HD, Full HD, UHD e mais: as diferenças entre os tipos de resolução de vídeo

HD, FHD, UHD, 1080p, 720p e 2160p são algumas formas de representar a resolução de um vídeo; entenda o que muda entre elas e como isso afeta a captura e reprodução do conteúdo

Paulo Higa Ana Marques
Por e
Resoluções de vídeo mais comuns (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

A resolução de um vídeo é definida como a quantidade de pixels em termos de largura e altura que o arquivo contém. O objetivo da resolução é influenciar a nitidez, a definição e, consequentemente, a qualidade da imagem. Os tipos mais comuns são HD, Full HD e UHD (4K).

Tipos de resolução de vídeo

SD (Standard Definition)

A resolução SD (Standard Definition, ou Definição Padrão) se refere ao 480p, ou seja, um vídeo com 480 linhas de altura. Arquivos com essa resolução geralmente têm 720×480 pixels (em proporção 16:9) ou 640×480 pixels (em proporção 4:3).

A nomenclatura do SD, que remete a um “padrão”, é defasada, já que as resoluções Full HD e 4K são mais comuns atualmente. Ela se refere à época na qual o SD era o formato de transmissão de TV mais popular (SDTV), antes da transição para os sistemas de TV digital em alta definição, no início do século XXI.

A vantagem do SD é o baixo consumo de banda, o que permite a reprodução via streaming mesmo em conexões mais lentas. No entanto, vídeos em 480p passam por compressão com maior perda de dados, o que prejudica a qualidade da imagem.

HD (High Definition)

O HD (High Definition, ou Alta Definição) se refere ao 720p. Vídeos com essa resolução têm 720 linhas de altura, o que gera arquivos com 1280×720 pixels em proporção 16:9 (widescreen), a mais comum em transmissão digital.

A “alta” definição do HD é um contraponto à baixa resolução do padrão SD, portanto, essa nomenclatura ficou defasada à medida que outras resoluções maiores se tornaram populares, como a 4K.

A principal vantagem do HD é a versatilidade para uso em streaming, já que oferece qualidade de imagem suficiente para celulares e dispositivos portáteis, mas sem consumir tanta banda. Porém, o HD tem menos da metade dos pixels do Full HD, o que pode afetar a nitidez da imagem em telas maiores, como TVs.

Full HD (FHD)

Full HD é uma resolução de vídeo com 1.080 linhas de altura. Vídeos em Full HD com aspecto widescreen têm 1920×1080 pixels e são conhecidos como 1080p.

O padrão BT-709-6, publicado em 2015, estabelece que o Full HD precisa ter 1.080 linhas ativas. Portanto, vídeos de 1920×1080 pixels com varredura entrelaçada (conhecidos como 1080i), que são transmitidos no sistema de TV digital brasileiro (ISDB-TB) lançado em 2008, não são considerados Full HD.

A resolução Full HD tem como vantagem a maior qualidade de imagem em relação ao HD e SD. Entretanto, um vídeo em Full HD ocupa mais que o dobro de espaço de um vídeo HD com a mesma técnica de compressão, o que limita seu uso em smartphones com pouca capacidade de armazenamento.

Quad HD (2K)

Quad HD, também conhecida como 2K, é uma resolução de vídeo de 2560×1440 pixels. Por apresentar 1.440 linhas de altura, é conhecida como 1440p.

A resolução de 2560×1440 pixels tem exatamente o dobro de altura e largura do HD (1280×720 pixels). A nomenclatura “Quad” se refere ao fato de sua contagem de pixels ser quatro vezes maior que o HD, com 3.686.400 pixels por quadro de vídeo.

A principal vantagem do Quad HD é a edição de vídeos com qualidade superior. Os pixels adicionais em relação ao Full HD permitem que as bordas do vídeo sejam recortadas para realizar estabilização digital de imagem, ou mesmo para dar zoom digital com menor perda de nitidez.

