5G, combate a spam e redes neutras: os destaques de telecom em 2022

Tecnoblog fez retrospectiva sobre telecomunicações em 2022; combate a ligações indesejadas, 5G e venda da Oi Móvel são alguns dos temas mais importantes do ano

Lucas Braga
Por
5G, Oi, ligações de spam e redes neutras são destaques da retrospectiva 2022
5G, Oi, ligações de spam e redes neutras são destaques da retrospectiva 2022 (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Nem parece, mas chegamos ao final de 2022. O ano foi importantíssimo para as telecomunicações, com marcos importantes que irão ditar o rumo dos próximos anos e desdobramentos de acontecimentos passados. Confira cinco destaques de telecom e as perspectivas para o futuro do setor.

Um ano contra ligações de spam

Ninguém gosta de ligações de spam, e a Anatel dedicou grandes esforços no ano de 2022 para combater esse tipo de ação. Após resultados frustrantes com a plataforma Não Me Perturbe, a obrigatoriedade do prefixo 0303 para chamadas de telemarketing ativo começou a valer a partir de março.

O 0303 foi um grande benefício para pessoas físicas, mas despertou a ira das empresas de callcenter: elas alegaram que o prefixo poderia gerar impacto negativo para o consumidor e desemprego no setor. Entidades tentaram reverter a imposição na justiça, mas não conseguiram.

Anatel dedicou esforços para combater chamadas de spam
Anatel dedicou esforços para combater chamadas de spam (Imagem: Taylor Grote / Unsplash)

Além do 0303, a Anatel também fechou o cerco contra as robocalls, chamadas automatizadas que desligam na sua cara. A agência ordenou que as operadoras identificassem e suspendessem o serviço telefônico de empresas que faziam mais de 100 mil chamadas por dia com duração inferior a 3 segundos. A medida cautelar também estabeleceu multas de até R$ 50 milhões para os usuários ofensores.

As robocalls costumam ser utilizadas como “prova de vida”: caso o usuário atenda a chamada, o sistema registra que o interlocutor tende a aceitar chamadas de números desconhecidos. Esse banco de dados é utilizado posteriormente para ligações reais de telemarketing.

Além disso, a Anatel acabou com a gratuidade das chamadas de até 3 segundos de duração — medida que não afeta pessoas comuns, visto que a maioria dos planos das operadoras incluem voz à vontade. Toda a força-tarefa fez efeito: em apenas três meses a Anatel divulgou que as chamadas curtas reduziram quase pela metade.

Não parece, mas o 5G chegou

2022 é o ano que marca a estreia do 5G no Brasil. Tá certo, já tínhamos o DSS funcionando desde 2020, mas as primeiras antenas com a frequência dedicada foram ativadas por Claro, TIM e Vivo no mês de julho, em Brasília (DF).

O cronograma do leilão da Anatel previa que o sinal puro de quinta geração fosse ativado até julho de 2022 em todas as capitais, mas atrasos na liberação do espectro foram autorizados pela agência devido à dificuldade em entregar equipamentos.

No dia 7 de outubro, Claro, TIM e Vivo ativaram o sinal 5G nas capitais que ainda faltavam. No entanto, encontrar o sinal de quinta geração não é uma tarefa fácil: a cobertura ainda é restrita a alguns bairros, sobretudo em regiões com população de maior poder aquisitivo ou com alta concentração de pessoas.

De acordo com a Anatel, o Brasil possui 6.303 estações rádio-base na frequência de 3,5 GHz. A TIM lidera em cobertura, com mais da metade das antenas (3.302), à frente da Vivo (1.766) e Claro (1.235).

Além da cobertura restrita, ainda são poucos os usuários que podem aproveitar os benefícios do 5G. Os dados mais recentes da Anatel são de outubro, e apontam que apenas 1,7% dos aparelhos celulares são compatíveis com o padrão de quinta geração.

O fim da Oi Móvel

A venda da Oi Móvel se arrasta desde dezembro de 2020, mas somente em 2022 que o negócio saiu do papel. Claro, TIM e Vivo concluíram o negócio de R$ 15,9 bilhões no dia 20 de abril, após aprovação e condições atribuídas pelo Cade e Anatel.

Oi Móvel foi vendida para Claro, TIM e Vivo
Oi Móvel foi vendida para Claro, TIM e Vivo (Imagem: Guilherme Reis / Tecnoblog)

Nem todos os clientes foram migrados para a nova operadora — esse processo deve ocorrer gradualmente, com o prazo estabelecido pela Anatel de até 18 meses a partir do fechamento da venda. No entanto, a maioria dos clientes da Oi já consegue utilizar a rede da tele compradora.

Os clientes da Oi Móvel foram incorporados pelas operadoras com menor participação de mercado em cada DDD. Em São Paulo (DDD 11), por exemplo, a TIM foi a tele responsável pela base de clientes.

A Oi Móvel é uma operadora que irá deixar saudades, apesar da sua pouca cobertura e do serviço com qualidade inferior às demais teles.

As redes neutras começaram a tomar força

A gente ouve falar de redes neutras há alguns anos, mas somente em 2022 que elas começaram a ganhar algum protagonismo e mostrar efeito prático para usuários finais. Novas operadoras surgiram, como a Obvious, que utiliza a infraestrutura da V.tal — empresa neutra que surgiu a partir da malha de fibra óptica da Oi.

Cabo de fibra óptica
Cabo de fibra óptica para rede de internet (Imagem: Vitor Pádua / Tecnoblog)

Além disso, duas grandes operadoras anunciaram serviços de banda larga baseados em rede neutra. Utilizando a infraestrutura da FiBrasil — criada a partir da Vivo Fibra —, a Sky passou a vender internet de até 400 Mb/s em algumas localidades.

Também chama atenção o acordo de longo prazo entre TIM e V.tal. A operadora italiana já possui seu próprio serviço de banda larga, mas irá utilizar a rede da Oi Fibra para chegar a localidades onde ainda não atua. A tele revelou em primeira mão ao Tecnoblog que Curitiba (PR) será a primeira cidade em que a TIM Live utilizará a rede neutra.

O fim da recuperação judicial da Oi

2022 foi um ano realmente importante para a Oi: além da conclusão da venda do negócio móvel e as redes neutras começarem a ganhar força, a operadora finalmente conseguiu sair do processo de recuperação judicial.

O processo se arrasta desde 2016 e chegou a ser a maior recuperação judicial do país, com débitos de R$ 65,9 bilhões. A venda do negócio móvel foi crucial para o término do processo, visto que parte do dinheiro foi enviado diretamente ao BNDES para quitação de dívidas.

Loja da Oi
Loja da Oi (Imagem: Divulgação)

O que esperar para 2023?

Alguns temas já são esperados para a agenda de telecom para o ano de 2023. Após o combate às robocalls e implementação do prefixo para telemarketing, a Anatel deve prosseguir com o 0304, código específico para ligações de cobrança.

O 5G também será um assunto recorrente em 2023. Com liberação de espectro em novas cidades, as operadoras devem lançar o sinal de quinta geração em mais municípios, sobretudo em regiões metropolitanas de capitais ou em localidades com maior concentração de habitantes.

No segmento de banda larga, as operadoras devem expandir ainda mais suas redes de fibra óptica, seja por crescimento orgânico ou aquisição de provedores menores.

Não podemos esquecer que a mudança no governo também deve influenciar as políticas públicas do setor de telecomunicações, e os principais destaques serão noticiados aqui no Tecnoblog.

Relacionados

Relacionados