WhatsApp: o que é, história e principais funções do mensageiro

O WhatsApp é o aplicativo mais popular do Brasil; conheça a origem do mensageiro e todas as funções que o app oferece para usuários

Ana Marques
Por
• Atualizado há 6 dias
História do WhatsApp começou em 2009; mensageiro foi comprado pela Meta em 2014 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
História do WhatsApp começou em 2009; mensageiro foi comprado pela Meta em 2014 (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O WhatsApp é um aplicativo de mensagens com mais de 2 bilhões de usuários globalmente. O mensageiro está presente em 98% dos celulares no Brasil, e sua história começa bem antes da aquisição pela Meta (na época, Facebook). O serviço é gratuito para smartphones, computadores e tablets, entre outros dispositivos móveis, mas já teve um modelo de assinatura.

Além de troca de mensagens, o WhatsApp oferece recursos característicos de redes sociais, como a publicação de fotos e vídeos que somem após 24 horas (Status). Outras funções incluem o compartilhamento da localização em tempo real e a realização de pagamentos.

Devido à sua grande relevância e alcance, o WhatsApp é visado por criminosos que têm a intenção de praticar golpes ou disseminar informações falsas. Para contornar esses problemas, o app conta com ferramentas de segurança e parcerias com órgãos públicos.

A seguir, entenda em detalhes o que é e para que serve o WhatsApp, conheça a origem do serviço e fique por dentro das principais funções do aplicativo.

O que é WhatsApp e para que serve?

O WhatsApp é um aplicativo de mensagens gratuito disponível para iOS, Android, KaiOS, Windows, macOS e Web. O serviço permite realizar conversas individuais ou em grupo, com envio de texto, áudio e vídeo via internet.

Os usuários do WhatsApp também podem trocar figurinhas, GIFs, fotos, vídeos, arquivos, compartilhar localização em tempo real e realizar pagamentos pelo chat.

O que significa WhatsApp?

O nome WhatsApp é um trocadilho que une a saudação “What’s Up?” (que significa “E aí?”, em português) com a palavra “App”, como explica o próprio serviço.

O WhatsApp é uma rede social?

Sim. O WhatsApp é considerado uma rede social por empresas de dados, como GWI e a Statista, que monitoram o mercado de plataformas digitais. O mensageiro também é classificado como um tipo de rede social por agências especializadas em mídias sociais, como a We Are Social.

Embora um dos principais focos do WhatsApp seja a troca de mensagens individuais, o app tem funções que também permite criar conexões em grupo, promovendo a interação com amigos, colegas de trabalho, familiares e empresas por meio de fotos, vídeos e áudio.

Algumas características que permitem classificar o WhatsApp como uma rede social são:

  • Criação de um perfil;
  • Conexão com outros usuários que têm algum tipo de relação, como amizade, familiar ou de trabalho);
  • Compartilhamento de conteúdo de interesse mútuo com sua rede de contatos;
  • Ferramentas para interação com o conteúdo compartilhado (reações, emojis, respostas).

Quando foi criado o WhatsApp?

O WhatsApp foi criado em fevereiro de 2009, junto à WhatsApp Inc., nos Estados Unidos. O aplicativo foi lançado inicialmente na App Store, para iPhones. O lançamento do WhatsApp para Android aconteceu somente em agosto de 2010.

No começo, o WhatsApp tinha apenas uma função simples: mostrar o status dos usuários para que amigos soubessem quando eles estavam disponíveis para receber ligações. Porém, o serviço teve baixa adesão de usuários.

Somente após junho de 2009, quando a Apple lançou as notificações push junto ao iOS 3, o WhatsApp foi atualizado para que as pessoas fossem avisadas quando os status de seus contatos mudassem.

Primeira versão do Status do WhatsApp (antigo) em 2009
Primeira versão do Status do WhatsApp (antigo) em 2009 (Imagem: Reprodução/WhatsApp)

A versão 2.0 do WhatsApp foi submetida à App Store em agosto de 2009 e trouxe um campo próprio para troca de mensagens instantâneas. No começo, o serviço era uma simples alternativa gratuita ao SMS. Foi quando o número de usuários ativos do WhatsApp cresceu repentinamente para 250 mil e as coisas começaram a dar certo.

