O que é um painel VA (Alinhamento Vertical)?

Entenda como funciona um painel VA e quais são as vantagens dessa tecnologia para telas de TVs, monitores e mais eletrônicos

Emerson Alecrim Ana Marques
Por e
• Atualizado há 11 meses
TV Samsung AU7700, também um modelo Crystal UHD (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
TV Samsung AU7700 com tela VA LCD (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

Vertical Alignment (VA) ou Alinhamento Vertical é um tipo de painel usado em telas de cristal líquido (LCD). Essa tecnologia é encontrada em dispositivos como TVs, monitores e celulares, e se destaca por oferecer ótimo nível de contraste.

A tecnologia VA LCD foi apresentada pela Fujitsu em 1996, como alternativa às telas TN (Twisted Nematic) e IPS (In-Plane Switching). Seus atributos incluem reprodução melhorada de tons escuros e fidelidade de cores. Dell, LG e Samsung estão entre as marcas que usam VA, principalmente em notebooks, TVs e monitores.

Como funciona um painel VA

Como toda tela LCD, um painel VA é formado por uma série de camadas. Estas são as principais:

  • backlight de LED;
  • primeiro filtro polarizador;
  • transistores de película fina (TFT);
  • cristais líquidos;
  • segundo filtro polarizador;
  • camada frontal.
Estrutura VA LCD (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Estrutura VA LCD (imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O backlight emite a luz, que é orientada pelo primeiro filtro polarizador até chegar aos cristais líquidos.

Telas VA mantêm esses cristais em alinhamento vertical em relação às camadas. Assim, a luz emitida passa sem mudanças até ser bloqueada pelo segundo polarizador, gerando uma imagem preta e favorecendo o ângulo de visão.

Ao receber corrente elétrica do TFT, os cristais ficam na posição horizontal, permitindo a passagem de luz pelo polarizador. Cada pixel fica branco após a luz passar pelo segundo filtro polarizador. Contudo, a tela pode reproduzir uma ampla profundidade de cores por haver um filtro RGB antes da camada frontal (a superfície externa da tela).

Características de painéis VA

Nosso comparativo mostra o que muda entre painéis TN, VA e IPS. Nele, você encontra as vantagens e desvantagens de cada tecnologia.

Em resumo, podemos ressaltar que um display VA tem as seguintes características:

  • Maior taxa de contraste: telas VA LCD apresentam níveis de contraste mais elevados do que em painéis TN e IPS. Apesar disso, a tecnologia não consegue alcançar o preto profundo de telas OLED e AMOLED;
  • Bom ângulo de visão: painéis com alinhamento vertical têm visualização sob ângulos laterais melhor do que em telas TN LCD, podendo chegar a 178 graus. Mas não é incomum visores VA terem ângulo máximo inferior ao IPS;
  • Alta taxa de atualização: monitores VA atuais podem ter taxa de atualização de 120 Hz ou mais, contra o limite de 60 Hz existente nos primeiros modelos;
  • Reprodução de cores: frequentemente, dispositivos VA têm profundidade de cores de 8 bits, o que resulta em até 16,7 milhões de cores. Telas mais avançadas podem chegar a 10 bits, resultando em mais de 1 bilhão de cores;
  • Tempo de resposta satisfatório: painéis VA convencionais tinham maior tempo de resposta do que os TN. Porém, modelos avançados de VA LCD já conseguem atingir tempo de resposta de 1 milissegundo;
  • Preço mais alto: monitores VA LCD costumam ser mais caros do que dispositivos com tela TN. Na comparação com telas IPS, os preços não variam muito, dependendo mais das características de cada produto;
  • Motion blur: telas VA LCD podem apresentar um efeito de desfoque de movimentos ou de distorções de cores durante a transição de imagens. Felizmente, esses problemas não são comuns em displays atuais.
A TV Samsung AU8000 também tem painel VA (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)
A TV Samsung AU8000 também tem painel VA (imagem: Darlan Helder/Tecnoblog)

VA vs SVA: qual é a diferença?

SVA significa Super Vertical Alignment. O nome foi criado pela Samsung para designar um tipo de tela VA que orienta os cristais líquidos em mais direções do que no alinhamento vertical padrão.

A maior variedade de movimentos dos cristais permite à tela ter ângulo de visão mais amplo. Entretanto, mesmo uma tela SVA pode ter visualização lateral inferior em relação a um painel IPS.

Perguntas frequentes

Como identificar um painel VA

Normalmente, uma tela VA LCD tem nível de contraste mais alto do que em painéis TN e IPS. No entanto, displays IPS tendem a ter ângulo de visão maior. Como nem sempre é fácil analisar esses aspectos, a melhor maneira de ter certeza sobre o tipo de tela é procurando pelas especificações do equipamento.

Monitor VA suporta HDR?

O HDR exige que a tela tenha amplos níveis de contraste e brilho. Como telas VA LCD oferecem essas características, elas podem suportar HDR. Porém, esse atributo não é nativo. A sua disponibilidade depende do fabricante e da sofisticação do produto.

Painéis VA podem apresentar burn-in?

Burn-in é uma marca permanente que pode aparecer em telas OLED e AMOLED, mas não costuma surgir em visores VA LCD. No entanto, displays do tipo podem apresentar persistência transitória da imagem, quando manchas aparecem, mas somem depois de algum tempo.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais notícias do Tecnoblog na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Emerson Alecrim

Emerson Alecrim

Repórter

Emerson Alecrim cobre tecnologia desde 2001 e entrou para o Tecnoblog em 2013, se especializando na cobertura de temas como hardware, sistemas operacionais e negócios. Formado em ciência da computação, seguiu carreira em comunicação, sempre mantendo a tecnologia como base. Em 2022, foi reconhecido no Prêmio ESET de Segurança em Informação. Em 2023, foi reconhecido no Prêmio Especialistas, em eletroeletrônicos. Participa do Tecnocast, já passou pelo TechTudo e mantém o site Infowester.

Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Relacionados