O WhatsApp exibe uma lista de contatos online?

Não. Entretanto é possível saber quem está online no WhatsApp ao abrir uma conversa individual com o usuário. A informação é exibida abaixo do nome ou número de telefone, no topo do chat. A exceção fica para os usuários que tenham optado por ocultar o status de atividade nas configurações de privacidade do app.

Existem aplicativos de terceiros que podem enviar alertas quando um contato fica online no WhatsApp. No entanto, o uso desses recursos é desencorajado pela Meta e pode levar ao banimento da conta por violar os Termos de Serviço do mensageiro.

O WhatsApp avisa quando alguém tira print?

Não. O WhatsApp não tem um mecanismo nativo para notificar os usuários quando outras pessoas tiram print da tela. Desse modo, é importante ter cuidado ao compartilhar conteúdo sensível ou confidencial com outras pessoas, especialmente em grupos ou no status.

Vale ressaltar que o app bloqueia a captura de tela em fotos e vídeos de visualização única. Além disso, a versão beta do mensageiro está testando um impedimento de print para a foto de perfil.

Consigo saber a hora em que alguém visualizou a minha mensagem no WhatsApp?

Sim, mas apenas se o contato não desativou a confirmação de leitura. Para verificar o horário em que a mensagem foi visualizada, basta tocar sobre ela e, em seguida, ir em “Dados”.

Por que aparece a hora errada de visualização da mensagem?

Caso o WhatsApp esteja exibindo o horário errado, pode ser necessário ajustar o relógio do seu smartphone nas configurações do sistema.

Posso saber quem tem meu número como contato no WhatsApp?

Sim. Existem algumas pistas, como a possibilidade de ver a foto de perfil da pessoa. Mas a forma mais fácil de confirmar se alguém adicionou seu número no WhatsApp é por meio das Listas de Transmissão, que só enviam mensagens a quem tem o remetente na lista de contatos.

Como configurar a privacidade no WhatsApp?

Para ter privacidade personalizada no WhatsApp, entre no menu “Configurações” do WhatsApp e, em seguida, em “Privacidade”. Você verá as opções de ajustes disponíveis e poderá alterar quem visualiza determinadas informações.

A seguir, veja algumas dicas para aumentar a sua privacidade no aplicativo.

1. Tire o visto por último e o online do WhatsApp

É possível configurar o status de atividade para decidir quem vê quando você fica online no WhatsApp. Desse modo, também fica a seu critério definir se “Todos”, “Contatos”, “Contatos, exceto…” ou “Ninguém” terá acesso ao horário em que você foi visto pela última vez no WhatsApp.

2. Desative a confirmação de leitura

As configurações de privacidade do mensageiro também permitem desativar a confirmação de leitura para conversas individuais do WhatsApp. Essa opção esconde a confirmação de que você ouviu uma mensagem de áudio.

3. Defina quem pode ver sua foto de perfil

Você também pode esconder a foto de perfil do WhatsApp para todos, para determinados contatos ou para desconhecidos. Basta acessar as configurações de privacidade do app e tocar em “Foto de perfil”.

4. Defina quem pode ver seu status no WhatsApp

As fotos e vídeos postados no status são visíveis para todos os seus contatos, por padrão. No entanto, você pode escolher compartilhar apenas com alguns contatos específicos ou ocultar as publicações para algumas pessoas por meio das configurações de privacidade do status do WhatsApp.

5. Esconda conversas específicas com senha

O recurso de conversas trancadas do WhatsApp permite colocar senha ou biometria para proteger conversas confidenciais. Desse modo, mesmo que alguém tenha acesso ao seu telefone, não poderá abrir acessar os chats ocultos.

6. Impeça que desconhecidos te adicionem a grupos

Você pode limitar as permissões de conversas para que apenas os seus contatos consigam te adicionar a grupos do WhatsApp. Também é possível impedir que contatos específicos adicionem você a conversas em grupo. Essas são formas de evitar spam ou chats indesejados no aplicativo.

7. Limite quem pode ver seus recados no WhatsApp

Ao limitar a visualização dos recados no WhatsApp, você tem maior liberdade para personalizar as mensagens desse espaço. Por meio das configurações de privacidade do app, é possível ocultar os recados de contatos específicos, desconhecidos e até mesmo optar por não exibir a mensagem para ninguém.

8. Digite mensagens sem ser dedurado

Ainda não existe um recurso nativo para esconder o “Digitando…” no WhatsApp, que aparece em chats quando você está prestes a enviar uma mensagem. No entanto, o um truque para digitar sem ser visto é responder a mensagem por meio das pré-visualizações de notificações. Desse modo, o destinatário não saberá que você está escrevendo.

9. Envie mensagens temporárias, que se autodestroem

Ao ativar as mensagens temporárias do WhatsApp, você define um prazo para que aquele conteúdo seja apagado automaticamente. Assim, a menos que o destinatário faça capturas de tela, ele não manterá um histórico das conversas para além do tempo estabelecido.

Também é possível enviar fotos e vídeos de visualização única pelo WhatsApp para evitar que outros usuários tirem print das mídias recebidas.

10. Silencie ligações de desconhecidos no WhatsApp

Acesse o menu “Ligações”, nas configurações de privacidade do app, para silenciar números desconhecidos no WhatsApp. Desse modo, as chamadas ainda aparecem na aba Ligações e nas suas notificações, mas seu celular não irá tocar quando elas chegarem.

11. Bloqueie pessoas, empresas e grupos

Se alguém passou dos limites ou entrou em contato com você sem ser solicitado, uma solução para evitar mais inconvenientes é bloquear a pessoa ou empresa no WhatsApp. Você também pode bloquear um grupo e impedir que te adicionem novamente a ele.

12. Ative a criptografia de ponta a ponta para o backup em nuvem

Por fim, ativar a criptografia de ponta a ponta para o backup em nuvem do WhatsApp vai garantir a proteção das suas conversas armazenadas no Google Drive ou iCloud. Com esse recurso, apenas você tem acesso ao conteúdo das mensagens, que só é restaurado mediante uma senha.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre WhatsApp na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados