Como proteger o WhatsApp? Conheça os principais tipos de golpes e saiba evitá-los

WhatsApp tem recursos que permitem aumentar a segurança das suas conversas; veja como ajustar as configurações para se proteger de golpes e hackers

Ana Marques
Por
• Atualizado há 3 semanas

Para proteger a sua conta do WhatsApp, é importante configurar alguns recursos nativos do app, incluindo a autenticação em duas etapas e o acesso mediante biometria. Além disso, uma série de boas práticas durante a troca de mensagens ajudam a manter seus dados a salvo.

A segurança é um tema que gera preocupação devido ao grande número de tentativas de golpe no mensageiro. Usado por 98% dos brasileiros, o serviço é visado por criminosos que tentam roubar dinheiro e informações pessoais.

A seguir, saiba como aumentar a segurança da sua conta no WhatsApp e tire suas dúvidas sobre os principais tipos de golpes que ocorrem na plataforma.

Como proteger o WhatsApp de golpes e invasões?

As ferramentas de segurança e privacidade são algumas das principais funções do WhatsApp, e permitem ao usuário aumentar a segurança das suas informações na plataforma. Veja, abaixo, 12 dicas para proteger a sua conta no mensageiro:

1. Ative a verificação em dois fatores para proteger o WhatsApp

A autenticação em dois fatores (2AF) aplica uma camada extra de proteção à sua conta. Com o recurso, você terá que inserir um PIN para fazer o login no aplicativo novamente. Além disso, esse código pode ser solicitado periodicamente para que você continue usando o mensageiro.

Ao configurar a verificação em duas etapas no WhatsApp, mesmo que a sua senha seja comprometida em vazamentos de dados, será mais difícil para terceiros o acesso às suas conversas e contatos.

2. Bloqueie o WhatsApp com biometria

Ao usar a sua impressão digital ou o reconhecimento facial para bloquear o WhatsApp, pessoas não autorizadas não conseguirão ver suas mensagens e interagir com seus contatos, mesmo que tenham acesso ao seu celular.

Além de ativar a biometria para o WhatsApp em celulares Android ou no iPhone, também é possível bloquear o WhatsApp Web com senha numérica.

Captura de tela mostra configuração do Face ID ativa no WhatsApp para iPhone
Configuração do Face ID ativada para proteger o WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

3. Desconfie de pedidos de dinheiro e outros dados

Não faça transações financeiras ou forneça seus dados pessoais pelo WhatsApp antes de confirmar com quem você está falando.

É comum que criminosos roubem fotos de pessoas próximas a você para tentar se passar por um amigo ou familiar. Ou mesmo que entrem em contato por um número desconhecido, fingindo estar em uma situação de urgência.

Ainda que a foto de perfil ou nome sejam de algum conhecido, é importante tentar entrar em contato com a pessoa por outros meios e verificar se é realmente ela quem está por trás da conversa.

Nessas horas, mantenha a calma e tente constatar a veracidade das mensagens. Você pode:

  • Pedir para fazer uma chamada de vídeo;
  • Tentar ligar para o seu contato por fora do WhatsApp;
  • Ter uma palavra-passe combinada pessoalmente com pessoas mais próximas.

Tenha cuidado ao clicar em links desconhecidos ou encurtados no WhatsApp, pois eles podem levar a sites maliciosos. Ao receber um link suspeito, tente acessar os canais oficiais da instituição em questão e confirmar se a informação prometida realmente é verdadeira.

Muitas vezes, criminosos direcionam suas vítimas para sites que pedem para inserir nome, CPF e dados bancários, e depois usam essas informações para aplicar golpes financeiros.

Outros sites podem conter vírus, que infectam o seu dispositivo e também podem acabar coletando dados sensíveis.

5. Verifique informações encaminhadas muitas vezes

Mensagens encaminhadas muitas vezes podem ser spam ou um sinal de algo mais grave, com tentativa de golpe. Redobre o cuidado ao clicar em links nessas circunstâncias.

