Início » Antivírus e Segurança » Os 10 posts mais lidos no Tecnoblog em 2015

Os 10 posts mais lidos no Tecnoblog em 2015

Novidades no Android e iOS, alterações polêmicas em termos de uso, problemas com plugins de bancos e mais

Paulo Higa Por

No Tecnocast, a gente já conversou durante quase três horas (!) para fazer uma retrospectiva do que aconteceu no noticiário de tecnologia em 2015. Passamos pela disparada do dólar, vimos o fim dos benefícios fiscais para eletrônicos, acompanhamos as mudanças nas estratégias das operadoras e assistimos à chegada das novas empresas ao mercado brasileiro de smartphones.

E nas palavras escritas, o que os leitores mais acessaram no Tecnoblog? Eis a lista dos 10 posts mais lidos em 2015:

1. Você deveria ler os novos termos de uso do Snapchat (420.306 acessos)

snapchat-logo-wide

O Snapchat causou polêmica em outubro ao atualizar sua política de privacidade, abrindo brechas para que o serviço possa fazer basicamente qualquer coisa com o que você enviar à rede social. De acordo com os novos termos, é permitido ao Snapchat armazenar, reproduzir, modificar e exibir publicamente todos os snaps dos usuários, inclusive em outros meios de distribuição, fora do serviço.

Como o Snapchat também é utilizado para compartilhar nudes (não negue!), é claro que as mudanças geraram reações negativas, ainda mais considerando que a rede social não tem bom histórico em proteger a privacidade dos usuários: o Snapchat já havia sido obrigado a admitir a um órgão norte-americano que os conteúdos não eram deletados automaticamente, ao contrário do que diziam os termos de uso.

Depois da polêmica, o Snapchat veio a público se defender, com o argumento de que as modificações nos termos de uso eram necessárias para que o serviço funcionasse, e que o texto havia sido atualizado para tornar a linguagem mais acessível. Então tá.

2. Como baixar e instalar o Windows 10 agora mesmo (289.144 acessos)

microsoft-windows-10-desktop

O Windows 10 foi lançado no dia 29 de julho como uma atualização gratuita para os atuais usuários, mas a distribuição do novo sistema operacional não ocorreu como muitos esperavam. Para evitar congestionamentos nos servidores, a Microsoft liberou a atualização em ondas: quem havia reservado a atualização tinha o direito de instalá-la antes dos outros, dependendo da posição na “fila”.

Para os mais ansiosos, é claro que existia um truque para “furar” a fila e receber a atualização primeiro, que envolvia excluir o conteúdo de uma pasta do sistema e executar uma instrução no Prompt de comando. No mesmo dia, a Microsoft liberou uma ferramenta de criação de mídia e as imagens *.iso para baixar e instalar o Windows 10 manualmente.

3. O plugin de segurança que os bancos usam está causando problemas de acesso a alguns sites (250.457 acessos)

caixa-chrome

O IPv6 ainda está engatinhando no Brasil, mas 2015 foi o ano em que as operadoras começaram a ativar o novo protocolo para um grupo maior de usuários. Só que houve um grande problema durante o processo: o plugin de segurança utilizado por bancos nada pequenos, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander, causava problemas de acesso em determinados sites.

A falha ocorria em usuários que tentassem entrar em sites IPv6 (Facebook, Google, UOL e outros grandalhões) por meio de uma conexão IPv6: o acesso era simplesmente bloqueado. Como o protocolo estava em pleno processo de ativação, é claro que esse bug no software da GAS Tecnologia causou grandes transtornos.

Aliás, ainda não evoluímos tanto no processo de migração para IPv6: de acordo com a Cisco, apenas 6,59% dos brasileiros possuem acesso ao novo protocolo. Isso é bem menos que em países como Estados Unidos (24,7%), Bélgica (43,5%) e Peru (15,9%).

4. Como ativar o Java, Silverlight e plugins de bancos no Chrome (211.890 acessos)

chrome-icone

O NPAPI era uma tecnologia criada para o Netscape (lembra dele?) para permitir a utilização de plugins de terceiros em navegadores. Ele era tão velho e feito para uma época tão diferente que tinha um monte de problemas de desempenho e segurança. Tenho certeza que você já culpou seu navegador injustamente por algum travamento (quando, no final das contas, a falha era causada por algum plugin instável).

A partir do Chrome 42, o Google desabilitou o NPAPI por padrão, o que significa que plugins como Java e Silverlight deixaram de funcionar. Mas como o Brasil é meio diferente e a gente ainda depende do Java para acessar o internet banking, essa alteração gerou problemas. Ainda era possível reativar o NPAPI durante algum tempo, mas a tecnologia já foi definitivamente removida do Chrome.

No geral, até que os bancos conseguiram se adaptar à mudança. Menos a Caixa Econômica Federal, que continua pedindo para você baixar outro navegador ou utilizar uma versão desatualizada do Chrome.

5. Qual o melhor plano pré-pago de internet para smartphone? (202.806 acessos)

celular-roubado-bloqueio-imei

2015 foi um excelente ano para trocar de operadora: todas as grandes empresas fizeram boas promoções e lançaram novos planos, a maioria deles superior aos anteriores, com franquias de internet maiores e preços mais atranetes. Fizemos uma análise para descobrir qual era o melhor plano pré-pago — e recentemente fizemos um comparativo com 52 planos de 6 operadoras para ajudar você a escolher.

