Início » Negócios » Qualcomm recusa oferta de compra pela Broadcom

Qualcomm recusa oferta de compra pela Broadcom

US$ 103 bilhões não são suficientes

Por
13/11/2017 às 14h55
Já conhece a nova extensão do Tecnoblog? Baixe Agora

Os US$ 103 bilhões que a Broadcom está disposta a pagar pela Qualcomm formam um valor extremamente alto, certo? Para quem olha de fora, sim, mas o montante não foi considerado suficiente: a Qualcomm decidiu rejeitar a oferta por entender que ela “subestima drasticamente” o valor da companhia.

A proposta foi formalizada na semana passada e chamou bastante atenção por causa dos valores elevados. Além de desembolsar US$ 103 bilhões, que correspondem a US$ 70 por ação da Qualcomm, a Broadcom se comprometeu a assumir as dívidas líquidas da fabricante dos chips Snapdragon, cujas cifras atuais estão na casa dos US$ 25 bilhões.

Qualcomm

Se o negócio fosse concluído, veríamos uma gigante com valor de aproximadamente US$ 200 bilhões surgir: estima-se que, hoje, a Broadcom tem valor de mercado de US$ 112 bilhões; a Qualcomm, de US$ 91 bilhões.

Mas, conforme analista já previam, a Qualcomm rejeitou a proposta. O conselho administrativo da companhia passou o último fim de semana reunido com assessores financeiros e jurídicos, e concluiu que, além de o montante ofertado não ser um valor justo, a oferta traz “incerteza regulatória significativa”.

Para complementar o argumento de que a oferta está abaixo do esperado, Steve Mollenkopf, CEO da Qualcomm, disse em nota que “nenhuma empresa está mais bem posicionada [do que a Qualcomm] em mobilidade, internet das coisas, automotivo, computação de ponta e redes na indústria de semicondutores”.

O momento também parece não ser propício para um negócio dessa magnitude. No último trimestre, o lucro da Qualcomm caiu 90% por conta, entre outros problemas, de uma complexa disputa judicial contra a Apple.

Broadcom

Além disso, a Qualcomm está há meses tentando comprar a NXP Semiconductors. O último valor ofertado foi de US$ 38 bilhões. Se o negócio com a Broadcom tivesse sido fechado, talvez a Qualcomm seria obrigada a aumentar esse valor.

Esperar pela negociação com a NXP também é prudente por conta da valorização: se a NXP aceitar a oferta, a Broadcom provavelmente vai ter que aumentar a sua proposta para algo muito superior aos US$ 103 bilhões.

Mas a novela pode não ter chegado ao fim. No dia 8 de dezembro, acionistas da Qualcomm terão que eleger novos membros para o conselho administrativo. Fontes próximas à Broadcom dizem que, junto com um aumento do valor da oferta, a companhia pode sugerir uma lista de candidatos que votariam a fator da conclusão do negócio. Em outras palavras, uma nova ofensiva deve vir aí.

Com informações: Reuters

  • Ricardo – Vaz Lobo

    O Snapchat tem ações da Qualcomm?

  • Tiago Celestino

    Isso me lembra o Yahoo. Recusou uma oferta de bi da MS e foi vendida por mi.

  • Carlin

    “No último trimestre, o lucro da Qualcomm caiu 90% por conta, entre outros problemas, de uma complexa disputa judicial contra a Apple.”

    Por mais que a Qualcomm esteja bem posicionada no mercado, se o seu lucro advêm de um grupo muito pequeno de empresas, isso é um grande problema em potencial…