O WhatsApp exibe um rótulo de “Encaminhado com frequência” em cima da mensagem quando ela viraliza, isto é, quando é muito encaminhada dentro do aplicativo.

Print de tela mostra mensagem para checar conteúdo encaminhado com frequência no WhatsApp
Recurso para checar conteúdo encaminhado com frequência no WhatsApp (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

Nesses casos, é possível usar uma ferramenta nativa para checar informações falsas no WhatsApp: basta tocar no ícone de lupa que aparece ao lado da mensagem. Ao identificar um conteúdo enganoso, não passe adiante.

6. Cadastre um e-mail para recuperação de conta

Ao criar uma conta no app de mensagens, a única informação obrigatória é o número de telefone. No entanto, adicionar um e-mail ao WhatsApp é importante para que você consiga recuperar a sua conta em caso de invasão ou quando outros métodos de autenticação falharem.

7. Verifique os dispositivos conectados à sua conta

Se você suspeita de algum acesso indevido à sua conta, tente verificar os dispositivos conectados nas configurações do aplicativo. Ao identificar um aparelho ao qual você não tem acesso, é possível remover o dispositivo da sua conta do WhatsApp. Ele será desconectado imediatamente.

8. Ative a criptografia de ponta a ponta para backup

O WhatsApp já protege suas conversas com criptografia de ponta a ponta por padrão. Mas ao ativar a criptografia de ponta a ponta para backup do WhatsApp, você também protege as informações armazenadas em nuvem.

Desse modo, mesmo que invasores tenham acesso à sua conta, eles não poderão restaurar o histórico de mensagens e outros dados. Para acessá-los, é necessário ter uma senha específica, diferente da senha da conta.

Captura de tela mostra tela para ativar o backup com criptografia de ponta a ponta no WhatsApp
É possível proteger o backup do WhatsApp com criptografia de ponta a ponta (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

9. Configure a privacidade do WhatsApp

Alguns ajustes na exibição de informações pessoais também ajudam a ter mais segurança ao utilizar o mensageiro. Você pode ocultar a sua foto de perfil para desconhecidos, impedindo que terceiros roubem essa imagem para aplicar golpes, por exemplo.

Para verificar essa e outras opções, basta acessar as configurações de privacidade do WhatsApp no próprio aplicativo.

10. Cuidado com aplicativos espiões

Programas conhecidos como WhatsApp Sniffer são aplicativos que monitoram a atividade do seu dispositivo. Esse tipo de solução é legalizada para fins de controle parental ou corporativo, por exemplo, mas pode ser utilizado para espionagem, coletando informações sem autorização.

Saber como identificar um app espião é importante para evitar que suas conversas, incluindo fotos e vídeos, caiam em mãos erradas. Alguns exemplos famosos são o mSpy e o Spyzie.

Captura de tela mostra site do MSpy, exemplo de app que rastreia atividades do celular, incluindo conversas do WhatsApp
O mSpy é exemplo de app que rastreia atividades do celular, incluindo conversas do WhatsApp (Imagem: Reprodução/mSpy)

11. Use a versão oficial do WhatsApp

O WhatsApp avisa, nos Termos de Serviço, que o uso de aplicativos não oficiais pode levar ao banimento da conta. Por isso, é arriscado usar alternativas populares, como o WhatsApp GB e o WhatsApp Aero.

Esses softwares geralmente são procurados por oferecerem recursos adicionais, como opções de personalização e formas de burlar configurações de privacidade. Fique atento!

WhatsApp no Android (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)
WhatsApp no Android (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

12. Mantenha o WhatsApp atualizado

Por fim, uma dica válida para qualquer aplicativo: verifique as atualizações pendentes. Softwares desatualizados podem ser alvo de hackers que exploram vulnerabilidades de segurança.