Mesmo no pré-pago, todas as operadoras já oferecem pacotes de internet mais generosos, muito melhores do que na época em que todos eram limitados a 10 MB por dia. Além disso, posteriormente, TIM e Oi deixaram de diferenciar chamadas para outras operadoras, contribuindo com o fim do “efeito clube”, quando você tem chips de duas, três ou quatro operadoras só para gastar menos.

Você trocou de operadora em 2015?

6. Motorola revela Moto X Style, Moto X Play e Moto G de 3ª geração (188.454 acessos)

style-abre

A terceira geração do Moto X não chegou do jeito que nós esperávamos. Em vez de revelar um sucessor único, a Motorola dividiu a linha ao lançar o Moto X Play, um smartphone mais acessível, que tinha hardware inferior ao modelo antigo; e o Moto X Style, que possuía uma tela gigante, de 5,7 polegadas, jogando fora a antiga estratégia da Motorola, de lançar aparelhos mais ergonômicos.

O Moto G de 3ª geração também não foi um “boom” quanto os anteriores. Ele trouxe melhorias bem-vindas na câmera (resolvendo o principal ponto negativo das outras gerações), ganhou uma versão com 2 GB de RAM e chegou com carcaça resistente a respingos de água. Só que, junto com as mudanças, a Motorola elevou demais o preço do aparelho — que passou a sofrer concorrência forte de novatos, como o Quantum Go.

7. iOS 9: o que você precisa saber antes e depois de atualizar (170.832 acessos)

ios-9

O iOS 9 focou em mudanças internas, com o objetivo de melhorar o desempenho e a estabilidade do sistema operacional para iPhones, iPads e iPods touch. Mas isso não significa que não havia novidades importantes: a Siri ficou mais inteligente e integrada, o Modo de Pouca Energia deu um gás para a bateria dos gadgets e os aplicativos internos, como o Notas e o Mapas, receberam novas funções.

As principais novidades foram direcionadas aos donos de iPads, que receberam capacidades de multitarefa (até que enfim!). Com o Slide Over, é possível deslizar o dedo do canto direito da tela para abrir um segundo aplicativo rapidamente. Já no Split View, você pode dividir a tela ao meio e utilizar dois programas ao mesmo tempo nos iPads com 2 GB ou 4 GB de RAM.

8. Os melhores e piores antivírus do mercado (161.969 acessos)

cadeado-seguranca

Qual antivírus você usa? Para boa parte dos que estão lendo este texto, a solução de segurança da Microsoft é suficiente para proteger o computador das principais ameaças sem afetar o desempenho (o que não significa que ele seja bom). O Windows Defender ficou sempre na última posição nos testes dos institutos AV-TEST e AV-Comparatives, bloqueando apenas entre 69% e 84% das ameaças (contra os 99% dos melhores).

Os dois antivírus que se deram bem nos dois institutos foram o Avira Antivirus Pro e o Kaspersky Internet Security, que bloquearam 100% dos malwares.

9. O que há de novo (até agora) no Android 6.0 Marshmallow (133.946 acessos)

google-android-marshmallow

No iOS 9, as mudanças ficaram mais escondidas. No Android 6.0, os novos recursos estão mais visíveis aos usuários, pelo menos para os ínfimos 0,5% que já receberam a nova versão. O sistema de permissões está mais completo, ficando semelhante ao utilizado no iOS; o backup dos dados de aplicativos agora é feito automaticamente no Google Drive; e houve melhorias no compartilhamento de conteúdo.

Com o Marshmallow, o Android passou a suportar nativamente os leitores de impressões digitais para desbloquear o aparelho e confirmar transações. Isso criou uma nova leva de aparelhos topo de linha com suporte ao novo recurso, como Xperia Z5, Nexus 5X e Nexus 6P.

Além disso, como de praxe, o Android ganhou melhorias no gerenciamento de energia: no Marshmallow, os aplicativos são impedidos de gastar muita bateria quando o smartphone não está sendo utilizado. O modo é uma evolução dos recursos de “economia de energia” que determinadas fabricantes já incluíam em seus aparelhos e não precisa ser ativado em nenhum lugar.

10. Galaxy J5 e J7: a aposta da Samsung no custo-benefício (126.453 acessos)

galaxy-j5-j7-abre

A aposta da Samsung para competir na concorrida faixa de preço de 900 a 1.300 reais foram os novos smartphones Galaxy J, que possuem flash LED na câmera frontal para selfies e tela AMOLED, uma característica pouco comum no segmento.

Ambos os aparelhos são interessantes para o segmento em que eles estão posicionados, embora tenham algumas características difíceis de engolir, como a RAM de 1,5 GB (custava colocar só mais 512 MB de memória, Samsung?). Eles possuem baterias grandes, telas de alto contraste e uma TouchWiz mais limpa, sem aquela penca de aplicativos desnecessários pré-instalados.

Mais sobre:
Participe das conversas do Tecnoblog

Leia o post inteiro antes de comentar
e seja legal com seus amiguinhos.

Carregar Comentários Conheça nossa política de comentários.