Em fevereiro de 2011, o WhatsApp ganhou um de seus recursos mais populares até hoje: o chat em grupo. Em outubro daquele ano, o mensageiro bateu a marca de 1 bilhão de mensagens enviadas em um dia. Já as mensagens de áudio chegaram ao app em 2013, antes da aquisição pelo Facebook.

Quem criou o WhatsApp?

Jan Koum e Brian Acton criaram o WhatsApp. Os programadores são ex-funcionários do Yahoo!, e lançaram o app de mensagens em 2009, após serem rejeitados ao tentar um emprego no Facebook.

Koum contou que a ideia de criar o WhatsApp surgiu ao comprar um iPhone. “Fiquei irritado por perder ligações quando fui para a academia”, disse o empresário ucraniano em evento que antecedeu a exibição do documentário “Vale do Silício: A História Não Contada”, segundo a CNBC.

Brian Acton à esquerda e Jan Koum (Foto: Peter DaSilva/The New York Times)
Brian Acton e Jan Koum, fundadores do WhatsApp (Foto: Peter DaSilva/The New York Times)

Quem é o dono do WhatsApp?

O conglomerado Meta Platforms Inc., liderado por Mark Zuckerberg, é o dono do WhatsApp. Ainda sob o nome Facebook Inc., a empresa americana adquiriu o serviço com cerca de 400 milhões de usuários em 2014 por mais de US$ 19 bilhões.

Mark Zuckerberg é o fundador da Meta, que é dona do WhatsApp (imagem: Reprodução/Facebook)
Mark Zuckerberg é fundador da Meta, que é dona do WhatsApp (imagem: Reprodução/Facebook)

Os dois fundadores já não trabalham mais no WhatsApp. Jan Koum saiu em maio de 2018, e Brian Acton deixou a empresa cinco meses depois demonstrando certo arrependimento com a venda à Meta: “eu vendi a privacidade dos meus usuários para um benefício maior. Eu fiz a escolha e um compromisso. E eu vivo com isso todos os dias”.

Preciso pagar para usar o WhatsApp?

Não. O WhatsApp parou de cobrar a assinatura anual de US$ 0,99 em janeiro de 2016. O modelo de negócio do WhatsApp gira em torno de serviços para empresa: o mensageiro ganha dinheiro promovendo anúncios de números de pequenas empresas no Facebook e Instagram, e também oferecer uma API de integração para SAC por meio do WhatsApp Business.

Em quantos países o WhatsApp é usado?

O WhatsApp é usado em mais de 180 países. Segundo Will Cathcart, presidente do WhatsApp, em entrevista à Folha, O Brasil é o terceiro maior mercado para o mensageiro, atrás apenas da Índia e da Indonésia em número de usuários. Ainda assim, o Brasil é o país que mais manda mensagens pelo aplicativo.

Quando o WhatsApp chegou ao Brasil?

O WhatsApp chegou ao Brasil em 2009, inicialmente apenas para iPhone. Hoje, o WhatsApp está instalado em 98% dos celulares no Brasil, de acordo com dados da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box divulgada em março de 2024.

Por que o WhatsApp foi bloqueado no Brasil?

O WhatsApp foi bloqueado no Brasil em três ocasiões: dezembro de 2015, maio de 2016 e junho de 2016 por não cooperar com investigações de autoridades brasileiras. As decisões judiciais partiram dos tribunais de São Paulo, Sergipe e Rio de Janeiro, respectivamente, e ordenaram que operadoras de telefonia bloqueassem o serviço no país.

Segundo o WhatsApp, não era possível ter acesso às informações pedidas pela Justiça devido a alguns recursos de privacidade, incluindo a criptografia de ponta a ponta.

Nos três casos, o WhatsApp conseguiu derrubar a decisão e voltar a operar no Brasil em até 24 horas.

WhatsApp está disponível para iPhone
WhatsApp está disponível para iPhone (Imagem: André Fogaça/Tecnoblog)

Quais são as funções do WhatsApp?