UHD (Ultra High-Definition ou 4K)

A resolução 4K, também conhecida como 2160p, apresenta 3840×2160 pixels nos vídeos em proporção 16:9. O padrão Ultra High-Definition (Ultra HD) foi estabelecido em 2012 pela Consumer Electronics Association (CEA) e é o mais conhecido em transmissão digital.

No entanto, o termo 4K pode se referir a qualquer resolução com aproximadamente 4.000 colunas de pixels. O 4K DCI é voltado para a indústria cinematográfica e oferece 4096×2160 pixels em proporção 1,9:1. Já o Sony CinemaWide 4K representa vídeos em 21:9 com resolução de pelo menos 3840×1644 pixels.

O 4K tem como vantagem o fato de ter se popularizado junto com outras tecnologias de processamento de imagem, como o HDR, o que melhorou a qualidade dos vídeos além da simples contagem de pixels. No entanto, sua adoção foi lenta principalmente devido à alta exigência de banda, como os 15 Mb/s constantes na Netflix.

Resolução 5K

5K é um termo genérico para se referir a resoluções com cerca de 5.000 pixels na horizontal. A resolução 5K mais comum é de 5120×2880 pixels, em proporção 16:9.

Monitores de edição de vídeo são a aplicação mais comum do 5K. Equipamentos como o Apple Studio Display e o LG UltraFine 5K Display podem exibir todos os pixels de um vídeo em 4K e, ao mesmo tempo, barras de ferramentas e outros controles de um software de edição de vídeo.

Embora o 5K tenha sido usado em gravação de vídeos, sua aplicação ficou mais restrita a dispositivos de exibição de imagem. O YouTube, que já aceitou vídeos 5K, encerrou o suporte a essa resolução em 2022.

Resolução 8K

A resolução 8K tem 7680×4320 pixels. Sua especificação foi definida no padrão BT.2020, publicado em 2012, que também estabelece a profundidade de cores em 10 ou 12 bits e taxas de quadros de 24 a 120 fps.

O 8K ainda não foi amplamente adotado porque há poucos dispositivos capazes de exibir os 33,2 milhões de pixels em sua plenitude. TVs 8K estão disponíveis no mercado desde 2015, mas essa resolução não se popularizou em telas menores, como as que equipam celulares, tablets e monitores.

A principal vantagem do 8K é permitir aplicações de reframing em altíssimas resoluções. Como o 8K tem mais linhas (4.320) que colunas no 4K (3.840), pode ser usado até mesmo para gerar recortes verticais em 4K sem perda de nitidez.

Resolução 10K

10K é uma resolução com cerca de 10.000 pixels na horizontal. A resolução 10K mais conhecida é de 10240×4320, que gera vídeos com proporção de aproximadamente 21:9. Essa resolução é considerada experimental, e sua compatibilidade com sistemas existentes é limitada.

Acredita-se que a resolução 10K possa ser útil em futuras aplicações de realidade virtual. Headsets poderiam ter microtelas de OLED de altíssima definição para reproduzir vídeos a uma distância muito próxima dos olhos do usuário em uma densidade de pixels altíssima, aumentando a imersão e o realismo da imagem.

Resolução e Aspect Ratio

A resolução se refere à quantidade de pixels que o vídeo possui em termos de largura e altura, enquanto o aspect ratio (ou proporção de vídeo) é a divisão entre a largura e a altura do conteúdo.

Um vídeo com resolução de 640×480 pixels tem 4 unidades de largura para cada 3 unidades de altura, logo, sua proporção é 4:3. Essa proporção era a mais comum em vídeos SD e mídias magnéticas, como o VHS. TVs e monitores mais antigos tinham telas com essa proporção, que se aproximava de um quadrado.

O widescreen (16:9) é o formato mais usado em transmissão digital de vídeo. Sua proporção é geralmente usada nas resoluções HD, Full HD e 4K, bem como em monitores e TVs voltados ao consumidor doméstico.