Você pode atualizar o WhatsApp acessando a loja de aplicativos do seu dispositivo. Não deixe de atualizar também o sistema operacional do seu smartphone ou computador.

Quais são os golpes mais comuns no WhatsApp?

Golpes financeiros são os mais comuns no WhatsApp. Criminosos utilizam nomes de instituições conhecidas, como bancos e plataformas de compra/venda de produtos, para enganar os usuários do mensageiro, que acabam perdendo dinheiro ou sendo vítima de phishing. Alguns golpes populares são:

  • Golpe de empréstimo no WhatsApp: golpistas enviam mensagem usando o nome ou a identidade visual de alguma instituição financeira conhecida, e oferecem empréstimos com condições suspeitas, geralmente com baixíssima taxa de juros ou visando negativados.
  • Golpe da OLX no WhatsApp: golpistas pedem a anunciantes para sair do chat da OLX e fechar uma compra pelo WhatsApp. Porém, fora da plataforma de compra e venda, os usuários ficam desprotegidos e podem ser induzidos a entregar um produto sem que o pagamento seja efetivado.
  • Golpe de vaga de emprego no WhatsApp: golpistas enviam mensagens oferecendo um emprego em nome de grandes empresas, como a Amazon. Geralmente, a promessa é de salário muito alto ou dinheiro rápido. A contrapartida é clicar em links suspeitos, que pedem informações pessoais ou dados financeiros.
  • Golpe do Pix: golpistas se fazem passar por um amigo ou parente, dizem que foi preciso trocar de número de telefone, e pedem uma transferência via Pix com urgência, alegando que depois farão a devolução do dinheiro.
  • Golpe de clonagem no WhatsApp: golpistas entram em contato por mensagem ou ligação pedindo o código de seis dígitos enviado pelo WhatsApp. Com esses números, eles conseguem acesso à sua conta e podem ver as suas conversas e lista de contatos, entre outras informações.
Golpe de emprego via SMS
Golpe de emprego via SMS e WhatsApp (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

O que fazer ao suspeitar de golpe no WhatsApp?

É importante denunciar e bloquear números suspeitos no WhatsApp para evitar contato com conteúdo malicioso. Além disso, ao constatar que você foi vítima de um golpe no WhatsApp, é indicado procurar as autoridades policiais para fazer um registro de ocorrência.

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) recomenda ainda que o usuário que se sentir lesado de alguma forma procure os órgãos de defesa do consumidor para receber as orientações necessárias em cada caso.

Como identificar um número falso no WhatsApp?

Ao receber uma mensagem suspeita no WhatsApp, verifique o perfil do usuário em busca de mais informações sobre a pessoa. Contas sem foto ou com credenciais genéricas podem ser de um número falso. Também é importante ficar atento ao código do país do número que entrou em contato.

Se você vir um aviso sobre a troca do código de segurança do WhatsApp, tente entrar em contato com o dono da conta por outros meios, para ter certeza de que foi ele mesmo que acessou a conta em outro dispositivo.

É crime quando uma pessoa se passa por mim no WhatsApp?

Sim. Usar a identidade de outra pessoa para aplicar golpes pode ser enquadrado como crime de falsidade ideológica. É importante denunciar para tentar reaver prejuízos e evitar que outras pessoas sejam vítimas desse tipo de ação.

É possível saber se um número foi clonado no WhatsApp?

Existem alguns sinais que podem ajudar a descobrir se o seu WhatsApp foi clonado. Entre eles, um aviso sobre a impossibilidade de verificar a sua conta no dispositivo principal. Além disso, aparelhos desconhecidos conectados à sua conta também são um alerta para o possível uso não autorizado do seu número no WhatsApp.

Posso proteger o WhatsApp em um celular roubado?

Sim. Uma das principais recomendações após ter o celular roubado é desativar o WhatsApp temporariamente. Para isso, é necessário entrar em contato com o suporte do serviço e informar sobre o roubo ou furto do aparelho.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Relacionados