A principal função do WhatsApp é a troca de mensagens com outros usuários via texto ou áudio. Porém, o aplicativo tem outros recursos para se conectar e compartilhar conteúdo. Veja a seguir quais são as funções disponíveis no WhatsApp:

  1. Conversas
  2. Listas de transmissão
  3. Ligações
  4. Comunidades
  5. Canais
  6. Status
  7. Recado
  8. Pagamentos
  9. Criptografia e ajustes de privacidade

1. Conversas

As conversas do WhatsApp são chats individuais ou em grupo que permitem a troca de mensagens de texto, voz e vídeo, figurinhas, GIFs, arquivos, localização em tempo real e criação de enquetes; as conversas do WhatsApp podem ser armazenadas em backup com criptografia de ponta a ponta.

2. Listas de transmissão

As listas de transmissão do WhatsApp permitem criar listas de contatos para enviar mensagens a várias pessoas ao mesmo tempo; apenas quem tem seu número salvo recebe as mensagens da lista de transmissão.

3. Ligações

As ligações do WhatsApp permitem realizar chamadas por voz ou vídeo via internet, sem consumo de franquia ou tarifas de longa distância.

4. Comunidades

As comunidades do WhatsApp permitem reunir e organizar grupos de acordo com temas ou interesses específicos, facilitando o gerenciamento e aumentando as chances de engajamento.

5. Canais

Os canais do WhatsApp permitem aos administradores enviar mensagens em massa, de forma unilateral; seguidores podem interagir com as atualizações por meio de reações (emojis) e responder enquetes.

Canais do WhatsApp (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
Canais do WhatsApp (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

6. Status

O WhatsApp Status é um recurso que permite compartilhar fotos, vídeos e textos temporários, que desaparecem automaticamente após 24 horas, semelhante ao Instagram Stories.

7. Recado

O recado do WhatsApp é uma mensagem curta, que pode ser usada para avisos, frases inspiradoras, trechos de música ou exibição do status de atividade (ex: online, ocupado, em reunião etc). Aparece próximo aos seus dados de contato, quando um contato abre o seu perfil no WhatsApp.

8. Pagamentos

O WhatsApp Pay permite enviar e receber dinheiro por meio de uma conversa do WhatsApp; para realizar pagamentos pelo aplicativo, é necessário ter uma conta e cartão de débito ou pré-pago de uma instituição financeira compatível.

9. Criptografia e ajustes de privacidade

Recursos como a criptografia de ponta a ponta, configurações de exibição de foto e nome, entre outras opções, reforçam a sua privacidade no WhatsApp; o usuário tem controle sobre quem pode ou não ver determinadas informações ao usar o mensageiro.

Como usar o WhatsApp?

Para usar o WhatsApp, é preciso ter uma conexão com a internet e um smartphone com número de telefone cadastrado (dispositivo principal). Também é possível utilizar um tablet Android como dispositivo principal da conta, desde que você confirme o número de telefone neste dispositivo.

Após criar uma conta no WhatsApp, é possível usar o serviço em outros dispositivos compatíveis, conforme a lista abaixo:

  • Celulares e tablets Android
  • iPhones (iOS)
  • Computadores com Windows e macOS
  • Relógios e pulseiras com WearOS
  • Óculos Ray-Ban Stories e Ray-Ban Meta
  • Headsets de realidade virtual (VR) Meta Quest 2, Quest Pro e Quest 3

Posso usar o WhatsApp em dois celulares?

Sim. É possível conectar até 4 dispositivos a um celular principal para usar a mesma conta do WhatsApp. Após a conexão, você consegue usar o mensageiro nos dispositivos conectados mesmo que o smartphone principal esteja desligado ou não tenha acesso à internet.

O WhatsApp é seguro?

Sim. O WhatsApp tem ferramentas de segurança para proteger a sua conta e mensagens, e que ajudam a saber se você teve o WhatsApp clonado. Algumas dicas para deixar o WhatsApp mais seguro são:

  • Ativar a verificação em duas etapas;
  • Proteger conversas com senha;
  • Não clicar em links suspeitos, ainda que sejam de seus contatos;
  • Desconfiar de mensagens que pedem dinheiro ou dados pessoais;
  • Verificar os dispositivos conectados à sua conta.