Proporções de vídeo (aspect ratios) comuns: 4:3 e 16:9 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Proporções de vídeo (aspect ratios) comuns: 4:3 e 16:9 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Há outras proporções mais voltadas para telas. Uma delas é a 18:9 (2:1), ligeiramente mais larga que a widescreen, usada em telas de celular com resoluções como Full HD+ (2160×1080 pixels). Já a proporção 21:9 é usada em telas de cinema e adotada por padrões como o 4K DCI.

Diferenças entre tipos de varredura

Vídeos podem ser transmitidos com varredura progressiva ou varredura entrelaçada. As diferenças são:

  • Varredura progressiva: método mais comum que exibe todas as linhas do vídeo em ordem, de cima para baixo. É representada pelo “p” em resoluções como 720p, 1080p e 2160p. Geralmente resulta em imagens mais suaves e nítidas, o que é ideal para vídeos com muitos movimentos;
  • Varredura entrelaçada: exibe primeiro as linhas ímpares do vídeo, seguidas pelas linhas pares. É indicada pelo “i” em resoluções como a 1080i, usada no padrão de TV digital lançado no Brasil em 2008, o ISDB-TB. Pode gerar problemas de nitidez no vídeo, mas economiza largura de banda.
Varredura entrelaçada vs varredura progressiva em vídeos (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Varredura entrelaçada vs varredura progressiva em vídeos (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Qual é a diferença entre 1080p e 1080i?

Vídeos 1080p e 1080i têm tipos de varredura diferentes. A varredura influencia a sensação de nitidez em resoluções com o mesmo número de linhas. O 1080p exibe todas as 1.080 linhas ao mesmo tempo, enquanto o 1080i só exibe 540 linhas de cada vez. Por isso, o 1080p é considerado superior ao 1080i em qualidade de imagem.

Qual é a diferença entre resolução e taxa de quadros (fps)?

Um vídeo é composto por uma sequência de imagens. A resolução determina a quantidade de pixels de cada imagem. Já a taxa de quadros estabelece a quantidade de imagens (quadros) exibidas a cada segundo. Quanto maior a taxa de quadros, maior será a suavidade do vídeo.

Um vídeo de 60 fps (frames per second) exibe 60 imagens em um segundo em um vídeo progressivo. Na varredura entrelaçada, um vídeo representado como “1080i60” mostra alternadamente 30 vezes as linhas ímpares e 30 vezes as linhas pares de uma imagem em um segundo.

Qual é a melhor resolução de vídeo?

A melhor resolução de vídeo é aquela que equilibrar a maior qualidade de imagem possível com os recursos que estiverem disponíveis no momento da captura, transmissão ou reprodução.

Telas de celulares geralmente têm resolução mais próxima da Full HD ou, no caso dos modelos mais caros, Quad HD. Por isso, essas resoluções devem ser suficientes para apresentar alta qualidade de imagem sem saturar ou consumir muitos dados de uma conexão 4G.

As TVs 4K são mais vendidas que os modelos Full HD desde 2018. Conteúdos produzidos para ambientes domésticos, como séries e filmes por streaming, devem ter resolução 4K para extrair o máximo dos televisores. TVs 8K costumam usar upscaling para compensar a falta de conteúdos nativos nessa resolução.

Resoluções maiores, como 8K, 10K e 16K, podem se tornar mais comuns à medida que novos dispositivos com telas de altíssima definição se popularizarem, como os headsets de realidade virtual.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre 1080p (Full HD) na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Paulo Higa

Paulo Higa

Editor-executivo

Paulo Higa é jornalista com MBA em Gestão pela FGV e uma década de experiência na cobertura de tecnologia. Trabalha no Tecnoblog desde 2012, viajou para mais de 10 países para acompanhar eventos da indústria e já publicou 400 reviews de celulares, TVs e computadores. É coapresentador do Tecnocast e usa a desculpa de ser maratonista para testar wearables que ainda nem chegaram ao Brasil.

Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Relacionados