Consigo identificar fake news no WhatsApp?

O WhatsApp também é um canal explorado para a disseminação de fake news, já que permite a ampla circulação de informações de forma ágil.

Uma das iniciativas para conter esse problema é a etiqueta “Encaminhada com frequência” em mensagens, que permite saber quando uma informação anda circulando com comportamento viral.

Ao identificar um conteúdo com esse alerta, recomenda-se redobrar o cuidado, duvidar de opiniões tendenciosas e checar fontes oficiais. O ícone de lupa ao lado da mensagem ajuda a pesquisar para saber se uma mensagem do WhatsApp é verdadeira.

Além disso, o WhatsApp já fechou parcerias com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em época de Eleições no Brasil para ajudar no combate à desinformação.

Quais são os tipos de WhatsApp que existem?

O WhatsApp pode ser encontrado nas seguintes versões:

  • WhatsApp Messenger: versão tradicional do WhatsApp para dispositivos móveis com Android, iOS e KaiOS.
  • WhatsApp Desktop: versão tradicional do WhatsApp para computadores com Windows ou macOS.
  • WhatsApp Web: versão do WhatsApp para navegadores web, sem necessidade de instalação.
  • WhatsApp Business: versão comercial do WhatsApp voltada para empresas, com ferramentas para facilitar vendas e atendimento ao cliente.
  • WhatsApp Beta: versão de testes do WhatsApp, voltada principalmente a desenvolvedores e curiosos que desejam experimentar em primeira mão os recursos em desenvolvimento para o mensageiro; pode apresentar instabilidade, causando bugs e travamentos.
  • WhatsApp GB, Aero e Plus (não-oficiais): versões do WhatsApp criadas por terceiros e populares por prometerem recursos extras, incluindo mudança de aparência e opções que burlam funções de privacidade. O WhatsApp não recomenda a instalação de aplicativos não-oficiais. O uso de softwares como WhatsApp GB pode e afins pode trazer riscos e levar ao banimento da conta.

Quais são os apps concorrentes do WhatsApp?

Os principais aplicativos concorrentes do WhatsApp no segmento de mensageria móvel no Brasil são o Instagram (presente em 88% dos smartphones), Facebook Messenger (68%), Telegram (63%) e Signal (13%) — este último também fundado por Brian Acton, após sua saída do WhatsApp. Os dados são da pesquisa Panorama Mobile Time/Opinion Box de março de 2024.

WhatsApp, Signal e Telegram são mensageiros concorrentes (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)
WhatsApp, Signal e Telegram são opções de mensageiros instantâneos para celular (Imagem: Vitor Pádua/Tecnoblog)

O WhatsApp é melhor que o Telegram?

O WhatsApp e o Telegram são aplicativos de mensagens instantâneas que se diferem em recursos de privacidade, armazenamento de dados, tamanho de arquivos enviados, limite de participantes em grupos, entre outros.

Nosso comparativo entre o WhatsApp e o Telegram detalha o que muda entre os apps, permitindo que você escolha o melhor mensageiro de acordo com suas necessidades.

Esse conteúdo foi útil?
😄 Sim🙁 Não

Receba mais sobre WhatsApp na sua caixa de entrada

* ao se inscrever você aceita a nossa política de privacidade
Newsletter
Ana Marques

Ana Marques

Gerente de Conteúdo

Ana Marques é jornalista e cobre o universo de eletrônicos de consumo desde 2016. Já participou de eventos nacionais e internacionais da indústria de tecnologia a convite de empresas como Samsung, Motorola, LG e Xiaomi. Analisou celulares, tablets, fones de ouvido, notebooks e wearables, entre outros dispositivos. Ana entrou no Tecnoblog em 2020, como repórter, foi editora-assistente de Notícias e, em 2022, passou a integrar o time de estratégia do site, como Gerente de Conteúdo. Escreveu a coluna "Vida Digital" no site da revista Seleções (Reader's Digest). Trabalhou no TechTudo e no hub de conteúdo do Zoom/Buscapé.

Canal Exclusivo

Relacionados